If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Ciclo de Carnot e máquina de Carnot

Introdução ao ciclo de Carnot e à máquina de Carnot. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

  • Avatar old spice man green style do usuário Igor Farias
    Por que a curva isotérmica não viola a 2ª Lei da Termodinâmica?
    (4 votos)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
    • Avatar leafers seed style do usuário Johnny Ferreira
      Boa pergunta!
      Por que ela é ideal. Ou seja, despresa as pedas.
      Mas a primeira lei considera tudo como um ideal sem perdas.
      A curva isotermica só mostra que se mantermos a mesma temperaura em um gás, a variação da pressão influencia no volume e vice versa. Mas não diz que irá ocorrer variação de energia interna, levando em concideração o sentido ideal. Isso quer dizer que não tem perda de energia pois Q=Trabalho.
      Já a segunda lei da termodinamica enuncia que " É impossivel uma transformação cíclica cujo único resultado final seja converter em trabalho todo o calor extraído de uma só fonte de calor em temperatura constante. Mas a segunta lei já considera o rendimento.
      Mas não se esqueça que a curva isotermica mostra a transformação isotermica de um gás e não chega a completar um ciclo.
      (6 votos)
  • Avatar old spice man green style do usuário Jean
    Se ela está em um modo adiabático , que impedi que o calor saia do sistema e a temperatura é constante porque ela diminui, se transformando em T2 ?
    (1 voto)
    Avatar Default Khan Academy avatar do usuário
    • Avatar piceratops seed style do usuário Almir Filho
      Para um gás ideal, a variação da energia interna é escrita como:

      ΔU = nCvΔT (1)

      ou também

      ΔU = Q-W (2)

      Como a expansão é adiabática, (2) fica:

      ΔU = -W (3)

      Juntando (1) e (3) temos:

      W = -(nCvΔT) (4)

      Reescrevemos (4) dessa forma:

      W = -(nCv(T2-T1)) (5)

      Portanto,

      W = nCv(T1-T2) (6)

      Verificamos, pois, que como T1 é maior que T2, o trabalho realizado pelo gás na expansão é positivo (como é de se esperar) e por isso a temperatura T2 deve ser menor que T1 (do contrário teríamos trabalho negativo, ou seja, realizado sobre o gás, na expansão, o que não é verdade).
      (3 votos)
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo