If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Como a biodiversidade é distribuída globalmente

Transcrição de vídeo

RKA - A vida está em toda parte. É difícil encontrar no planeta um lugar que não haja vida. Às vezes, você tem que olhar um pouco mais de perto. Um lugar onde você encontra vida e não esperava encontrar, está a um par quilômetros de gelo. Se você ir para baixo da Antártica, que é um dos meus lugares favoritos, as folhas de gelo são muito grossas. E basicamente composto de neve, que continua a cair compactando, e compactando, e compactando, até que todas as imperfeições sejam corrigidas. Essas enormes folhas de gelo se formam porque a neve nunca derrete. A pressão é tão grande que a água abaixo das placas de gelo nunca fica sólida. E assim, se forma uma camada de água conhecida como lago Vostok, que se forma abaixo das camadas de gelo. Recentemente, um grupo de geólogos russos fizeram uma perfuração. Eles utilizaram uma broca para perfurar o gelo, para provar o curso de água lá embaixo e o lago Vostok. E adivinha o que eles encontraram? Eles encontraram evidências do que poderia ser um ecossistema com muitas espécies de bactérias. E talvez, outras formas complexas de vida, que eles acreditam que não caíram com equipamento de perfuração. E se este extremo não é o suficiente para você, podemos ir para o outro extremo. Para lugares que são realmente muito quentes. Um exemplo famoso, são as incríveis caldeiras ferventes borbulhantes de água, no meio do parque Yellowstone. Você pode fazer esses passeios fantásticos. Todas essas piscinas e essas cores são produzidos, em parte, por minerais e, em parte, por microorganismos. Tais como bactérias enormes. Estamos falando de organismos que podem suportar mais de 80 graus Celsius ou 180 graus Fahrenheit. Uma pergunta que os cientistas fazem é: qual é a temperatura superior para o nível de tolerância da vida? Uma questão que eu acho que precisamos olhar aqui, quando falamos sobre vida de todos os lugares, é que estamos falando de algo chamado biomassa. Estamos falando sobre os diferentes tipos de organismos que vivem em lugares. E o número desses organismos combinados nos dão o peso ou a massa desses organismos em um determinado lugar. Quando eu digo que a vida está em toda parte, ela está em toda parte mesmo. A Terra é também abundante em alguns aspectos. É tipo um planeta vivo. Eu deveria ter dito isso antes. Um segundo ponto importante é que a vida não é distribuída uniformemente. Há intervalo de habitats e distribuições, que são característicos para cada espécie na Terra. Essas são características de qualquer organismo que podem ser estudadas. O alcance pode ser grande, o alcance pode ser pequeno, mas cada espécie de cada tipo de organismo tem um lugar específico, ou lugares na terra que ele chama de casa. Um dos meus exemplos favoritos de que precisamos tomar cuidado com o que estamos dizendo sobre intervalos ou distribuições de organismos, são os comerciais de refrigerante, em que você vê os pinguins em conformidade com os ursos polares. O único lugar que isso poderia acontecer seria em um zoológico, e tenho certeza que os cuidadores de zoológico não ficariam muito felizes com isso. Os ursos polares ocorrem no hemisfério norte, em direção ao polo norte. Ao passo que os pinguins ocorrem no hemisfério sul, em direção ao polo sul. Assim, na natureza, eles não se misturam, porque eles possuem alcance diferentes. O estudo do fenômeno de distribuições de espécies é chamado de biogeografia. Onde "grafia" significa descrever por meio de medições. "Geo" significa terra, e "bio" significa vida. E o que estamos realmente estudando é onde a vida ocorre na Terra. E nós estamos descrevendo como esses padrões se parecem. E como ele vem a ser isso, nos traz de volta ao conceito de riqueza de espécies, que mencionamos anteriormente. Quanto aos tipos de espécies, ficam em um lugar específico que queremos medir. A riqueza de espécies é um desses padrões da biogeografia. Temos formas diferentes de medir a riqueza de espécies. Nós saímos e fazemos pesquisas, coisas assim. E descobrimos que em algumas áreas há maior riqueza de espécies e em outras há menor riqueza de espécies. E também, haverá variação na medição que diferentes pessoas estão fazendo, com cada espécie, bem como os tamanhos da população. Basta saltar no carro, e dirigir em qualquer lugar, que você verá a distribuição desigual dos organismos. E no número de organismos que estão em cada lugar. Vamos começar a nossa viagem ao longo da Tundra Ártica. Embora seja um deserto gentil, lá você tem um ecossistema completo. Existem diferentes tipos de organismos que contribuem para esse ecossistema. Mas o número de espécies, é na verdade, relativamente baixo. Exceto pelos minúsculos organismos de tamanho microscópico, você poderia ver a maioria das espécies que ocorrem na tundra, a partir da janela do seu carro. Vamos dirigir para baixo do istmo do Panamá. Vamos entrar na região Amazônica. Você poderia olhar para fora da janela do seu carro. Você veria que a diversidade é demasiado grande para compreender, olhando pela janela do seu carro. Os tipos, números, variações e distribuições de organismos são quase incontáveis. Estamos trabalhando na tentativa de contá-los, mas é um grande desafio para a ciência. Na Amazônia, estamos falando de uma enorme riqueza de espécies. O mesmo poderíamos dizer se você mergulhar à direita da Califórnia. É um lugar fantástico. É um mergulho maravilhoso, e podemos ver muitos e muitos organismos. Mas, agora, vamos pensar num lugar confortável onde a água é mais quente. E você vai e mergulha nas Filipinas. A diversidade, e a riqueza de espécies e até mesmo a biomassa de organismos que você vê nos corais de recife nas Filipinas, é muito maior do que você vê em qualquer costa rochosa da Califórnia. Essa é uma demonstração de que podemos ver diferenças nos padrões, não só nos ambientes terrestres, mas também nos ambientes aquáticos. Bem, a vida está em todo lugar na Terra. É apenas mais abundante em alguns lugares do que outros.
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen