If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:6:55

Transcrição de vídeo

RKA11E - Provavelmente você já viu plantas, seja na sua casa ou quando você sai para caminhar, você vê plantas se contorcendo e virando para todas as direções. E se você observar atentamente, você verá que algumas vezes vai parecer que a planta está se virando na direção da luz. O que nós faremos nesse vídeo estudar esse fenômeno um pouco mais. Geralmente, quando estamos falando sobre como o organismo gira, ou de vira, ou muda de direção devido a algum tipo de estímulo externo, nós chamamos isso de tropismo. E no caso do organismo se virar ou mudar de direção, devido a um estímulo externo, que é a luz, vamos chamar isso de fototropismo. E fototropismo é um termo geral para qualquer tipo de mudança de direção de rotação, ou mudança de direção de deslocamento que o organismo faça devido à luz. Isso pode ocorrer com organismos se movendo em direção à luz, ou se movendo na direção contrária à luz. Quando vamos a uma floresta, às vezes podemos observar uma abertura no céu, por onde a luz está chegando. Podemos observar que muitas plantas estão crescendo em direção à luz, e chamamos isso de foto tropismo positivo. Também podemos observar plantas que estão crescendo na direção contrária à luz, e chamamos isso é de foto tropismo negativo, que é menos frequente que o positivo, mas podemos falar isso em um vídeo futuro. Mas o que geralmente nós vemos então, é o photo tropismo positivo, como esse exemplo aqui. E a questão aqui é: como a planta faz isso? O que faz com que ela cresça na direção da luz, nesse caso aqui do fototropismo positivo? Bom, o fator principal aqui é uma molécula chamada auxina. A auxina é um fitohormônio, e fitohormônios são moléculas envolvidas no desenvolvimento do vegetal. Para ficar claro, nós sabemos como a auxina age, mas ainda não compreendemos totalmente os mecanismos pelos quais a auxina se distribui, ou como ela se torna ativa ou inativa. Mas o que sabemos é o seguinte: imagine que aqui está uma planta, e aqui está uma fonte de luz. E o que nós sabemos, é que em uma situação como esta, haverá um aumento da concentração de auxina do lado da planta oposto ao da luz. Então aqui é o lado direito, então nesse esquema teremos mais auxina do lado direito que do lado esquerdo. E esta alta concentração de auxina no lado direito vai, causar o alongamento das células. Se fôssemos ver isso em detalhes com o zoom, aqui estaria planta, este seria o lado esquerdo, e esse seria o lado direito, e aqui estão as suas células. Então, temos uma concentração maior de auxina no lado direito. O que sabemos que acontece é que a parede celular fica avariada onde há mais a auxina, e isso vai permitir que essas células cresçam um pouco mais, vai permitir que elas se alonguem. Então, as células do lado direito se tornarão mais alongadas que as células do lado esquerdo, devido à alta concentração de auxina do lado direito. E então, a planta vai começar a se dobrar desse jeito, porque o lado direito ficou mais comprido do que o lado esquerdo. E é isso que nós sabemos sobre a auxina, que ela é um fitohormônio e que em altas concentrações pode causar o alongamento de células, e isso pode levar a planta a se curvar. Mas uma questão aqui ainda está sendo estudada, é o que causa essa alta concentração de auxina no lado oposto ao da luz. E também, todos os mecanismos pelos quais a auxina realmente age. Bem, sabemos que para muitas plantas estudadas, o que realmente causa a sensibilidade é a luz azul, mas não precisa necessariamente ser a luz azul, pode ser uma luz vermelha ou outras frequências de luz ou então uma combinação de várias delas. Temos algumas teorias do que poderia estar acontecendo, uma das possibilidades é que a luz causa migração da auxina, do lado onde a luz bate para o lado oposto, com menos luz. Outra possibilidade é que as auxinas migram do topo até à base da planta, e nessa migração ela se concentra mais no lado com menos luz e ainda existem outras possibilidades. De alguma forma, a luz poderia desativar a auxina da esquerda, ou fazer com que o lado esquerdo produza menos auxina do que o lado direita. E resumindo então, são várias possibilidades, e isso que eu acho interessante na ciência, que sempre há mais coisas podem ser entendidas. Mas o que já sabemos é que geralmente é o fototropismo positivo que você presenciará numa floresta, ou quando você coloca uma planta próxima a uma janela. E tudo isso ocorre devido a auxina. Vimos que a distribuição da auxina é maior no lado oposto ao da luz, quando você tem um fototropismo positivo. E essa figura aqui pode parecer que é sobre fototropismo, mas na verdade, esta planta é uma planta mutante que tem deficiência auxina, e por isso está crescendo em todas as direções, aleatoriamente. Interessante, não?
O conteúdo de Biologia foi criado com o apoio da Fundação Amgen