If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Transcrição de vídeo

RKA 3G Nós humanos gostamos de observar toda a complexidade que temos à nossa volta através da classificação das coisas. E é fácil imaginar que não há coisa mais óbvia a ser classificada do que todas as coisas vivas ao redor de nós, do que toda a vida que nos cerca. Então, eu quero começar a falar sobre como classificamos toda a vida à nossa volta. Isto é, geralmente, referido como taxonomia. Mas a pergunta mais básica que se tem ao olhar para toda a vida em torno de você, você começa a ver semelhanças entre alguns desses seres vivos. Você vê, obviamente, que esta coisa bem aqui é mais parecida com as coisas que se parecem com ela, do que com a grama atrás dela ou com aquela árvore. E assim começamos a dizer que talvez deveríamos agrupar essa coisa, bem aqui, em um grupo junto com outras coisas parecidas. E a forma mais organizada de classificar todos os seres vivos à nossa volta é colocá-los em grupos chamados espécies. Assim, por exemplo. Muito bem! Espécies. Este é um animal em particular, mas vemos outros animais que se parecem com ele, por isso dizemos que fazem todos parte de uma espécie de leões. E este animal é um animal e há outros animais que têm listras, mas alguns podem ser mais gordos, altos ou mais magros, um tanto mais escuros ou mais claros. Mas nós dizemos que eles são semelhantes o suficiente para que todos sejam chamados de tigres. Chamamos todos os animais, embora possam ser um pouco maiores, mais magros, gordos, leves ou mais escuros, chamamos todos os animais que têm este tipo de... eles parecem com essa coisa bem aqui, chamaríamos isso de asno. Chamaríamos as coisas que, na nossa opinião, se parecem com esse animal bem aqui, de cavalo. Agora, isso pode parecer uma maneira bastante simples de pensar a respeito. Tudo o que se parece com esse animal aqui é um leão. Tudo o que se parece com esse animal é um tigre. Mas isso, por si só, não é uma definição boa o bastante para as espécies. Coisas que se parecem com as outras ou coisas que agem de maneira semelhante. Porque o que veremos é que algumas coisas que poderiam ser muito diferentes, pelo menos em sua aparência ou modo de agir, podem ser, na realidade, muito semelhantes. Então, falaremos sobre o que significa estar intimamente relacionado. Podemos ver também coisas que parecem muito semelhantes, que têm estruturas semelhantes, comportamentos como, por exemplo, morcegos e aves. Mas todas elas são, na realidade, muito remotamente relacionadas, por isso precisamos de uma definição mais exata para a espécie e não apenas coisas semelhantes ou coisas que agem de maneira parecida. Dessa forma, a definição mais comum de uma espécie é: animais que podem cruzar. E quando dizemos cruzar, significa, literalmente, que eles podem originar descendentes e que os descendentes são férteis. Os descendentes são férteis, o que significa que os descendentes podem ter filhos. Não sendo estéreis, eles são capazes de se reproduzir com outros animais e dar origem a mais descendentes. Por exemplo, este bem aqui é um leão. Podemos encontrar um leão e uma leoa e, na maior parte do tempo, eles serão capazes de ter descendentes. E os descendentes podem acasalar com outros leões e leoas em função do sexo e, então, eles podem produzir descendência viável. Parece funcionar muito bem para os leões. A mesma coisa acontece com os tigres. Agora, se houver um leão e uma tigresa, eles podem se acasalar e podem dar origem a descendentes. Seus descendentes ficaram famosos devido a Napoleon Dynamite, ele ficou fascinado! Estes animais são fascinantes, seus descendentes são chamados de ligres. O acasalamento entre um leão e uma tigresa dá origem a um ligre, que é um híbrido, um cruzamento entre um leão e um tigre. São animais fascinantes, na realidade, são maiores do que os leões ou os tigres, são os maiores felinos que conhecemos. Mas não podemos nos referir a eles como uma espécie separada ou não podemos dizer que os leões e os tigres são da mesma espécie, porque, mesmo que sejam capazes de cruzar, na maioria dos casos, seus descendentes não são capazes, não são férteis, não podem dar origem a descendentes. Houve histórias de ligres que se acasalaram com um leão ou um tigre, mas são histórias isoladas. Normalmente, os ligres não podem procriar e, geralmente, esta combinação não vai dar origem a descendentes que possam cruzar e que sejam férteis. É por isso que dizemos que os leões e os tigres são espécies diferentes. Na realidade, não chamaríamos os ligres de espécie diferente, diríamos que os ligres são um híbrido entre duas espécies. Agora a mesma coisa acontece e, na verdade, você deveria estar se perguntando: "Bom, isso aconteceu com um leão e uma tigresa. E se fosse o contrário? E se isso acontecesse com uma leoa em um tigre?" Neste caso, o resultado seria outra coisa, chamada de tigreão. Na verdade, eu não sei como pronunciar isso, esse é um híbrido diferente que tem qualidades ligeiramente diferentes das de um ligre. Você deveria procurar ver o que é um tigreão. Da mesma forma, se houver um asno macho... O asno é claramente uma espécie por si só, porque se houver um asno macho e uma fêmea, eles podem se reproduzir, dando origem a outro asno. Depois, aquele asno pode acasalar com outros asnos para dar origem a mais asnos. Portanto, não apenas um asno pode cruzar com outro asno, mas seus descendentes podem, depois, cruzar com outros asnos. Da mesma forma, os cavalos podem cruzar e dar origem a descendentes férteis, mas se houver um asno macho e uma égua, eles podem se acasalar e dar origem a uma mula. Eles podem originar uma mula. Mas, mais uma vez, como no caso dos ligres, as mulas não são, que eu saiba, as mulas não podem, elas não são férteis. As mulas não podem dar origem a descendentes. Elas não podem se acasalar e, mesmo que os asnos e os cavalos possam se reproduzir e dar origem a mulas, seus descendentes não são férteis. Não consideramos que os asnos e os cavalos façam parte da mesma espécie. Considera-se que as mulas sejam como um ligre ou um tigerão, ou seja, um híbrido. Então, todos estes são híbridos, chamados também de cruzamentos. A palavra híbrido é, normalmente, usada quando há duas coisas, dois tipos diferentes, que se unem de alguma forma, que se combinam de alguma forma. E mais uma vez, como no caso do tigreão, você poderia dizer: "E se houver um asno fêmea e um cavalo?" Então, o resultado seria algo chamado de bardoto, que, da mesma forma, não é tão comum quanto uma mula. E as pessoas gostam de usar mulas que, na verdade, são animais de trabalho muito bons, porque eles têm algumas boas qualidades dos asnos e dos cavalos. Os bardotos são menos comuns, mas eles existem e têm qualidades diferentes das mulas. Eu quero enfatizar essa ideia, porque quando começamos, tentamos pensar como podemos classificar as coisas e dissemos: "Bom, talvez as coisas que se parecem e agem de maneira semelhantes deveriam ser chamadas de espécies." Mas eu quero mostrar que talvez as coisas que não se parecem e agem diferentemente não deveriam ser chamadas de espécies. Eu quero mostrar um caso muito comum, um caso que, na verdade, encontra-se ao nosso redor o tempo todo. No qual essa definição, animais que podem cruzar e os descendentes são férteis, torna-se muito mais importante do que apenas alguma noção de animais que parecem iguais ou que agem de maneira semelhante. E o melhor exemplo disso são os cachorros. Como eu já disse, essa é uma espécie muito comum aqui, porque os cachorros... Eu peguei alguns exemplos de diferentes tipos de raças de cachorros que podem parecer muito diferentes. É óbvio, veja a diferença entre esses, por exemplo, esse pequeno Chihuahua e esse cachorro bem aqui. Obviamente, seus tamanhos, aparência e até o jeito de agir são muito diferentes do que talvez como esse asno agiria em comparação a este cavalo, ou esse leão em comparação a essa tigresa. Obviamente, eles parecem muito diferentes, seus tamanhos são completamente diferentes, mas estas duas coisas podem procriar. Embora, no caso destes dois em particular, parece que a parte prática possa ficar um pouco difícil. Mas admitindo que os obstáculos sejam superados, eles podem cruzar e dar origem a descendentes férteis. A mesma coisa no caso destes dois cachorros. A mesma coisa no caso destes dois cachorros aqui e, por isso, apesar de todas as diferentes raças de cachorros e, na maioria das vezes, devido às ações dos humanos que tentam criar raças com características particulares específicas, mesmo que pareçam tão diferentes e ajam de formas diferente, porque podem cruzar e dar origem a descendentes férteis, consideramos que todos eles fazem parte de uma espécie. Da mesma espécie.
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen
AP® é uma marca comercial registrada da College Board, que não revisou este recurso.