If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:49

Transcrição de vídeo

RKA9MB - Oi, pessoal! Neste vídeo, eu vou passar para vocês o panorama geral da comunicação celular. Quando a gente fala em comunicação, nós temos, basicamente: um emissor, um receptor, uma mensagem e uma resposta. Então, na comunicação celular, o nosso emissor vai ser a célula, o receptor vai ser uma outra célula, e a mensagem pode ser um composto químico, um elemento químico que vai eliciar uma resposta na célula, que pode variar bastante; mas, basicamente, essa resposta vai ser uma inibição ou ativação de algum processo bioquímico que ocorre na célula. Um dos tipos de comunicação celular ocorre por contato direto. Bom, aqui nós temos duas células. Essa aqui vai ser a nossa célula emissora, e ela tem várias moléculas que vão ser passadas para a célula vizinha; e essas moléculas passam por meio dessas junções "gap" (nós chamamos de junções "gap" quando elas estão nas células animais, ou plasmodesmos quando estão nas células vegetais), e vão para outra célula, para a célula receptora. E, aqui, nesta célula receptora, elas eliciam algum tipo de resposta. Um outro tipo de comunicação que ocorre por contato direto acontece entre células que têm proteínas de membrana complementares. Então, vamos supor que nós tenhamos aqui duas células que estão lá na corrente sanguínea. A proteína desta célula aqui é complementar à proteína dessa célula. Claro que, aqui, essa proteína, eu desenhei de uma forma bem ilustrativa, não é exatamente assim, nem o tamanho nem o formato dela. Mas, então, quando isso acontece, a proteína se modifica de alguma forma, e isso desencadeia uma resposta na célula. E também pode acontecer uma resposta nessa célula. Então, quando as proteínas interagiram, a conformação delas mudou e isso ativou uma cascata enzimática, ou um processo celular, uma inibição ou uma ativação de algum processo que nós chamamos de resposta. Mas nem toda comunicação acontece por contato direto. Por exemplo, vamos ver aqui. Temos aqui, por exemplo, uma célula que liberou um composto químico no meio. Então, se uma outra célula tiver o receptor adequado para essa molécula, o que acontece? Quando essa molécula atingir o receptor da célula, vai acontecer aqui uma resposta como consequência. Então, essas moléculas, quando chegam em uma célula que tem um receptor para elas, vão eliciar uma resposta nessa célula receptora. Isso pode acontecer em distâncias curtas, ou pode acontecer em distâncias longas também. Vamos supor, então, que esses compostos caiam na corrente sanguínea. Na corrente sanguínea, elas podem sair de um ponto e chegar em células mais distantes, que também têm aquele receptor compatível com aquela molécula, e isso também vai produzir uma resposta. Essa comunicação que acontece aqui em distâncias curtas é chamada de parácrina. E a comunicação que acontece em distâncias longas nós chamamos de endócrina. E essas moléculas aqui no sistema endócrino podem ser esteroides, podem ser proteínas... nós chamamos de hormônios (são os hormônios; bem conhecidos). E veja como essas interações são complexas: uma substância produzida por uma célula pode afetar ela mesma. Se ela tiver receptores específicos para aquela molécula, essa substância que ela produziu pode afetá-la. É um sistema de retroalimentação, e nós chamamos esse processo de autócrino. Então, parácrina é quando acontece à curta distância, endócrina é a comunicação de longa distância, e autócrina (ou sistema autócrino ou sinalização autócrina) é quando acontece da célula para ela mesma. E só para vocês saberem: essa proteína que reconhece o sinal (a mensagem, a nossa molécula que foi liberada aqui pela nossa célula emissora) é chamada de receptor. A molécula em si nós chamamos de ligante, porque é ela que se liga ao receptor. E esse processo que leva à resposta nós chamamos de transdução do sinal... deixe-me ver se dá para escrever aqui... do sinal. E são termos que se aplicam a todos os tipos de comunicação: à curta distância, à longa distância, ou autócrino. Bem, pessoal, e esse foi o panorama geral da comunicação celular. Outros vídeos vão explorar em mais detalhes cada um desses processos, principalmente aqui o sistema endócrino, que trata da comunicação à longa distância entre as células. Espero que vocês tenham gostado. E até o próximo vídeo!
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen