If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Soluções hipotônicas, isotônicas e hipertônicas (tonicidade)

Transcrição de vídeo

RKA - Aqui nós temos três situações envolvendo uma célula sendo imersa em uma solução aquosa. E a célula é este círculo cor-de-rosa. Essa é a membrana celular; também temos as moléculas de água, representadas por esses círculos azuis; além do soluto presente na solução aquosa, o qual representamos por estes círculos amarelos. Eu, obviamente, exagerei no tamanho das moléculas de água e das partículas de soluto em relação ao tamanho da célula, mas fiz isso para que possamos visualizar claramente o que está acontecendo. Nós vamos assumir que a membrana celular, essa bicamada fosfolipídica, é semipermeável, de modo que permitirá a livre passagem de moléculas de água, ou seja, uma molécula de água pode ir de dentro para fora da célula, ou de fora para dentro da célula. Mas nós vamos assumir que esta membrana celular não permite a passagem das partículas de soluto, por isso que ela é chamada de semipermeável, ou seja, ela é permeável a apenas algumas substâncias; ou podemos dizer também que ela apresenta permeabilidade seletiva. Então, o que acontecerá? Bom, a primeira coisa que você pode observar é que nós temos uma concentração menor de soluto no exterior da célula do que no seu interior. Então, a partir de qualquer momento, você terá moléculas de água movendo-se na direção correta para sair do meio extracelular e alcançar o meio intracelular. E você também terá algumas moléculas de água movendo-se na direção correta para irem do interior para o exterior da célula. Mas o que é mais provável de acontecer? O que acontecerá mais frequentemente em um certo período de tempo? Bom, as moléculas de água que se encontram no exterior da célula (nós falamos a respeito disso no vídeo sobre osmose) serão menos barradas pelas partículas de soluto. Se esta molécula aqui, por acaso, estiver se movendo nesta direção, ela fará seu caminho até a membrana, e então poderá passar pela membrana. Por outro lado, se esta molécula de água estiver se mexendo nessa direção, sua passagem será obstruída, talvez batendo e voltando nesta partícula de soluto. Então, as partículas de água dentro da célula são mais obstruídas. Assim, é provável que elas sejam menos capazes de interagir com a membrana, ou de se mover na direção certa. Elas estão sendo obstruídas por essas partículas de soluto. Então, apesar de termos moléculas de água entrando e saindo, num determinado período tem-se maior probabilidade de mais entrarem do que saírem. Assim, teremos um movimento líquido de moléculas de água para dentro da célula. Agora, em uma situação como essa, em que estamos falando sobre uma célula que está em uma solução que apresenta uma menor concentração de soluto, é importante que estejamos falando de um soluto o qual não é capaz de atravessar a membrana (a qual não é, então, permeável a este soluto). Nós chamamos esse tipo de solução, na qual a célula está imersa, de solução hipotônica. Sempre que estivermos falando sobre soluções hipotônicas, ou, como veremos adiante, isotônicas e hipertônicas, estaremos falando sobre concentrações relativas de soluto que não podem atravessar um determinado tipo de membrana. E o prefixo "hipo", que você já deve ter visto em outras palavras, significa "menos" de alguma coisa. Então, nesse caso, nós temos uma menor concentração de soluto na solução do que encontramos no meio intracelular. Por causa disso, ocorrerá a osmose; então, haverá moléculas de água indo de fora para dentro da célula. Isso, na realidade, exercerá pressão sobre a célula, e ela pode expandir ou, eventualmente, romper, caso haja pressão suficiente. Agora, vamos para outra situação. Aqui nós temos uma concentração praticamente igual de soluto no meio extracelular e no meio intracelular (pelo menos foi isso que eu tentei representar aqui). Nesta situação, a probabilidade de uma molécula de água, num determinado tempo, ir do exterior para o interior da célula ou do interior para o exterior da célula será a mesma. Então, não haverá um fluxo líquido de água: haverá sempre moléculas de água entrando e saindo, mas não haverá um fluxo líquido. Então, vamos escrever: sem fluxo líquido de água. Este tipo de solução, em que temos praticamente a mesma concentração de soluto na solução e no interior da célula, chamamos de solução isotônica. E o prefixo "iso" refere-se a "igualdade"; então, aqui nós temos a mesma concentração de soluto, de modo que não há um fluxo líquido de água. Então, na solução hipotônica, temos moléculas de água indo para o interior da célula; a célula está se expandindo, como quando se enche uma bexiga. Solução isotônica: não há fluxo líquido de água. E, claro, como você poderia imaginar, nesta última situação, há uma maior concentração de soluto no meio externo do que no interior da célula. Podemos, então, imaginar o que vai acontecer. Em primeiro lugar, como eu chamaria isso? Bom, eu tenho mais deste soluto na solução, então eu vou usar o prefixo "hiper", porque eu tenho "mais" disso (hipertônico). Então, é uma solução hipertônica. Mais uma vez: o soluto não pode atravessar a membrana, mas as moléculas de água podem. Assim, teremos moléculas de água indo do exterior para o interior, e do interior para o exterior. Mas estas do interior encontrarão menos obstáculos para sair do que essas do exterior para entrar. Assim, teremos um movimento líquido da água para fora da célula, havendo, portanto, maior probabilidade de estas moléculas irem do interior para o exterior da célula do que irem do exterior para o interior, porque, neste caso, suas trajetórias serão mais obstruídas; neste caso, a água sairá da célula e a célula acabará ficando enrugada. Contando que ela perderá esta pressão da água, a célula enrugará. É possível vermos tudo isso em seres vivos. Se colocarmos uma hemácia numa solução hipotônica, a água passará em grande quantidade para dentro dos glóbulos vermelhos, os quais vão se expandir, ficando com um volume extraordinariamente maior. Em uma solução isotônica, por outro lado, a hemácia permanecerá com sua aparência original, com uma pequena concavidade na parte do meio, enquanto aqui, tudo se expandirá. Por fim, na solução hipertônica, haverá um maior fluxo de água para o exterior da célula, então, veremos uma hemácia um pouco enrugada (como no desenho); tudo isso porque temos um movimento líquido de água para fora da célula. Até o próximo vídeo!
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen