If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Transcrição de vídeo

oh alô alô moçada tudo bem com vocês Considere a seguinte reação com várias etapas etapa a a reagir com B e C para formar as e mais b e não acaba dois as e reage com de para formar a mais CD se somarmos as duas etapas juntas a nossa reação podemos encontrar a equação balanceada para esta reação hipotética Então vamos colocar todos os nossos reagentes no lado esquerdo aqui e vamos ser todos os nossos produtos lado direito e podemos ver que o as e e sai esquerda e está no lado direito então podemos cancelar isso a também está no lado esquerdo e direito então também podemos cancelar portanto a equação geral seria BC + D e B + C de acabamos de ver que B C e D são nossos reagentes e B e C D são os produtos para esta a técnica se olharmos para a reação a instalar no início e a também está no final mas a não é nem a gente nem produto portanto a deve ser um catalisador da reação outra coisa que não é nenhum é a gente nenhum produto é a se você percebe como as e foi gerado na primeira etapa E então lá cê foi usado na segunda etapa portanto a cê deve ser o intermediário para esta relação a seguir vamos olhar a energia nesta reação de várias etapas perfis de energia geralmente têm a energia potencial no eixo Y e o progresso da reação no eixo X a medida que nos movemos para a direita no eixo X a reação está ocorrendo essa primeira linha em nosso perfil de energia representa o nível de energia de nossos reagentes que são B C e D Então vamos mostrar a ligação entre B e C E também temos o dever nosso catalisador também está presente no início de nós bom então eu vou desenhar um a acima de nossos dois reagentes podemos ver em nosso perfil de energia que temos duas curvas a primeira curva Corresponde à primeira etapa a segunda Corresponde à segunda etapa da reação portanto pico da primeira curva é o estado de transição para a primeira etapa da reação química e podemos ver na primeira etapa que o catalisador a está colidindo com BC ou reagindo com BC para formar nosso as e intermediário portanto a deve colidir com BC e no estado de transição a ligação entre B e C está se quebrando e ao mesmo tempo a ligação entre a e c está se formando ainda temos o nosso reagente de no topo dessa curva quando uma colisão acontece com B e C A energia cinética que deve ser suficiente para superar a energia de ativação necessária para que essa e terça não gráfico de energia a energia de ativação é a diferença de energia entre os reagentes e o estado de transição Portanto o próprio pico da curva Então essa diferença de energia corresponde a energia de ativação para a primeira etapa do mecanismo que chamaremos de e a um se Assumimos que a colisão tem energia cinética suficiente para superar a energia de ativação formaremos nosso intermediário A C E também formaremos b então vamos mostrar as ligações entre a e c que foram formadas esta curva descendente aqui entre essas duas curvas ascendentes representa o nível de energia do intermediário falta escrever o bebê aqui e ainda temos um reagente de que ainda não reagiu desenhamos ele aqui também em seguida Estamos prontos para a segunda curva ou segunda etapa da nossa reação na um tapa o acento termediario reage com de para formar a exceder Portanto o topo dessa segunda curva seria o estado de transição para essa segunda etapa assim podemos mostrar a ligação entre a e c se rompendo e ao mesmo tempo a ligação entre sei desse formando a diferença de energia entre a energia do intermediário e energia do Estado de transição representa a energia de ativação para a segunda etapa da reação e chamaremos de e a2 então a si e de devem colidir com a energia cinética suficiente para superar a energia de ativação para essa segunda etapa se a si e de colidirem com energia cinética suficiente nós produzir íamos a exceder portanto essa linha no final aqui representa o nível de energia de nossos produtos CD é um de nossos produtos Então vamos escrever isso aqui E não se esqueça do B que foi formado na primeira etapa ele também ombro do pão de escrever então aqui b + c d e o nosso catalisador o ar estaria presente aqui também a seguir vamos comparar a primeira energia de ativação e a 1 com a segunda a e a2 olhando para o perfil de energia podemos ver que aí a um tem uma energia de ativação muito maior do que a dois Portanto vamos prosseguir e escrever que é a um é maior que é a dois quanto menor for a energia de ativação mais rápida será a reação e uma vez que ao menor energia de ativação para a segunda etapa a segunda etapa deve ser a mais rápida Das duas uma vez então que a primeira etapa tem uma maior energia de ativação essa primeira etapa deve ser lenta em comparação com a segunda como a primeira etapa lenta a primeira etapa é que determina a velocidade total na relação geralmente vamos a direcção-geral de energia e nossa reação química Paraíso escrevemos aqui um Bel tá aí que significa a variação de energia igual à variação final menos a inicial Então essa seria a energia dos produtos nelas a energia dos reagentes vamos esticar essa linha aqui representando Delta e no gráfico para variação de energia e já que a energia dos produtos é maior do que a energia dos reagem estaríamos subtraindo o número menor de um número maior e portanto o delta é e seria positivo para esta reação hipotética e uma vez que deu tá aí é positivo sabemos que esta reação é uma reação é endotérmica do contrário se Delta e fosse negativo essa seria uma reação exotérmica por hoje nós terminamos Bons estudos e até breve