Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:56

A camada de ozônio e os eucariontes aparecem no Éon Proterozoico

Transcrição de vídeo

RKA - Partimos no último vídeo do Éon arqueano, onde "Arque" vem do grego antigo. Significando início ou origem. E Éon é onde a vida começa a existir. Ou pelo menos é o momento que começa a florescer um pouco. É possível que talvez a vida comece a existir no final do Éon hadeano, e é claro, essa fronteira é grande. O arqueano é o primeiro Éon onde ainda temos pedras daquele tempo, portanto somos capazes de encontrar rochas que podem datar mais ou menos 3,8 bilhões de anos. A outra coisa realmente interessante que aconteceu no Éon arqueano, e que afeta profundamente o Éon proterozoico, é que você começa a ter cianobactérias que produzem oxigênio. Como vimos no último vídeo, elas estavam produzindo oxigênio, mas a maioria desse oxigênio estava sendo absorvido pelo ferro nos oceanos. Mas o que acontece quando entramos no Éon proterozoico? Estamos agora no Éon proterozoico, isso começa há cerca de 2,5 bilhões de anos e o proterozoico que vem do grego "vida anterior". Eu não sou estudioso do grego, perdoem-me se estiver fazendo uma tradução equivocada. Mas o que realmente é interessante sobre o Éon proterozoico, é que aquele oxigênio estava sendo produzido por cianobactérias. Em algum ponto, esse oxigênio começa a saturar o ferro. Qualquer outra molécula de ferro poderia ter absorvido o oxigênio antes, e quando o oxigênio está saturado, ele começa a ser liberado na atmosfera. Assim, o oxigênio começa a ser liberado e acumulado na atmosfera. Achamos que isso começou a acontecer há cerca de 2,4 bilhões de anos. Assim, 2,4 bilhões de anos atrás, o oxigênio começa a se acumular na atmosfera, e claro, você sabe que essa é uma estimativa, que pode variar em torno de algumas centenas de milhões de anos. Mas essa é a compreensão atual de quando as coisas aconteceram. Às vezes, olhando para os registros geológicos, e os registros fósseis, nós mudaremos essas estimativas no futuro. Eu só posso imaginar que daqui a 50 ou 100 anos alguém assistindo esse vídeo possa dizer: É, agora descobrimos que é mais tarde que o oxigênio começou a se acumular na atmosfera. Mais cedo ou mais tarde que os seres eucariontes começaram a surgir. Mas isso é o melhor que eu posso dizer. É o nosso entendimento atual. 2,4 bilhões de anos atrás, o oxigênio começa a ser acumulado na atmosfera. E o que é interessante sobre isso, é que uma vez que ele acumula na atmosfera, em uma quantidade crítica, cerca de 2,3 bilhões de anos atrás, temos algo chamado de "grande evento de oxigenação". Às vezes chamado de "catástrofe do oxigênio". Cerca de 2,3 milhões de anos atrás, a atmosfera fica rica em oxigênio. Não tão rica como a atmosfera atual, mas torna-se suficientemente rica em oxigênio para que pelo menos o meio ambiente torne-se adequado para os seres eucariontes ou a célula eucariótica. Agora, outra coisa interessante, que talvez não nos importe muito, sobre o que precisamos saber sobre o oxigênio, é que provavelmente foi o maior evento de extinção da terra. Isso é o que se chama de catástrofe do oxigênio. Assim, bem aqui, 2,3 bilhões de anos atrás ocorreu o maior evento de extinção na história da terra. Isso é por causa das cianobactérias que produzem muito oxigênio. E, eventualmente, saturam o ferro. O oxigênio começa a se acumular no ar. Uma vez que chega em concentração suficiente, o oxigênio começa a sufocar. Ele é venenoso para a maior parte dos organismos que viviam no planeta nesse momento. Que eram seres anaeróbicos, que não precisavam de oxigênio. O oxigênio era realmente venenoso para esses seres. Agora, como temos oxigênio, há duas coisas interessantes que aconteceram. Uma vez que o oxigênio acumulado causou a extinção em massa. Há três fatores interessantes, na verdade, e dois deles são realmente cruciais para que aparecêssemos no planeta. O primeiro deles é que o ambiente torna-se adequado para os seres eucariontes existirem. Lembre-se que esses são organismos que têm membranas nucleares ao redor de seu DNA. A maioria dos seres eucariontes tem organelas como a mitocôndria Estes seres precisam de oxigênio. Em biologia, falamos sobre a respiração que ocorre nas mitocôndrias. E que obviamente é um processo que precisa de oxigênio. Então, quando começou a ter o oxigênio na atmosfera, o ambiente ficou adequado para os seres eucariontes. Isso tudo baseado nos registros fósseis, em que percebemos que o DNA mudou com o tempo. Vou fazer mais vídeos sobre isso. Achamos que os primeiros seres eucariontes apareceram em 2,2 bilhões de anos atrás. Embora haja alguns debates sobre isso. Há evidências de que poderia ter sido um pouco mais cedo, ou um pouco mais tarde. Tenho certeza de que o número será redefinido, mas você sabe, algumas centenas de milhões de anos atrás, um procarioto foi englobado por um outro procarioto e disse: "Ei, podemos viver bem juntos". A teoria mais aceita atualmente, é de que a mitocôndria é descendente de uma célula procariótica, uma bactéria. Na verdade, o DNA mitocondrial foi transmitido de sua mãe. E da sua avó para sua mãe, e da sua tataravó. É um tipo de pequeno animal que vive dentro de uma célula maior, e nós somos seres eucariontes. Precisávamos que isso acontecesse. O corpo humano não é uma célula eucariótica. Somos compostos de trilhões. Estima-se que de 50 a 100 trilhões de células eucarióticas. Então, esses são nossos ancestrais. Mais uma vez tudo está acontecendo dentro dos oceanos. Uma outra coisa interessante que aconteceu... Lembre-se que estávamos sendo bombardeados com a radiação ultravioleta do sol Portanto, se você estiver na terra, então aqui está o oceano. E aqui o continente, em amarelo. Se você está na terra, você é constantemente bombardeado com a radiação ultravioleta. Assim, é constantemente bombardeado com a radiação ultravioleta do sol, o que é muito inóspito ao DNA, e para a vida. Assim, a única vida neste momento, poderia acontecer no oceano, onde foi protegido em algum grau da radiação ultravioleta. A terra estava descoberta para a radiação ultravioleta. Qualquer coisa na terra foi radiado, o DNA seria mutado. Simplesmente, não seria capaz de viver. Então, o que eu acho que tinha que acontecer, e a razão pela qual somos capazes de viver na terra, é que temos uma camada de ozônio. Temos uma camada de ozônio na atmosfera superior. O que ajuda a absorver, e bloqueia a maior parte da radiação ultravioleta do sol. E agora, o oxigênio começou a se acumular. Tivemos a catástrofe de oxigenação, e o oxigênio se acumula na atmosfera. Parte desse oxigênio, entra na atmosfera superior. Ele entra na atmosfera superior, e reage com a luz ultravioleta para se transformar em ozônio, que pode ajudar a bloquear a luz ultravioleta. Eu vou fazer outro vídeo sobre o ciclo ozônio oxigênio. Assim, essa produção de oxigênio é crucial para ter uma camada de ozônio. Para que eventualmente a vida possa existir na terra. Também é crucial porque os organismos eucarióticos precisam de oxigênio. Agora, a terceira coisa que aconteceu é também um evento significativo. Acreditamos que o oxigênio que começou a acumular na atmosfera reagiu com o metano, e o metano é um gás de efeito estufa. Ele ajuda a manter o calor na atmosfera. Uma vez que o oxigênio reage com o metano, e começa a cair da atmosfera, acreditamos que a terra esfriou, e entrou em sua primeira. E algumas pessoas acreditam que seu período mais longo de bola de neve. Então é disso que eles falam neste diagrama. A primeira terra bola de neve. Às vezes é chamado de glaciação ucraniana. Isso aconteceu porque a terra não manteve calor. Se essa teoria estiver correta, é claro. Assim como diz a teoria, a terra inteira simplesmente congelou. Assim, como passamos pelo proterozoico, com base nos marcadores, essa é a primeira vez que temos uma atmosfera rica em oxigênio. Primeira vez que os seres eucariontes podem vir a existir, porque agora eles têm oxigênio, eu acho que podemos dizer, para respirar. A outra grande coisa é que este é o lugar onde o ozônio é formado. Ele é tipo um conjunto de palco para o próximo Éon. Para que animais e outros seres vivos consigam ir para a terra. Vou falar sobre isso no próximo vídeo
Biology is brought to you with support from the Amgen Foundation