Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Células vegetais

Hank descreve por que as plantas são tão incríveis - discutindo sua evolução e como suas células são tão semelhantes e tão diferentes das células animais. Versão original criada por EcoGeek.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA11C Plantas são extraordinárias porque elas têm um poder mágico que as permite transformar dióxido de carbono em oxigênio puro e fresco para respirarmos. Elas também são muito mais interessantes que nós, porque, assim como nós e todos os outros animais do planeta, elas não precisam de comida e café para mantê-las vivas. A única coisa que as plantas precisam para tomar uma refeição é luz solar e água. Somente luz e água! Nenhum "masterchef" pode fazer isso. Mas eles fazem um hambúrguer maravilhoso e delicioso. Isso é um outro tipo de mágica, mas as plantas fazem parte disso. De fato, tudo que está nesta lanchonete ou tudo que você já comeu em sua vida é feito de plantas ou de alguma coisa que come plantas. Então, vamos falar sobre as plantas! Plantas evoluíram há mais de 500 milhões de anos atrás. O fóssil mais antigo já encontrado é datado com mais de 400 milhões de anos. Essas plantas eram licófitas, que ainda existem e se reproduzem produzindo um monte de esporos, liberando eles e esperando pelo melhor, assim como algumas aves-marias. Algumas dessas licófitas evoluíram para árvores de escamas, que já estão extintas, mas florestas pantanosas eram cobertas por elas. Algumas pessoas chamam essas florestas de florestas de carvão porque havia muitas dessas árvores. Elas eram densas, cobriam toda a terra e, eventualmente, foram fossilizadas formando grandes reservas de carvão, o que é muito importante hoje. Essa época é chamada de período carbonífero. Viu o que fizemos aqui? Porque o carvão é feito de carbono. Eles nomearam esse período geológico de acordo com o que essas florestas eram. Eu daria meu olho esquerdo, três dedos da minha mão esquerda, os dedos do meio e o mindinho do pé só para poder voltar ao passado e ver essas florestas porque realmente elas deveriam ser incríveis! De qualquer forma, angiospermas ou plantas que usam flores para se reproduzir se desenvolveram no final do período cretáceo, por volta de 65 milhões de anos atrás, exatamente quando os dinossauros estavam morrendo, o que me faz pensar se as primeiras angiospermas assassinaram todos os dinossauros... Não estou dizendo que isso aconteceu, mas é um pouco suspeito. De qualquer forma, em nível celular, células de plantas e animais são muito semelhantes. Elas são chamadas de células eucariontes, o que significa que elas têm um bom centro, e esse centro é o núcleo. Não é "nucelo"! O núcleo pode ser encontrado em todos os tipos de células: células de animais, plantas e algas. Basicamente, todas as células. Células eucariontes são muito mais avançadas do que as células procariontes. Nós temos células eucariontes e procariontes. "Procarionte" significa, basicamente, "antes do núcleo" ou "pré-núcleo". Já "eucarionte", significa "um bom núcleo". Procariontes incluem as bactérias e arqueas, as quais você provavelmente já conheceu antes, todas as vezes que teve uma infecção de garganta, por exemplo, ou se você já esteve em uma fonte de água quente ou em um poço de óleo. Elas estão em todos os lugares, elas cobrem o planeta, elas cobrem você. Como eu disse, eucarionte tem um núcleo separado, o que é muito importante porque contém o seu DNA, que é encapsulado por uma membrana. Uma célula eucarionte é um lugar ocupado. Existem reações químicas acontecendo em diversas partes da célula, e é importante manter esses lugares separados. Células eucariontes também possuem pequenas coisas, que chamamos de organelas porque decidimos que nomearíamos tudo com um nome estranho. Organelas estão suspensas no citoplasma, só para continuar essa terminologia esotérica com a qual você vai acabar se acostumando. Citoplasma, em sua maior parte, é água e algo a mais. Basicamente, se você quer saber sobre a estrutura da célula eucarionte, assista ao meu vídeo sobre as células de animais, clicando neste link aqui. Células de animais e plantas são muito parecidas, elas se controlam de forma muito semelhantes, mas obviamente, plantas e animais são coisas diferentes. Então, quais são as diferenças nas células de uma planta que as fazem ser tão diferentes das células de um animal? Isso é o que vamos aprender agora! Primeiro: acredita-se que as plantas evoluíram de algas verdes, as quais evoluíram de uma forma mais primitiva de procariontes. Uma coisa que as plantas herdaram de seus ancestrais foi uma parede celular rígida, envolvendo a membrana plasmática celular. Essa parede, em sua maioria, é composta de celulose e lignina, as quais são muito rígidas. Celulose é o carboidrato complexo mais comum e fácil de ser encontrado na natureza. Difícil seria se incluísse os carboidratos simples, porque glicose ganharia. Um fato fascinante é que a celulose é apenas um monte de glicose conectada a outra. De nada. Se quiser refrescar a memória a respeito de carboidratos e outras moléculas orgânicas, assista a este vídeo aqui. De qualquer forma, você sabe quem precisa de carboidrato para sobreviver? Animais. Mas você sabe o que é realmente difícil de digerir? Celulose. Plantas não nasceram ontem: celulose é a estrutura mais complexa que você irá encontrar em uma célula procarionte. É também a principal diferença entre as células de plantas e animais. Animais não possuem essa parede celular rígida, eles possuem uma membrana flexível que lhes permite andar e comer plantas. No entanto, a parede celular dá estrutura para as folhas, raízes e galhos das plantas, e também as protege. É por isso que as árvores não são moles e não têm cócegas quando você as cutuca. A combinação de lignina e celulose é o que permite que as árvores tenham o tamanho que têm. Esses dois compostos são extremamente fortes e resistentes à deterioração. Quando comemos, lignina e celulose são o que chamamos de bagaço, porque não podemos digeri-las. Ainda assim, a gente pode aproveitá-lo de alguma forma em nosso sistema digestivo, mas não é nutritivo. Por isso, comer a madeira é algo realmente sem gosto. É como comer essa camiseta: ela é feita 100% de plantas, mas não tem um bom sabor. Não podemos sair por aí comendo madeira, como um castor, ou grama, como uma vaca porque nosso sistema digestivo não é preparado para isso. Muitos outros animais que não têm acesso a um hambúrguer delicioso desenvolveram estômagos gigantes, como o bicho-preguiça, ou múltiplos estômagos, como as cabras, de uma forma para poderem sobreviver comendo celulose. Esses animais possuem uma bactéria em seu estômago, que digere a celulose para eles. A celulose é quebrada em moléculas de glicose, que podem então ser usada como comida. Mas outros animais, como humanos e a maioria dos carnívoros, não tem essa bactéria. Esse é o motivo pelo qual não podemos digerir madeira. Mas existe outra razão pela qual a celulose e lignina são muito importantes para os humanos. Pode ser queimada, meus amigos, e isso é basicamente o que aconteceria em nossos estômagos. De fato, ela produz a energia de que precisamos se nós fôssemos capazes de utilizar essa energia. Só que isso acontece muito rápido! Esse é o tipo de energia que seria muito proveitosa para gente, caso nós fôssemos vacas, mas nós não somos. Então, nós apenas usamos ela para nos manter aquecidos durante o inverno. Ai, caramba, está em mim! De qualquer forma, enquanto nós animais procuramos por mais plantas que podem ser digeridas, as plantas não têm que fazer isso, elas apenas ficam lá e produzem sua própria comida. Sabemos como elas fazem isso, fazem por meio da fotossíntese. Outra coisa que as células das plantas têm, e animais não, são os plastídeos: organelas que as plantas usam para produzir e armazenar compostos de que elas precisam. Quer aprender algo interessante sobre os plastídeos? Eles e sua organela prima, a mitocôndria, aquela que gera energia para célula, na verdade, eram bactérias que foram absorvidas pelas células das plantas nos primórdios de sua evolução. É como uma célula que absorveu uma bactéria e descobriu que, em vez de digeri-la para usar sua energia, era mais proveitoso usá-la. Aquela bactéria poderia criar energia para a célula ou converter luz em glicose. O que é muito louco! Ninguém sabe ao certo como isso aconteceu, mas eles sabem que aconteceu porque os plastídeos e as mitocôndrias possuem membranas duplas: uma da bactéria original e uma da célula que a envolveu. Legal, né? O mais importante sobre os plastídeos são os cloroplastos, os quais convertem luz solar em açúcar e oxigênio, algo que a planta não precisa, então ela elimina. Todas as partes verdes de uma planta, as folhas, os galhos, a casca verde da laranja, são todas preenchidas com células que contêm cloroplastos. São eles que produzem comida e oxigênio para você. Eu tenho certeza que você está muito agradecido por isso! Outra grande diferença entre células de plantas e animais é o vacúolo central. Plantas podem puxar água para dentro dos vacúolos, que dão turgor para célula e assim reforçam a parede celular, que já é dura, fazendo a planta ficar rígida igual a um monte de aipo. Geralmente, quando o solo seca ou você guarda o aipo na geladeira por muito tempo, suas células perdem água. O turgor diminui, e a planta seca e fica mole. O vacúolo é uma espécie de armazém para a célula. Pode conter água, a qual a planta precisa, e também outros compostos que a célula pode precisar. Também pode conter coisas para exportação, que a célula não precisa mais, como resíduos. Algumas células de animais também possuem vacúolos, mas eles não são tão grandes e não têm essa função importante de dar forma. Agora, vamos revisar o básico sobre a anatomia das células das plantas. Primeiro: elas têm uma parede celular composta de celulose, o que as faz ser muito rígidas. Segundo: elas têm um núcleo envolvido em sua própria membrana, que é separado de todas as outras organelas. Isso é basicamente o centro de produção de todas as células eucariontes, é onde toda a informação genética é armazenada, dando acesso ao diretório de atividade da célula, informando quando e como crescer, separar, reproduzir, todas essas coisas. Células animais também possuem esse núcleo, mas procariontes, não. Por isso, eles estão por aí presos em poços de óleo. Terceiro: elas possuem plastídeos, incluindo cloroplastos, os quais são máquinas verdes que produzem comida. Quarto: elas possuem um vacúolo central que armazena água e outras coisas, e ajuda a dar o suporte estrutural para a planta. Então, você empilha essas células uma em cima da outra, como apartamentos em um complexo, e aí você tem uma planta. Todas essas características únicas é o que possibilita às plantas colocar comida em nossa mesa e ar em nossos pulmões. Na próxima vez em que vir uma planta, vá em frente e aperte a sua mão. Agradeça a ela por seu trabalho árduo e duro!