If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Pangeia

Pangeia – a ideia de Pangeia e algumas das evidências por trás dela. Versão original criada por Sal Khan.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA22JL - E aí, pessoal? Tudo bem? Olhando a imagem, nós podemos ver que o novo material das placas tectônicas está se formando e essas placas litosféricas na superfície da terra estão se mexendo. E isso pode fazer você se perguntar algo. O que acontece se nós revertermos essas coisas? Nós sabemos em que direção elas estão se movendo e será que isso nos diz de onde elas vieram? Pause o vídeo e tente pensar a respeito disso. Aqui, a América do Sul e a África estão se movendo para longe uma da outra, e isso por causa da criação do material criado nas placas no meio do Atlântico. Vamos fazer o seguinte aqui, vamos voltar um pouco, vamos juntá-las de novo. Sabemos que a Índia está se fundindo com a placa euro-asiática, e isso faz com que os himalaias fiquem cada vez mais altos. E, se voltarmos no tempo? O que acontece? Nós vamos trazer a Índia de volta em direção à Antártica. E o mesmo acontece com a Austrália. Temos material de placas sendo formado entre a Austrália e Antártica e isso faz com que os continentes se separem e, se voltarmos, vamos coloca-las juntos de novo. Ou seja, vamos voltar no tempo. Até a América do Norte, não é óbvio nessa imagem, mas se você olhar nesse mapa de GPS, fica mais claro que a América do Norte está meio que se movendo em uma rotação anti-horária. E se voltarmos no tempo, nós movemos a América do Norte no sentido horário, e ao invés da euro-asiática se afastar da América do Norte, vai se juntar a ela de novo. E você consegue imaginar a situação onde a Índia e a Austrália estão se fundindo de novo à Antártica, a América do Sul e a África estão lado a lado, a América do Norte está ficando grudada aqui de novo, e a euro-asiática também. Ou seja, parece que todas as regiões estão coladas umas nas outras, e isso de fato acontece se você conseguisse voltar alguns milhões de anos no tempo. E nessa aula, nós vamos começar a falar a respeito disso mesmo. Em algum momento, todos os continentes do mundo estavam juntos, estavam agrupados, em um mesmo supercontinente que é chamado de Pangeia. “Pan” vem de inteiro ou completo, e “geia”, de Gaia, que significa “o mundo”. E nós temos muitas evidências que nos levam a crer que havia um supercontinente chamado Pangeia. Obviamente, não existia nada no planeta que desse nome às coisas naquela época, mas basicamente todas as evidências nos levam a crer que existia um supercontinente chamado de Pangeia há cerca de 200 ou 230 milhões de anos, 250 milhões, mais ou menos, de anos atrás. E eu quero deixar claro que esse não foi o único supercontinente, ou seja, a Pangeia não foi o primeiro supercontinente. Em uma escala maior, esse foi o mais recente, claro. E é o que temos mais facilidade em reconstruir, porque, de certa forma, é o mais novo. Mas, como eu disse, acreditamos que existiam outros supercontinentes antes dessa Pangeia. Se você voltar mais no tempo ainda, antes de a Pangeia ter sido formada, você vai ver que existiram outros supercontinentes. O que eu estou querendo dizer é que existam supercontinentes que se quebravam e formavam outros supercontinentes e que se quebravam de novo e formavam outros supercontinentes, mas o mais recente foi a Pangeia, e isso aproximadamente há 225, 250 milhões de anos atrás. E existem até mesmo alguns cientistas que acreditam que essa Pangeia foi formada há cerca de 270 milhões de anos atrás. E depois que ela se dividiu, nós temos os continentes atuais. Nesse diagrama aqui, está dizendo que a Pangeia foi formada há 225 milhões de anos atrás, né, mais ou menos aí. E o que eu quero mostrar é algumas pistas interessantes a respeito disso. Ou seja, algumas evidências. Primeiro é que, em quantidade bem alta, você tem um monte de rochas comuns entre os locais que teriam que estar juntos durante a Pangeia, e uma evidência talvez mais interessante são os fósseis. E aqui nós temos alguns exemplos de espécies que viveram entre 200 e 300 milhões de anos atrás e seus fósseis foram encontrados em lugares muito específicos. Esse animal aqui, por exemplo, um Cynognathus, os seus fósseis só foram encontrados nessa área da América do Sul, nessa área aqui, e nessa parte da África. E se você perceber, a América do Sul parece se encaixar certinho na África. E esses fósseis mostram que existe uma grande área onde esse animal vivia e foi aí que encontramos os fósseis. Isso é uma grande evidência de que esses dois continentes estavam ligados na Pangeia. Quem sabe isso não aconteceu há 250 milhões de anos atrás, né? Agora, os fósseis desse animal foram encontrados nesses locais, ou seja, nessa área aqui que eu posso circular. E os fósseis dessa planta foram encontrados em diversos pontos entre os continentes. Ou seja, foram encontrados em toda essa região aqui, que é a região entre a América do Sul, a África, a Antártica, a Índia e a Austrália. E, claro, não é só porque esses continentes parecem se encaixar certinho que nós acreditamos na Pangeia. Mas essas evidências fósseis acabam confirmando isso. Por exemplo, esse animal aqui foi encontrado nessa região aqui que vai da África até a Antártica, passando pela Índia, e isso nos dá mais evidência ainda do hemisfério sul da Pangeia. Mas tem uma outra pista. Nós ainda encontramos cadeias de montanhas entre a América do Norte e a Europa. Ou seja, encontramos evidências de pedras nas quais, pelo jeito que você vê fósseis que se encaixam perfeitamente, observamos pedras semelhantes que se conectam entre a América do Sul e a África. E, claro, isso também serve para evidenciar que outros continentes se ligaram na época da Pangeia. Ou seja, todas essas evidências nos levam a crer que, de fato, existiu a Pangeia. E pelo que sabemos, todos os continentes vão continuar a se mover e, talvez, daqui milhões de anos, vamos ter outro supercontinente, quem sabe, né? Mas eu espero que essa aula tenha os ajudado, e até a próxima, pessoal!