Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:11:33

Células apresentadoras de antígenos e os complexos MHC II

Transcrição de vídeo

no primeiro vídeo sobre imunologia eu falei sobre mecanismos específicos de defesa e disse que se tivéssemos algum tipo de patógenos digamos uma bactéria nossos fagócitos poderiam reconhecer cada uma de suas proteínas ou se fosse algum outro tipo de patógenos alguns dos marcadores para esse patógeno ele não sabe que tipo de patógenos ué mas que é capaz de fogos citá los eles envolvem o agente patogênico digamos que estes sejam os rostos um dos seus receptores liga se a uma das proteínas que está na superfície dessas bactérias e disputa não é uma boa coisa para ter por perto e ele vai envolver lá a membrana é apenas para envolver e se patógeno e vai englobando ela vai prender o agente patogênico que vai ser englobado e ser digerido fagô citado pelos fagócitos então o produto final que foi visto no primeiro vídeo que falamos sobre os favoritos vamos completar aqui assim a membrana vai englobar completamente ele vai comprimir englobar o patógeno então vamos ter o agente patogênico dentro do fagote tu ele vai sendo englobado por uma membrana e forma uma vesícula que é chamada de fogos soma essa bolsa chamada favor soma aprendemos que há diferentes tipos de pacotes poderia ser uma tropa algo poderia ser um neutrófilo poderia ser uma célula dendrítica são fundamentais no combate a infecções como na manutenção dos tecidos saudáveis do macrófago não só de jerry essa coisa isso por si só é muito útil e neutraliza a bactéria se for um vírus ele neutraliza esse vírus mas ele faz mais do que isso eles pegam depois lisão ou rompem as células infectadas que foram destruídas são removidas pelos fagócitos existem vários modos de fazer mas a idéia principal é processá lo ele vai romper o agente patogênico vimos que no vídeo sobre fagócitos vai haver uma fusão dele com o rizoma ea gestão de todos os tipos de partículas que serão quebradas e rompidas e neste caso uma bactéria até seus constituintes moleculares deixou desenhar isso aqui assim em seguida alguns detritos cadeias específicas de peptídeos lembre se as proteínas com longas cadeias de aminoácidos pode permitir de som cadeias curtas introduzimos cadeias curtas deles e eles vão se unir à proteínas especiais vão se unir à proteínas especiais e isto é um assunto desse vídeo digamos que se une a uma proteína especial unisse com essa proteína especial e aquelas proteínas que foram transportadas foram para a membrana ou para a superfície externa da célula apresentam-se junto com um pedaço do agente patogênico o produto final após a favor se tozzi desse a gente é que o fagote itu será algo parecido com isso e ele terá estas proteínas apresentadoras de antígenos eu acho que podemos chamá los assim pois elas aderem à parte deste patógeno original deixa eu fazer isso aqui portanto ela tem um pouco do patógeno original nele e eu desenhei em verde aqui essas proteínas são chamadas de complexo principal de histocompatibilidade é uma palavra enfeitada complexo principal de histocompatibilidade ou mhc para encurtar mas nós já conversamos sobre isso no vídeo anterior tá legal e quando estamos falando de fagócitos ou uma crosta aguçou células dendríticas que são casos especiais de fagócitos o complexo principal de histocompatibilidade que os reconhecem após ter ingerido essa molécula é um mhc de classe 2 deixou a notar isso aqui esta é uma proteína do mhc de classe 2 pode parecer que estou realmente indo para as minúcias do que são essas proteínas mas isso é fundamental para a ativação de outras partes do sistema imunológico sobretudo as partes da célula mediadas pelo sistema imunológico este é o caso de uma tropa ou de um detrito eles englobam alguma coisa fragmentam e em seguida parte do material ingerido retorna e adélia essas proteínas nhc 2 e estas vão para a superfície da célula a mesma coisa ou melhor dizendo uma coisa muito semelhante acontece com os linfócitos b se temos um linfócito b am e essa é uma boa cor para o bebê o azul sabemos que designe ficar bolsa mas poderia bem significar medula óssea digamos que temos um linfócito b e aderido à sua membrana temos um anticorpo isso tudo é muito específico para essas células b todos os anticorpos adquiridos a membrana todos os 10 mil ou mais neste linfócito b todos eles manifestaram a mesma parte variável portanto este é um linfócito b especial então lembre-se essa resposta foi específica quando falamos sobre fagocitose apenas diziam ah você é uma bactéria ou um vírus não seja de que tipo você é só vão ingerir você parece suspeito evangelino não sei que time você é ou se está ou já vi você antes quando estamos falando sobre linfócitos b estamos falando sobre o sistema imunológico adaptativo ou específico essas extremidades variáveis dos anticorpos adquiridos a membrana são específicas para certas partes de certos agentes patogênicos para determinantes antigênicos determinantes antigênicos são as partes e certos agentes patogénicos que essas cadeias específicas podem reconhecer e aderir digamos que estamos lidando com um vírus nesta situação e digamos que o vírus só se adere à esse linfócito b lembre se pode haver outras e na verdade são toneladas de outros linfócitos b por perto mas suas porções variáveis são todas diferentes isso é o que eu sempre acho surpreendente sobre foto b que elas vêm da mesma linhagem genética e seus genes foram embaralhados durante seu desenvolvimento para que possam produzir bilhões de combinações dessas proteínas ou das extremidades variáveis de seus anticorpos então digamos que temos alguns vírus posso dizer que é uma bactéria quando eu dei um outro exemplo de linfócito b eu disse que estamos lidando com o vírus mas digamos que algumas bactérias novas e apenas uma parte da sua superfície por acaso aderiu a um linfócito b isso porque apenas esse linfócito b tem a combinação certa alguma parte da sua superfície adere apenas a esse linfócito b essa parte da superfície que aderiam foi chamada de epítopo que é a parte do agente patogênico que adere ao nosso seqüenciamento variável ele não vai aderir a esse linfócito b porque ele tem seqüências diferentes aqui mas até esse foto b e em seguida inicia o processo de ativação falaremos sobre isso que às vezes pode manter o linfócito b ativado mas normalmente precisa da ajuda de linfócitos t auxiliadora mas falaremos mais sobre isso uma vez que isso acontece uma vez que o processo fica ativada iniciado esse patógeno fica realmente englobado e eu não falei sobre isso no último vídeo só porque não queria entrar muito em detalhes portanto tudo isso fica englobado pelo linfócito b depois quando ativado prolifera-se e normalmente precisamos das células t lá e algumas partes delas se diferenciam em paz mostos e outras em linfócito b de memória lembre-se os plasmócitos dizem puxa eu tenho sido ativada eu só vou produzir uma tonelada desses anticorpos e os plasmócitos irão produzir toneladas desses anticorpos e começar a expelir luz para que eles possam aderir cada vez mais ao patógeno e apenas misturá-los de maneiras diferentes ou marcá los para que outros macrófagos o fagócitos o cingiram um ao outro pois juntos eles não podem funcionar corretamente seja o que for não vamos entrar em detalhes sobre isso tá legal é aí que ele fica ativada mas o interessante é que o linfócito b também fará o que fazem os favoritos o linfócito b também irá englobar esse cara dentro da célula talvez ele tenha aderido a um monte corpo e se rompido ele pega partes desse patógeno aderidos à proteína do mhc 2 e em seguida os apresenta na superfície então o linfócito b também será apresentador de antígeno também será apresentador de antígeno portanto esse é também um complexo mhc 21 complexo principal de histocompatibilidade só por curiosidade isto significa ter sido então isso é relacionado ao fato de que algo é compatível com o tecido do nosso corpo e falaremos mais sobre isso e como ele se relaciona com transplantes e tudo mais portanto essa é também uma mhz 2 de classe 2 em ambos os casos se estamos falando sobre células b que reconhecem muito especificamente o patógeno que poderia ser um vírus específico uma proteína uma bactéria específica e que no caso de fagócitos vai apenas dizer a você pareça suspeito deixem globalo eu não sei que tipo de bactérias ou vírus ou proteína você é mas em qualquer caso irei englobá los pegar partes deles fragmenta los e apresentá los em seus complexos superficiais como complexo principal de histocompatibilidade as células que fazem isso são chamadas células apresentadoras de antígenos profissionais isso é o que elas fazem para viver embora elas façam outras coisas como vemos os rostos ingerem coisas os linfócitos b gera anticorpos ou memórias para que mais tarde possam ser ativadas para gerar anticorpos mas estas células são chamadas células apresentadoras de antígenos profissionais o apc a pcs e um antígeno em questão é esse pequeno pedaço da coisa exata que estamos tentando perseguir nessa parte pequena a parte exata do patógeno ou antígeno assim que ele está apresentando o antígeno é profissional porque ele leva os agentes patogênicos provenientes no fluido de de de nosso sistema e então os engloba rompe e em seguida os apresenta agora existem também células apresentadoras de antígenos não profissionais e na verdade a maioria das células faz isso na verdade até mesmo esses caras na verdade eu vou esperar o próximo vídeo sei que os meus vídeos estão ficando longos então vocês devem estar pensando estas células em ambos os casos vão englobar alas com penas e apresentá las pra que servem estes mhc dois que são os linfócitos t auxiliadores reconhecem ele vai fazer parte do quebra cabeça de como nosso sistema imune funciona no próximo vídeo vamos falar sobre as células apresentadoras de mhc que são praticamente todas as células do corpo fui