If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:5:43

Representação de sólidos iônicos com modelos particulados

Transcrição de vídeo

o Olá meu amigo minha amiga tudo bem com você seja muito bem-vindo ou bem-vinda a mais um vídeo daquela Academy Brasil e nesse vídeo Vamos conversar aqui o sobre a representação dos sólidos iônicos utilizando o modelo de partículas para isso nós vamos pensar sobre como os seus irão se organizar quando eles formarem cristais sólidos quando eles formarem uma estrutura de rede sendo assim apenas em termos Gerais Vamos dizer que temos vários desse cartão branco aqui e que também Temos vários desse ano um verde azulado e vamos dizer que temos uma proporção de 1 para 1 sendo assim como que você vai ficar como que ficaria o sólido se você pegasse uma fatia bidimensional disso para imaginar isso podemos usar uma representação aqui que chamamos de modelo de partículas sendo assim apenas imaginando uma fatia bidimensional do sólido e estamos desenhando esses Rios aqui como partículas teremos algo assim onde talvez usemos positivos estão todos um lado e os negativos estejam todos do outro lado bem isso é que realmente faz sentido talvez a gente possa ter algo aleatório onde temos um íon positivo aqui aí temos alguns negativos aqui aí temos um positivo aqui um aqui e um aqui e quem sabe alguns negativos por aqui também essa configuração seria razoável bem Como de fato eles formariam essas ligações iônicas Quando pensamos sobre as forças de Coulomb sabemos que as cargas semelhantes se repelem e as cargas Opostas se atraem umas pelas outras assim meu amigo minha amiga quando esses sólidos iônicos se formam é improvável que se forma e dessa forma o mesmo dessa forma porque eles vão formar algo que de certa forma tem que maximizar as forças atrativas e Minimizar as forças repulsivas sabendo disso então qual seria o arranjo ideal para isso acontecer pause o vídeo Pense um pouco sobre isso bem Todas as cargas positivas vão tentar se aproximar o máximo possível das cargas negativas e na é impossível ficar o mais distante possível de outras cargas positivas e a mesma coisa vai acontecer com as cargas negativas elas vão tentar ficar o mais distante possível de outras cargas negativas e o mais próximo possível de cargas positivas então arranjo mais provável que teremos é algo que vai se parecer com o tabuleiro de jogo de xadrez ou de dama né se você preferir sendo assim podemos ter um positivo aqui um positivo aqui um positivo aqui um positivo aqui e um positivo aqui esses são todos o mesmo Yoki eu sei que eu não estou desenhando perfeitamente mas eles precisam ter um mesmo tamanho quando você faz essas representações bidimensionais desses modelos de partículas é importante acertar o tamanho que inclusive já vamos conversar sobre isso daqui a pouquinho Claro não podemos esquecer que também temos as cargas negativas aqui portanto nessa configuração toda a carga negativa é cercada por positivas e toda positiva é cercada por negativas essa distribuição Max a força de atração e minimiza as forças de repulsão se você pensar sobre isso em três dimensões a gente vai ter uma estrutura de rede que se parece com algo assim que inclusive já vimos isso em outros vídeos agora outro ponto interessante a se pensar É sobre o tamanho dos rios que formam um determinado sólido iônico e vamos dizer que a gente esteja lidando com o brometo de rubídio RB BR como isso seria representado o caso é utilizar-se uma representação bidimensional do modelo de partículas qual seria o tamanho aproximadamente comparável entre o rubídio e o bromo aos esse vídeo pensa sobre isso e eu vou te dar uma pequena dica utilize a tabela periódica dos elementos para ver isso ok vamos pensar nisso juntos aqui agora se a gente separar eu sou aqui em seu Zinho teremos um cátion rubídio e um ano é o brometo o cartão de rubídio perdeu um elétron embora ele ainda tenha 37 prótons a sua configuração eletrônica agora se parece com a do criatório por outro lado ano é um brometo mesmo há 35 prótons vai ganhar um elétron para se tornar um ano e um brometo assim ele também vai ficar com a configuração eletrônica do kriptônio sendo assim ambos têm o mesmo número de elétrons mas o Rubi Ju tem dois prótons a mais que o brometo o Wilson Rubio vai atrair a camada externa de elétrons a quarta camada de elétrons para o núcleo com mais intensidade que o brometo Então nesse exemplo rubídio Vai ser menor que o brometo com isso o seu desenhar um diagrama de se teremos algo assim eu vou desenhar primeiro brometo então primeiro o desenho aqui um ano um brometo aqui mais um ano brometo outro ano é um brometo aqui talvez eu tenho a Não prometo bem aqui um ano é um brometo aqui e talvez mais alguns aqui aqui olha Talvez meu desenho não esteja muito bom se eu tivesse feito isso daqui é o computador eu teria feito todos eles com o mesmo tamanho então esses aqui são usando uns brometo agora vou desenhar os gatos de rubídio que nesse caso é um pouco menores assim o nosso modelo de partiu que elas vai se parecer com isso aqui é importante deixar claro que nesse caso aqui o cátion é um pouco menor que o ano porque teremos um arranjo com o padrão bem parecido com esse Observe Eu estou tentando fazer os tamanhos aproximadamente preciso para mostrar que o cátion É de fato menor que o ano é embora não seja extremamente o menor afinal não se esqueça que eles possuem o mesmo número de elétrons e eles não possuem números de prótons tão diferentes Claro Apesar desse desenho ser algo bem grosseiro é importante que você sempre Apresente a diferença de tamanho entre o ânion e o cátion principalmente se a diferença de tamanho for muito grande é Enfim meu amigo minha amiga eu espero que você tenha compreendido tudo direitinho que vimos até aqui e mais uma vez eu quero deixar para você um grande abraço e até a próxima