If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:12

Transcrição de vídeo

RKA11E - No vídeo de introdução à ecologia, nós vimos a ideia de comunidade, que são diferentes populações que estão no mesmo habitat, ou que estão na mesma área. Essas populações e se estamos pensando em termos de água, ou no ar, poderiam ser populações que compartilham um volume semelhante, populações compartilhando um habitat. Em particular neste vídeo, nós vamos focar nas interações entre essas populações, as interações entre as diferentes espécies. O termo técnico para isso é interações interespecífico, mas eu gosto de dizer apenas interação entre espécies. O que muitas vezes pensamos primeiro, é na noção de competição. E isso ocorre quando populações diferentes, espécies diferentes estão competindo pelos mesmos recursos. Você pode imaginar uma floresta, onde você tem diferentes populações de plantas, que estão competindo pela luz do sol, que estão competindo por água, que estão competindo por nutrientes no solo. Mesmo nessa imagem aqui, essa é uma imagem de uma comunidade. Todas essas populações diferentes de peixes e outras coisas, como as anêmonas, o coral, eles estão compartilhando essa mesma região, e muitos deles poderiam estar em competição uns com os outros. Eles podem estar indo atrás da mesma comida ou eles podem estar indo atrás de um mesmo lugar para abrigo. E muitas vezes, quando as pessoas estão falando sobre essas interações interespécies ou interespecífico, você vai ver algo como isso: um menos barra menos, ou um sinal negativo barra um sinal negativo. Isso significa que esse tipo de interação é quando você tem duas espécies ou duas populações, que estão em concorrência uns com os outros. E um vai ter um efeito negativo sobre o outro, e vice-versa. Se eu sou uma planta, se eu estou em competição com outra planta que está tomando a minha luz do sol, e se há mais coisas ainda a tomar do que a luz, vai ver o impacto negativo sobre mim e vice-versa. Se eu estou competição com você, e nós comemos a mesma coisa, quanto mais de mim houver ao seu redor comendo da sua comida, haverá um impacto negativo sobre você. A próxima forma de interação interespecífica é a predação. E isso ocorre quando uma população come indivíduos de uma outra população. E você pode muitas vezes associar a predação com imagens como esta, que você vê em programas de televisão, em documentários que é quando aparece uma chita caçando o que parece uma gazela, um cervo ou algo do tipo. E isso é a predação. Mas essa não é a única forma de predação. Olha essa imagem de uma cabra comendo grama, isso também a predação. Não é tão sangrenta e tão violenta, mas ainda é predação, porque você tem uma espécie comendo a outra. Nesse caso, você tenha um animal, a cabra, que está comendo a grama. Esse tipo de de predação é então um tipo específico de predação, que é chamado de herbivoria, mas continua sendo um tipo de predação. Então, poderíamos dizer que é predação/herbivoria. E esse é um caso especial de predação. E muitas vezes nesse caso, você vai ver - / +. Quanto mais você tem dessa espécie, a espécie que está sendo comida, mais você vai beneficiar o predador. Mas quanto mais predador você tem, maior é o efeito negativo sobre a presa. Os próximos tipos de interação são aqueles de longo prazo, são interações bastante íntimas, onde você tem organismos que por muito tempo vivem uns com os outros, ou muitas vezes vivem dentro um do outro. E um termo geral para organismos que têm essas interações íntimas de longo prazo, é simbiose. Agora, na linguagem atual, quando as pessoas falam sobre simbiose, elas muitas vezes estão falando sobre organismos que realmente beneficiam um ao outro, mas tecnicamente, a simbiose não é apenas sobre benefícios. Pode ser que eles estejam ferindo um ao outro de alguma forma, ou que talvez não se beneficie em quanto o outro realmente não se importa. E assim, há vários tipos de simbiose. O primeiro que podemos citar é o parasitismo. E ele se parece muito com a predação, onde quem mais se beneficia é o parasita, mais o que o hospedeiro. O hospedeiro na verdade, acaba sendo ferido pelo parasita. E é todos os tipos de exemplos de parasitismos. Vamos dar uma olhada aqui nessa imagem, está vendo? É um piolho. Mas porque isso é parasitismo? Nós chamamos o piolho aqui de parasita, e eles se beneficiam por viver em seu cabelo, porque é onde fica o alimento deles e eles podem viver no seu couro cabeludo. Ele recebe então sua comida sugando seu sangue. Ele também pode colocar ovos no seu cabelo. De alguma maneira, você poderia dizer que o seu cabelo é comi um abrigo para o piolho, em relação ao resto do ambiente. Mas isso é negativo para você, ele vai fazer você ter coceira, ele está tomando o seu sangue, é super desconfortável. E assim, o parasitismo mais uma vez, é bom para o parasita, assim como a predação é bom para o predador. Mas não é tão bom para o hospedeiro. Agora você tem uma outra situação, que beneficia ambos os lados. Isso é chamado de mutualismo. Então, o mutualismo é quando ambos os lados se beneficiam, e muitas vezes, quando as pessoas falam sobre simbiose, elas estão na verdade falando sobre o mutualismo, que é um tipo específico de simbiose onde ambas as espécies ou ambos os animais e organismos se beneficiam. E não tem que ser apenas animais, aqui a gente tem o exemplo de mutualismo, onde a gente vê o peixe-palhaço que vive dentro da anêmona. A anêmona está fornecendo o abrigo para o peixe-palhaço. Enquanto o peixe-palhaço mantém afastado outros peixes que poderiam comer a anêmona. Então, ambos se beneficiam dessa interação, e é assim que acontece o mutualismo. Agora, você tem uma outra categoria, onde uma espécie está se beneficiando, e outro é talvez um pouco mais indiferente, e chamamos isso de comensalismo. E mais uma vez, há muitos exemplos de comensalismo. Bom, aqui nós temos uma imagem de bactérias que vivem em sua pele. E sim, você tem bactérias vivendo na sua pele agora, aceite isso. E verdade, bem, muitas vezes isso é uma coisa boa. Às vezes é o mutualismo fornecendo proteção contra bactérias nocivas, mas às vezes as bactérias estão certamente se beneficiando, elas estão vivendo dos nutrientes da sua pele. A sua pele é o habitat das bactérias, mas muitas vezes elas realmente não têm nenhum impacto em você. O comensalismo, muitas vezes o que nós mais estudamos, e o que mais entendemos, na verdade às vezes a gente percebe que o hospedeiro não está se beneficiando como no mutualismo, ou talvez, o hospedeiro esteja se machucando como no parasitismo. Então, muitas vezes, o conmensalismo não é totalmente neutro para o hospedeiro, mas poderia ser de qualquer maneira. E assim, esses são todos os diferentes tipos de interações. E eu quero encorajá-los a olhar ao seu redor, olhar para o mundo ao redor, e não apenas limitar-se ao animais, mas pensar também nas bactérias, pensar nas plantas, e pensar em seus habitats. Quais são as interações interespecíficas, e como você classificaria elas?
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen