If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:11:45

Transcrição de vídeo

existem muitos compostos de ônibus que são apenas levemente solúveis em água o cloreto de chumbo é um deles então aqui nós temos um probleminha um químico adicionou 10 gramas de cloreto de chumbo e 50 ml de água 25 graus e viu que apenas usar o veículo 22 gramas se dissolveu na solução então a gente tem aqui a nossa primeira questão encontra a solubilidade em gramas por litro e em maus por litro do coreto de chumbo em água a 25 graus então vamos dizer que nesse becker aqui nós temos um sólido então aqui eu tenho meu sólido então essa parte é que não se dissolveu mas uma pequena quantidade desse composto se dissolveu a pena 0 veio 22 gramas então isso quer dizer que nós temos em uma solução nós sermos íons pb2 mais e nós e museus série - aqui então a gente tem uns coreto aqui então isso quer dizer que nós temos aqui uma solução saturada de pb série 2 de cloreto de chumbo ter uma solução saturada significa que nós temos em mãos a solução ea gente tem uma grande quantidade que não foi dissolvida na questão a nós vamos calcular a solubilidade em água então primeiramente nós vamos encontrar a solenidade em gramas por litro então eu vou precisar aqui da minha quantidade que se dissolveu então eu tenho aqui 0,22 gramas que se dissolveu eu tenho que dividir isso aqui pelo meu volume da minha solução então eu tenho que dividir pelo meu volume que é de 50 ml mas eu tenho que usar esse volume em letras então tenho que dividir isso aqui por 0,05 litros se eu fizer essa continha eu vou ter que a minha solubilidade aqui em gramas por litro vai ser igual a 4,4 gramas por litro a solubilidade ela vai ser a quantidade de gramas dos o luto em um litro de solução saturada então se você tem um litro de água você só consegue absorver 4 v a 4 gramas do coreto de chumbo isso porque ele é um composto levemente solúvel nós também podemos encontrar a sua mobilidade em maus políticos então essa vai ser a solidaridade molar nós já sabemos quantas gramas a gente tem então vou marcar aqui que eu já sei as minhas grandes então tenho 0,20 e duas gramas que foi dissolvido e eu vou dividir isso aqui bom vou precisar da minha massa no ar para fazer a minha solubilidade em nós por litro então a gente tem que olhar aqui do lado nós temos aqui para o chumbo 207,1 20 que a nossa massa molar então eu tenho que somar isso aqui tem que fazer 207 207 ponto 20 eu tenho que fazer isso aqui mas agora percebo que o coreto de chumbo epb cl2 então tem que multiplicar esse valor da massa molar por dois se multiplicar esse valor por dois eu vou ter 70,90 então eu disse 'eu multiplicar esse valor aqui por dois eu vou ter esse valor aqui de baixo se não somar isso aqui eu vou ter que a minha massa molar vai ser igual a 278,1 19 gramas por mal tão grave esse número a gente tem que colocar ele aqui nessa nossa divisão então aqui eu tenho que colocar 278 pontos 19 gramas normal então aqui eu vou descobrir quanto os moldes eu tenho de pb cl 2 então se a gente fizer essa essa divisão eu vou pegar uma calculadora aqui 0.22 / 278 ponto 19 e eu vou ter e eu vou ter esse número aqui que é igual a 0,0001 79 molz então esse valor aqui vai ser igual 0,00 079 molz porque maus porque a gente tem gramas em cima em baixo então essas gramas e cancelam e só me sobra molz então esse é o meu valor de molde pb série 2 agora que eu tenho uma quantidade de mós eu posso descobrir qual vai ser a minha solubilidade em maus por litro então tem que pegar esse valor de molde dividir pelo meu volume que é de 50 ml então aqui / 0,05 litros então eu vou puxar calculadora aqui eu vou fazer então 10.000 79 / 0.05 eu vou ter 0,01 58 vamos arredondar isso aqui para 0,0 16 então aqui eu tenho 0,0 16 isso aqui vai ser a minha solo mobilidade molar 0,0 16 nós temos que especificar sempre a temperatura então essa aqui vai ser a minha solubilidade molar em 25 graus em água 25 graus celsius porque obviamente se você muda a temperatura você muda o quanto você consegue dissolver em água essa é uma idéia de solubilidade e dissolubilidade mollá então agora nós vamos dar uma olhadinha na questão bem então aqui eu tenho calcula consoante indissolubilidade capetti ou ksp a 25 graus celsius para o cloreto de chumbo o ca ps é uma constante de equilíbrio então vamos pensar no equilíbrio vamos pensar aqui no nosso beck nós temos uma solução saturada de cloreto de chumbo certo ea nossa solução ela vai estar em contato com o nosso sólido que é o coreto de chumbo em equilíbrio a taxa de solução é igual à taxa de precipitação então a taxa ou a velocidade em que o sólido se transforme ontem que ser igual a mesma taxa de um se transformando em sólido vamos representar isso então vou pegar um pouquinho de espaço aqui eu vou fazer aqui em baixo então eu tenho aqui o ipb celi 2 sólido e ele vai estar então aqui na solução eu voltei íons pb2 mais e eu vou teriam série - aqui também então agora a gente vai só ver aqui a relação de molz se eu tenho aqui um molde chumbo perceba que aqui eu vou ter dois de cloro então a minha relação aqui é de um para dois se nós estamos entrando em contrário capece a gente precisa fazer uma tabela de equilíbrio químico então a gente vai começar com as concentrações eu vou fazer aqui a minha concentração inicial então a minha concentração inicial dos meus produtos vai ser igual a zero então aqui vai ser igual a zero porque a gente vai fingir que aqui nada se dissolveu ainda quando a gente pensa no momento da mudança a gente vai estar perdendo essa quantidade aqui de molde a que a gente tem a nossa solidaridade molar então essa é a nossa concentração a gente vai estar perdendo essa concentração de 0,0 16 mas conforme eu vou perdendo essa concentração em sólido eu vou ganhar em anos então aqui eu tenho uma relação de 1 para 1 então eu vou ganhar aqui mas 0,0 16 e aqui pro meu eo decoro como a relação de um para dois então vou ganhar o dobro desse valor que vai ser igual a 0,035 32 então quando a gente chegar em equilíbrio então quando a gente tiver em equilíbrio eu tenho que a minha concentração de uns pb2 mais a ser igual a 0,035 6 e que a minha concentração de um decoro vai ser igual a 0,035 e 2 depois disso a gente precisa pensar no quanto de cloreto de chumbo que se dissolveu nós fizemos isso na questão a então a gente está aqui em cima a gente tem 0,00 079 mons e a gente tem aqui 0,0 16 o lar então essa vai ser a minha concentração de cloreto de chumbo essa vai ser a concentração que eu vou perder feito isso a gente pode inscrever o nosso café s então vou escrever aqui cá ps o meu capece vai ser a concentração dos meus produtos sobre a concentração dos meus reagentes então aqui eu vou ter a minha concentração de pb 2 mais vezes a minha concentração de celle - então vezes a minha concentração de celle - então aqui agora pense que eu tenho que colocar os meus expoente certo porque eu tenho uma relação de molz então aqui promove o nosso bebê então a gente aqui também tem uma relação de irmãos então aqui eu tenho que elevar a potência 11 conforme o meu coeficiente se aqui eu tenho um problema de 2 mais eu vou ter coeficiente dois aqui pro meu cl - então aqui eu vou levar ao quadrado isso aqui seria sobre a minha concentração dos meus e agentes mas aqui nós temos um sólido por isso lembre se sempre deixa de fora os sólidos puros então essa aqui vai ser a nossa expressão de equilíbrio então se eu pegar e substituir os valores então aqui eu vou ter cá ps que vai ser igual a 0,06 isso aqui é levado a um vezes 0,0 32 e levado ao quadrado então vou fazer aqui 0.0 32 e levado ao quadrado eu vou fazer isso aqui vezes 0.0 16 e eu vou ter esse valor é aqui que eu posso colocar como um negócio 6 vezes 10 a menos cinco então meu capece aqui meu kps aki vai ser igual a 1,6 vezes 10 na menos 5 essa vai ser a minha constante de solubilidade do pb série dois em água a 25 graus eu preciso dizer para vocês que eu já vi diferentes valores de café e se procurar e tu de chumbo nessa temperatura então você pode ver um valor diferente se você está vendo algum livro diferente mas pra mim é importante que você compreenda como nós calculamos o ca ps ou seja como a gente escreveu a expressão de equilíbrio ea gente pensou nas concentrações em equilíbrio dos produtos ou dos seus tons e finalmente a gente tem aqui nosso último exercício como seriam os resultados se nos sentássemos dissolver 100 gramas de pb cl2 do mesmo volume de água vamos lutar lá no início então vamos voltar lá pra nossa questão a então a gente tem aqui a nossa questão lá então a gente viu que apenas 0,20 duas gramas vão se dissolver em 50 ml de água então nós seremos bastante pbc l2 não dissolvido mas como a gente ainda só conseguem subir 0,22 gramas a nossa solidaridade molar continua a mesma se a solubilidade molar continua mesmo é isso que às vezes concentrações em equilíbrio também serão as mesmas e então o nosso café s n não vai mudar eu espero que você tenha entendido que a concentração de cloreto de chumbo que dissolve é que determina o seu café s e não a parte não sou vida