If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:02

Exemplo resolvido: uso de cargas formais para determinar estruturas de ressonância não equivalentes

Transcrição de vídeo

o Olá meu amigo minha amiga tudo bem com você seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais um vídeo daquela Academy Brasil e nesse vídeo vamos resolver um exemplo sobre o cálculo da carga formal e como podemos utilizá-la para dizer qual é a estrutura de ressonância que mais contribui para o híbrido de ressonância e esse exemplo diz o seguinte três estruturas de ressonância possíveis para o íon tiocianato SCN menos são mostrados abaixo temos aqui essas três possibilidades aí baseado nas cargas formais Qual das três estruturas de mais contribui para o híbrido de ressonância do tiocianato foi dado que algumas informações extras que no caso é uma tabela de eletronegatividade da escala de Pauling para os elementos que estão nas estruturas que talvez eu só que seja útil de alguma forma enfim qual dessas estruturas contribuem mais para o híbrido de ressonância do tiocianato que tal você para usar esse vídeo tentar descobrir isso nós vamos trabalhar nisso juntos agora existem realmente o duas coisas que queremos observar quando estamos pensando sobre qual dessas estruturas de ressonância contribui mais para o híbrido de ressonância a primeira que queremos descobrir qual das estruturas possui cargas formais dos átomos individuais que seja o mais próximo possível de zero Então vamos escrever isso aqui átomos individuais precisam ter uma carga formal o mais próximo possível de zero Observe que eu não estou falando sobre a carga de todo o Lyon eu estou falando sobre a carga formal de cada átomo individual e essa carga que precisa ser o mais próximo possível de 0 a segunda coisa está relacionada com a eletronegatividade porque também queremos ver que se houver alguma carga formal negativo em algum ato no individual que seja no átomo mais eletronegativo então vamos escrever isso aqui também qualquer carga formal novamente não estamos é sobre a carga de todo I Ok então qualquer carga formal negativa em um átomo individual o ideal é que seja no mais eletronegativo ok agora com esses dois princípios apresentados vamos descobrir qual dessas estruturas chega mais perto desses ideais para fazer isso vamos calcular as cargas formais em cada uma dessas estruturas de ressonância EA forma que fazemos isso é para cada um desses elementos nós temos que pensar em quantos elétrons de Valencia cada um desses átomos teriam se eles fossem livres e neutros a Vamos fazer uma outra coluna aqui aí nessa coluna Vamos colocar os elétrons de Valência Você pode procurar em uma tabela periódica dos elementos mas se você já souber pode colocar aqui que um carbono neutro e livre tem quatro elétrons de Valência ele tem seis no total mas quadro estão na camada externa na segunda camada o nitrogênio neutro e livre tem 5 elétrons de Valência ele tem sétima bom então na camada externa e o enxofre tem 6 elétrons de Valência Aí como eu estava falando a forma de calcular a carga formal dos átomos individuais em cada uma dessas estruturas de ressonância é pegando a quantidade de elétrons de Valência por exemplo vamos pegar aqui eu enxofre Quantos elétrons de Valência o enxofre livre neutro tem bem vimos aqui que são seis aí a gente subir traz esse valor os elétrons que estão alocados a esse átomo nessa estrutura de ressonância por esse diagrama de Lewis percebemos que temos um dois três quatro cinco Então temos cinco elétrons alocados a esse enxofre repare que são 5 elétrons quando as seis elétrons que são alocados normalmente ao enxofre livre e neutro sendo assim temos uma carga positiva mais um aqui não é outra forma que você poderia pensar sobre isso é que tipicamente temos 6 elétrons de Valência mas estamos vendo apenas cinco aqui na sua estrutura de Lewis então é da iG e agora podemos fazer um vídeo exercício com o carbono aqui o carbono normalmente tem quatro elétrons de Valência quando é neutro e livre e nessa estrutura de livros nessa estrutura de ressonância podemos ver que ele também tem quatro elétrons de Valência alocados a ele então a carga formal desse carbono é igual a zero agora vamos ver o nitrogênio temos aqui um dois três quatro cinco seis sete elétrons de Valência alocados a esse nitrogênio o nitrogênio neutro teria 5 elétrons de Valência mas aqui temos dois a mais do que isso então a carga formal aqui é 5 - 7 ou seja como temos dois elétrons a mais do que teria em um nitrogênio livre e neutro teremos aqui uma carga formal igual a menos dois agora vamos parar essa outra estrutura de ressonância aqui vamos fazer a mesma coisa aqui temos um dois três quatro cinco seis elétrons de Valencia local é free e só mesmo número de elétrons de Valência que o enxofre neutro tem então aqui não temos uma carga formal você pode pensar nisso como sendo 6 - 6 = 0 o carbono tem quatro elétrons de Valência alocados a ele nesse diagrama de Lewis e isso é o número típico de elétrons de Valência que um carbono neutro e livre tem então mais uma vez teremos aqui 4 - 4 e a carga formal será igual a zero agora vamos parar esse nitrogênio temos um dois três quatro cinco seis elétrons de Valência locados a Ele o nitrogênio normalmente teria 55 - 6 = -1 ou seja temos um elétron de Valência mais alocado a esse nitrogênio logo estudar ele uma carga formal = -1 por último mas não menos importante nessa estrutura de ressonância temos um dois três quatro cinco seis sete elétrons de Valência alocados a esse enxofre o enxofre a loteria 6 elétrons de Valência temos um elétron Extra Então 6 - 7 nos dá uma carga formal = -1 para esse enxofre nessa estrutura de ressonância o carbono ainda continua tendo os quatro elétrons de Valência e atípicos que ele costuma ter quando está livre e neutro Então não temos nenhuma carga formal aqui agora esse nitrogênio tem um dois três quatro cinco elétrons de Valência local dos a ele que é o mesmo valor para o nitrogênio neutro e livre então a carga formal é 5 - 5 que é igual a zero ou seja esse nitrogênio não tem carga formal bem terminamos Essa parte a gente já calculou a carga formal de todos esses átomos agora vamos examinar esses dois princípios aqui qual das estruturas possuem átomos individuais com cargas formais ou mais próximo possível de zero nessa primeira estrutura de ressonância Nós temos dois átomos individuais cuja as cargas formais não são zero e de fato nitrogênio está é longe de zero enquanto que nessa as outras duas estruturas de ressonância nós temos apenas um átomo que não tem uma carga formal igual a zero então apenas se baseando nesse primeiro princípio Eu Acredito fortemente que essas duas estruturas de ressonância contribuem mais para o híbrido de ressonância do que a primeira então eu vou descartar essa primeira aqui aí como a gente tem que escolher entre essas duas estruturas a gente precisa ir para o segundo princípio qualquer carga formal negativo em um átomo individual o ideal é que seja no mais eletronegativo que é para aqui nessa estrutura de ressonância aqui a carga formal negativo está no nitrogênio enquanto que nessa terceira carga formal negativo está no enxofre podemos ver aqui nessa tabela que o nitrogênio é mais eletronegativo que o enxofre portanto nessa segunda estrutura de ressonância temos a carga formal negativa em um átomo que a mais eletronegativo que nesse caso é o nitrogênio aqui nessa terceiro estrutura de ressonância O negativo é o enxofre é então e esses duas princípios essa segunda estrutura de ressonância é a que tem maior probabilidade de contribuir mais com o híbrido de ressonância Eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho que conversamos aqui e mais uma vez eu quero deixar para você um grande abraço e até a próxima