Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:14

Transcrição de vídeo

RKA - Vamos conversar um pouco sobre o ciclo da água. Todos nós estamos familiarizados com ele. Na verdade, todos nós fazemos parte do ciclo da água, em todos os momentos de nossas vidas. Podemos não totalmente apreciá-lo. Então, vamos apenas pular no ciclo. vou começar com a evaporação. Então, nós poderíamos começar com a superfície do oceano aqui ou com este rio, ou com este lago. Em qualquer momento, vai haver água evaporando fora dessas superfícies. As moléculas de água que estavam em seu estado líquido, apenas tem energia suficiente para saltar, e então entrar no estado gasoso. E água em estado gasoso, nós vamos chamar de vapor de água. E assim, o vapor de água vai subir. Provavelmente com o ar que foi aquecido na superfície devido ao sol, e outras dinâmicas mais complexas em jogo. Mas à medida que ele sobe, como a temperatura global esfria, o vapor de água se condensará em pequenas gotas. Ele vai se condensar em torno de pequenas partículas de ar, pequenas partículas de poeira, que nem sequer podemos ver com os nossos olhos. E isso é que formam as nuvens. Portanto, são pequenas gotas, e a água volta na forma líquida. Não são moléculas de água individuais mais. Agora, elas são capazes de interagir umas com as outras, e elas estão se condensando em torno dessas partículas de poeira microscópicas, para formar essas gotas de água. E se estiver frio suficiente, elas também podem formar neve. E se estiver frio suficiente, elas podem formar pequenos cristais de gelo. E isso que as nuvens são. Nós vemos aqui que elas estão falando de transporte. E ver nuvens, essas nuvens estão se movendo com o vento, e assim, elas poderiam estar movendo todas essas gotas. E quando essas gotas ficam pesadas o suficiente, elas precipitam. Agora elas podem precipitar de volta para onde começamos. Elas poderiam voltar para o mar, ou poderiam ir para a montanha aqui. E desde que o ar estiver frio suficiente, e estiver nas condições certas, as moléculas de água podem precipitar na forma de neve, e pode ficar a neve ali ou gelo. Mas, eventualmente, pode começar a aquecer. Ou pode não aquecer, mas se o gelo ou a neve são aquecidos, eles derretem. Então, haveria o escoamento de neve, e isso é o que você está vendo aqui. Se a chuva está caindo nessa área, significa que não é frio o suficiente para as moléculas de água serem transformadas em neve. A maior parte dessa água percola para baixo do solo. Assim, a maior parte vai para baixo. Nós olhamos em torno de nós, e vemos esses rios e lagos, e dizemos: há muita água lá. Mas acontece que é há muito mais água dentro do solo, e obviamente no oceano. Vamos falar sobre isso daqui a pouco. Então, você tem toda essa água que forma esses aquíferos subterrâneos. Mas alguns deles acabam nesses lagos, e esses lagos são formados, geralmente, em uma situação em que o solo já está saturado de água. Ou há tipos adequados de rochas que contenha água aqui em cima. Da mesma forma que os rios são formados pelo escoamento, pelo derretimento da neve. Em geral, se você ver um riacho um rio perto da sua casa, especialmente quando chove, ele enche. É uma boa indicação de que as águas subterrâneas estão saturadas e água está correndo no rio. No geral, o ciclo da água é assim: você tem evaporação, condensa em nuvens e, eventualmente, precipita e continua dessa forma. Agora, é claro que há outros atores em jogo, você tem por exemplo, as plantas. As plantas captam água abaixo do solo até onde as suas raízes vão. E usa essa água para transportar nutrientes debaixo do solo para cima das folhas. Ela também usa aquela água como parte do processo de fotossíntese, que estudamos em muitos vídeos. Muita da água é transpirado. Então, isso é transpiração, essencialmente evaporar a água das folhas. Aqui você vê a palavra sublimação. Isso ocorre quando a água na forma sólida, ou seja, na forma de gelo, se transforma em gás ou vapor de água. Isso vai acontecer em situações onde está frio e muito, muito, muito seco. Em geral, com baixa pressão, assim ao invés de entrar no estado líquido, então, as moléculas de água começam a sair como vapor de água, e, é claro, como eu disse, nós somos parte disso. Bem, como somos parte disso? Vamos beber um pouco dessa água fresca. Nossos corpos são na verdade, principalmente água. As células em nossos corpos são 70% de água. Tudo o que estudar em biologia a água vai ser um elemento chave para que todos os processos ocorram. Então, usamos aquela água, então vamos tirar água do nosso corpo. Então usamos aquela água, e vamos tirar a água do nosso corpo e assim fazemos parte desse ciclo. Agora, uma coisa que eu acho realmente interessante é como um organismo é dependente de água doce. Quando as pessoas dizem "água doce" estamos falando de água sem sal, em vez de ser água salgada. E então, nós realmente precisamos de água doce nesse lago, ou neste rio. Ou podemos cavar poços, para que possamos tirar a água desses aquíferos. Na verdade, verifica-se que muito pouco da água do mundo, é água doce. Então deixe-me mostrar esse gráfico aqui. Eu sempre soube disso, mas nunca soube o quão pouco de água doce há no mundo. Assim, de toda a água em nosso planeta, 97,5% o é água salgada, em sua maior parte em nossos oceanos. Apenas 2,5% é água doce. E mesmo que seja 2,5% de água doce, muito pouco disso é o que tradicionalmente associamos como água doce: os lagos e os rios. Quando penso em água doce vou dizer: olha, deixe-me ir a um lago ou a um rio. Isso é coisa que poderíamos beber, mas a maior parte é na verdade, geleiras e coberturas de neve permanente. Então é gelo e neve, e não está derretendo. Isso faz você pensar sobre o que aconteceria se as coisas fossem derreter. E então, você também tem água do lençol freático, que poderíamos ter acesso, e é por isso que as pessoas cavam poços. Então, falando em poços, a água do solo inclui a umidade do solo, a água de pântanos, e o gelo permanente do solo. Muito pouco da água está realmente em lagos e rios, o que eu pessoalmente, acho fascinante. Não era óbvio para mim, antes de eu ver este gráfico. Agora outra coisa que eu acho realmente interessante é quanto tempo, em média, as moléculas de água podem permanecer em diferentes partes desse ciclo de água. Voltando aqui, você pode imaginar uma molécula de água, pode ficar por um tempo muito longo no oceano. Especialmente, você sabe que ela vai estar se movendo. Dependendo das correntes oceânicas, e da temperatura, e tudo isso. E poderia permanecer nessa forma líquida nesse oceano por muito tempo. E talvez, gaste menos tempo em uma nuvem. E as pessoas realmente estudaram isso, o que eu acho fascinante. Eu estaria curioso para descobrir como eles realmente obtêm esses dados. Este, é o tempo médio de permanência das moléculas de água. E você pode ver aqui que a água pode permanecer em geleiras, e gelo permanente no solo por muito tempo. Nós estamos falando que poderia ser até 10 mil anos. E estas, são todas estimativas. Pode permanecer no lençol freático, em qualquer lugar, de duas semanas a 10 mil anos. Eu acho que dependendo de quão isolado está o lençol freático. Nos oceanos e mares, como é água salgada, pode ficar por quatro mil anos, e podemos olhar para todos esses. Dentro de organismos vivos, uma molécula de água ficaria em torno de uma semana. Ficaria cerca de uma semana na atmosfera, começando como vapor de água girando em uma nuvem. Precipitando, ficaria em média, uma semana e meia. E mais uma vez, essas são médias, estimativas. Isso não significa que cada molécula de água fica exatamente uma semana e meia na atmosfera. Mas é uma coisa muito interessante se pensar, faz até um pouco de sentido. Bem, esse é o ciclo da água, e como tudo funciona em conjunto para formar este ciclo.
Biology is brought to you with support from the Amgen Foundation