If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:5:44

Visão geral das funções do córtex cerebral

Transcrição de vídeo

RKA - O que o desenhei aqui para você é o cérebro humano. Isso é o que você veria se estivesse olhando para alguém de perfil. Portanto, essa seria a frente da sua cabeça. Então, os olhos, nariz e boca estariam localizados aqui embaixo. Essa seria a parte de trás da cabeça. Isso daqui seria o topo e aqui seria a base. Nos referimos a esta grande área aqui, que seria a primeira coisa que você veria se você estivesse olhando para a porção externa do cérebro, nós chamamos essa grande área aqui de córtex cerebral. Você já deve ter ouvido alguma coisa sobre o córtex cerebral, sobre ele ter um aspecto enrugado e, na verdade, ele tem. Ao invés de ter uma superfície lisa, ele realmente tem um punhado de protuberâncias e dobras e, na verdade, isso é extremamente útil porque isso permite que o córtex cerebral tenha uma maior área de superfície. Isso vai permitir que ele tenha mais espaço para mais neurônios e isso vai aumentar sua massa celular. Geralmente, nós dividimos o córtex cerebral em 4 diferentes hemisférios. O primeiro deles é o lobo frontal, que estou pintando aqui de azul. O primeiro deles é o lobo frontal. A próxima área é o lobo parietal, que está bem aqui pintado de amarelo. Também temos o lobo occipital, que vou colorir de cor de rosa. E, por último, temos aqui o lobo temporal, que vou colorir de violeta. Lobo frontal é composto por duas regiões principais: o córtex motor e o córtex pré-frontal. O córtex motor é responsável pelos movimentos do nosso corpo. Na verdade, se você pudesse acessar o crânio de alguém e estimular eletricamente diferentes áreas do córtex motor, você poderia fazer com que, por exemplo, a mão dessa pessoa se contraísse. Ou, por exemplo, fazer com que a perna dela se movesse apenas com estímulo elétrico nessa região do cérebro. O lobo frontal também contém um córtex pré-frontal. Essa é a parte do cérebro responsável pelo que chamamos de funções executivas: coisas como um pensamento e resolução de problemas. Tudo isso acontece no córtex pré-frontal. Não só isso, mas ele também ajuda a supervisionar e dirigir todas as outras áreas do nosso cérebro. Outra parte do lobo frontal que vale a pena mencionar é a área de broca. Esta é a parte do cérebro que está associado com a produção da fala. Vamos em frente com essa área amarela que havíamos marcado. Isso daqui é o lobo parietal. Essa parte do córtex cerebral também é importante para um punhado de funções. Uma parte importante do lobo parietal é o córtex somatossensorial. Essa é a parte do seu cérebro que está associado com os sentidos: ela recebe informações de todo o seu corpo, informações sobre toque, pressão, temperatura e dor. Então, o córtex motor poderia nos ajudar a esticar a nossa mão e pegar uma xícara de café, mas o córtex somatossensorial que nos permitiria sentir a pressão dessa xícara de café ou nos dizer o quanto ela está quente. Você deve estar pensando que essas coisas parecem que estão intimamente relacionadas, e elas estão! Veja bem: mesmo que dissermos que eles estão em lobos diferentes do cérebro, eles estão, na verdade, muito próximos, um ao lado do outro. Portanto, veja só: se nesse lado aqui do cérebro, lobo frontal, temos o córtex motor, na direita, muito próximo a ele, no lobo parietal, temos o córtex somatossensorial. Juntos, os dois podem ser pensados como córtex... sensório-motor. Nosso lobo parietal também é responsável pelo processamento espacial ou manipulação espacial. Veja: com isso quero dizer que ele nos ajuda na orientação do espaço tridimensional. Essa parte do cérebro não só nos ajuda a entender onde estamos no espaço, mas nos ajuda a compreender o espaço em torno de nós, em termos mais gerais. Por exemplo: se eu quisesse pegar uma xícara de café à minha frente, eu poderia usar o córtex pré-frontal para planejar o movimento e meu córtex motor para completar esse movimento, mas eu também precisaria do meu córtex parietal, para me dizer que a xícara de café está bem na minha frente. Sem isso, não seria realmente capaz de estender a mão e pegá-la. Outras coisas, como saber como andar em torno da sua casa ou da sua cidade são exemplos que também fazem parte de coisas que entendemos como manipulação espacial ou processamento espacial. O lobo occipital, que fica na parte de trás do nosso cérebro, é responsável por coisas relacionadas à visão. Nós podemos captar a luz por meio dos nossos olhos, que estão localizados bem à frente da nossa cabeça, mas depois de coletar essa informação ela vai ser transportada. Essa informação será realmente transportada até a parte de trás do cérebro, para o correto processamento. Só então poderemos dizer que enxergamos alguma coisa. Então, vamos colocar "visão" bem aqui. Outro termo que você pode ouvir em relação ao lobo occipital é o termo "córtex estriado". Este termo se refere ao fato de que, se você olhar no microscópio, se você olhar essas células no microscópio, elas vão parecer serem riscadas ou estriadas. O último lobo do cérebro é o córtex temporal. Essa é a parte do nosso cérebro responsável pelo processamento auditivo. Como foi o caso da visão, no lobo occipital, a informação chega em nossos ouvidos, mas ela é processada em nosso cérebro, no nosso córtex temporal. Outra área importante no córtex temporal é o que chamamos de "área de Wernicke". Quando falamos no córtex frontal, nós falamos sobre a área de broca e dissemos que ela está responsável pela produção da fala. Já a área de Wernicke é responsável pela recepção e compreensão da linguagem. Antes de terminar esse vídeo, eu apenas quero tirar um momento e salientar que os diferentes lobos do cérebro fazem muito mais coisas do que eu listei aqui. Entretanto, no geral, são essas coisas que você deve pensar a respeito sempre que você pensar sobre as diferenças entre esses lobos do cérebro.
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen