Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

A biodiversidade floresce no Éon Farenozoico

Explosão Cambriana e biodiversidade no Eon Fanerozoico. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA - A terra está começando a ficar perto de ser hospitaleira para pessoas e animais. No último vídeo que vimos, durante o Éon proterozoico, o oxigênio começou a se acumular na atmosfera. Isso causou a primeira terra bola de neve, e a grande extinção em massa de seres anaeróbios. Com condições para células eucarióticas, e talvez ainda mais importante essas células seriam capazes de formar organismos multicelulares. E vai começar bem aqui neste gráfico. É claro, tudo isso é uma estimativa, com base nos registros geológicos. À medida que a tecnologia avança, esses números se modificam. Mas isso lhe dá um bom senso, baseado em nossa compreensão atual de quando essas coisas começam a aparecer. Coincidindo com a vida multicelular, isso é interessante por si mesmo, tendo um efeito de metanível sobre a evolução, começa a surgir a reprodução sexual. O que é interessante sobre isso? É interessante porque quando falamos de reprodução biológica, há um impacto muito grande sobre a evolução. Antes, a variação do DNA tinha de ser completada por mutações que continham DNA, e talvez alguns vírus. Agora, com reprodução sexual você tem uma mistura sistemática de DNA. E você tem mais variação em conjunto de genes, o que permite mais variação para a seleção, e isto fez com que houvesse uma espécie de aceleração no ritmo da evolução. Estamos falando, eu olhei várias fontes que dizem que em 1,2 bilhões, 1,5 bilhões, pouco mais de 1 bilhão, começa as formas de vida multicelulares, e a reprodução sexual. Outra coisa que nós falamos sobre o Éon proterozoico, é a acumulação de oxigênio, permitindo a criação da camada de ozônio. O ozônio é formado por três átomos de oxigênio. E até o final do Éon proterozoico, isso cerca de 550 milhões de anos atrás. Isso tudo é uma estimativa. A camada de ozônio era densa o suficiente para proteger a terra dos raios ultravioletas. Falamos disso no último vídeo. A Terra é bombardeada com raios ultravioletas e camada de ozônio é a única coisa que nos protege de ser irradiado pelo sol. E permite aos animais terrestres viver. Coincidentemente com o tempo de 550 milhões de anos atrás, a vida começa a colonizar a Terra. Isso significa a vida colonizando a Terra. O interessante, e eu fiquei surpreso quando li pela primeira vez, é que nós assumimos que as árvores e as gramíneas, por exemplo, colonizaram primeiro a Terra, mas pelo que eu estava lendo, as plantas não entram em cena antes de 450 milhões de anos atrás. Mais ou menos dezenas de milhões de anos atrás, e assim, estamos entrando agora no final do Éon proterozoico. A vida começou a colonizar a Terra. Nós temos agora uma camada de ozônio, e a outra era glacial na Terra, ou a terra é congelada até o fim do Éon proterozoico. E há um monte teorias, e de por que isso aconteceu e desapareceu. Talvez havia vulcões, gases do efeito estufa, quem sabe. Mas à medida que chegamos ao final, começamos a ver a vida florescer, e começa realmente a florescer. E isto foi no Éon fanerozoico, que nem está marcado aqui. Essas divisões aqui são éons, e aqui, eles quebraram um éon em eras. Tem centenas de milhões de anos. Essa é a era paleozoica, essa é a mesozoica, essa é a cenozoica. E esta, é realmente a nossa era atual. Talvez o mais interessante, não quero definir favoritos aqui. É um dos momentos mais interessantes da era geológica. É o primeiro período da era paleozoica, que é a primeira era do éon fanerozoico. E esse, é o período cambriano. Você provavelmente já deve ter ouvido sobre esse período. É durante este período de tempo, que a Terra experimenta o que chamamos de explosão cambriana. Isto, porque houve uma explosão no número de espécies e de gêneros, aumentando assim, a biodiversidade no planeta. Por termos a camada de ozônio protegendo, eles foram colonizar a Terra. Era um ambiente rico em oxigênio. Vemos organismos multicelulares complexos. É sobre esse tempo que avança rápido, dezenas de milhões de anos, que começa haver o primeiro peixe, os primeiros pré-anfíbios, ou os proto-anfíbios. Avança um pouco mais à medida que sai do período cambriano. Começamos a ver plantas, vou desenhá-las bem aqui. Para mim, a grande surpresa, é que aquilo que achamos fundamental para a vida na terra, é um fenômeno recente. Não havia plantas a 450 milhões de anos. Insetos não estavam na terra ou existiam há 400 milhões de anos, nenhum réptil há 300 milhões de anos, nenhum mamífero há 200 milhões de anos. Nem pássaros há 150 milhões de anos. Toda a era dos dinossauros que consideramos um passado distante, é a era mesozoica. Essa, é a idade dos dinossauros. Quando olhamos o relógio do tempo, vemos um período de tempo até recente, e ele termina, segundo acreditamos, com uma enorme pedra, com seis milhas de diâmetro que colide agora na península de Yucatán, no México, na costa direita da península. E destruiu os grandes animais terrestres. Especialmente os dinossauros. Colocando tudo isso em perspectiva, a única coisa que realmente foi um momento de surpresa pra mim, é que não havia plantas há 450 milhões de anos atrás, algo que eu vejo como fundamental para a natureza. Estima-se que a grama surgiu entre 40 e 70 milhões de anos atrás. A grama é relativamente nova no planeta. Flores estiveram há 130 milhões de anos. Houve um tempo que havia dinossauros, mas não havia flores, e nem grama. Para avançar por todo o caminho. Quando olhamos esse esquema. É engraçado ver onde os dinossauros apareceram. A linha marrom indica quando os mamíferos apareceram. Os dinossauros apareceram com os mamíferos. Então, os dinossauros morrem aqui. Provavelmente os nossos ancestrais devem ter cavado buracos quando o meteoro caiu, e guardaram comida nestes buracos. Ninguém sabe ao certo, como eles não foram afetados. A maioria dos grandes mamíferos foram, mas o que é humilhante, quase irônico, quando você olha para esse gráfico. Eles colocaram um pontinho que você quase não vê. Isso marca 2 milhões de anos atrás, os primeiros humanos. E eles estão sendo generosos quando eles dizem primeiros humanos. Porque esses provavelmente seriam os primeiros pré-humanos. Não existiam até 200 mil anos atrás. De 200 a 400 mil anos atrás. Isso é realmente, um tempo generoso para os primeiros humanos, 200 mil anos atrás. Só para dar uma ideia de como somos novos como nossa evolução é recente, só foi há 5 milhões de anos atrás. Eu mencionei isso em um vídeo anterior. Foi há 5 milhões de anos atrás que surgimos. É só para ter noção. Isso é 0 anos, o homo sapiens só surgia há 200 mil anos. Os neandertais eram espécies primas, não eram nossos antepassados. As pessoas acham, por serem primos, que nós viemos da mesma raiz. Embora existam teorias que misturam homo sapiens, então talvez, alguns de nós tenhamos DNA de neandertal. Isso não é como um insulto, eles tinham cérebros bem grandes, não grandes cérebros. Eles tinham grandes cabeças, na verdade. Nós sempre tendemos a retratá-los assim, como inferiores, mas eu não quero entrar nessa discussão e retratar os neandertais. De qualquer maneira, é um pequeno período de tempo. Depois de dois milhões de anos, começam os nossos antepassados pré-humanos. É a nossa árvore genealógica dos chimpanzés. 5 milhões de anos atrás, se você desenhar esse relógio, seria como 2 pixels. Talvez nem mesmo 2 pixels, é quando divergimos dos chipanzés. Espero que isso dê um sentido nas coisas. Pra mim, põe as coisas bem em perspectiva.