Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Lentes côncavas

Lentes côncavas. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA3JV - Já falamos muito sobre lentes convexas, por isso eu pensei em fazer um vídeo sobre isso, embora não haja muitas combinações diferentes do que uma lente côncava pode fazer. Lembre-se, côncavo está relacionado a cavar. Abaixo, temos uma figura exagerada para captarmos a ideia. Trata-se de uma lente côncava. Temos o eixo principal e os pontos focais, um do lado esquerdo, e outro de igual distância do lado direito. Estamos supondo que as duas superfícies são côncavas e simétricas. O que aconteceria se eu colocasse um objeto do lado esquerdo desta lente côncava? Temos dois raios de luz, um paralelo ao eixo principal e outro que não é refratado, ou seja, atravessa o centro da lente principal. Se o raio de luz for paralelo ao eixo principal, será refratado exatamente por ser paralelo. Ele será refratado para fora, mas vai parecer que está vindo do foco. Então, podemos dizer que ele está sendo divergido. Agora, vamos ao outro raio de luz. Este atravessará o centro da lente e não será refratado. Qual será a imagem do outro lado? Bom, está claro que os dois raios de luz não convergem, por isso, não teremos uma imagem real, embora os dois pareçam estar divergindo do mesmo ponto. Se um observador estiver visualizando do lado direito, ele verá uma imagem virtual do objeto. Na verdade, verá uma imagem virtual do objeto que não está invertida e que vai parecer menor, vai parecer que está mais perto da lente do que realmente está. Com isso, concluímos esta abordagem geral sobre lentes côncavas.