If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:12:09

Transcrição de vídeo

Vamos falar sobre homeostasia da pressão sanguinea homeostase significa equilíbrio. Como o corpo é capaz de balancear a pressão sanguínea? Aqui é o coração de onde sai a ramificação da aorta Desenharei os detalhes para explicar melhor Aqui é a artéria braquial esquerda que vai para o braço esquerdo. Aqui é a carótida arterial esquerda. "direita-esquerda" é em referência ao personagem do desenho Aqui é a carótida arterial direita e a artéria braquial direita. e o sangue que vai para o braço direito. e também para o lado direito do pescoço Interessante é observar a carótida direita porque ela se dilata aqui, e a esquerda também se dilatam e logo depois se dividem essa dilatação é chamada de seio carotídeo Seio significa cavidade Aqui estão o seio carotídeo direito e seio carotídeo esquerdo. falarei também do arco aórtico aqui essas três estruturas - os dois seios carotídeos e o arco aórtico são muito interessantes e importantes para entender como o corpo é capaz de equilibrar a pressão sanguínea Acima é o seio carotideo ampliado e abaixo é o arco aórtico. Ao microscópio vocês veriam as terminações nervosas na camada externa do vaso as terminações se juntam e formam um nervo no seio carotídeo ocorre o mesmo são formados 2 grandes nervos que enviam informações sobre o vaso sanguíneo especificamente sobre sua elasticidade conforme o sangue passa no seio carotídeo ou mesmo na aorta, essa parede é estendida e quando estendida esses nervos, que são muito especializados e chamados de barorreceptores, - que signfica receptores de pressão - os barorreceptores percebem a extensão e enviam um sinal através do nervo informando ao cérebro o quanto de extensão ocorreu Aqui é o cérebro e o mesencéfalo as terminações nervosas seguem por aqui e informam ao cérebro o quanto de extensão está acontecendo nesses vasos. Sabemos que quanto mais pressão, mais extensão Vejamos este exemplo digamos que a pressão sanguínea aqui seja de 115 por 75. Em verde é o potencial de ação por minuto com pressão sanguínea de 115 por 75 esses nervos recebem uma certa quantidade de pressão e enviarão alguns sinais, digamos uns 10 sinais Vou desenhar 5, 6, 7, 8, 9, 10 em um minuto. Imagine isso em ambos os nervos, certo? enviando 10 sinais por minuto essa quantidade é bem comum com o passar do tempo o cérebro considera esse número o ponto normal. O cérebro entende que os 10 potenciais de ação enviados por minuto sejam o meu ponto normal. E se minha pressão subir, digamos que eu esteja atrasado para uma prova, ou algo aconteceu e me deixou preocupado e minha pressão sobe para 140 por 90. Agora eu tenho hipertensão. Esta é a nova pressão, muito superior que o normal. Meu corpo registra isso. E meus nervos começam a disparar 30 vezes por minuto. 30 vezes por minuto. Se eles estão disparando 30 vezes por minuto, então o meu cérebro pensaria: isso é bem mais alto que o normal então o cérebro considera isso como alto. Suponhamos agora que eu tenha cortado o braço e perdido muito sangue, a pressão sanguínea começaria a cair o estiramento seria menor que antes com menos potenciais de ação enviados por minuto talvez uns 7 por minuto. então o mesencéfalo teria 7 setas verdes por minuto. 7 potenciais de ação por minuto. E pensaria: que estranho, antes era 10 por minuto. Isso representa uma queda na pressão sanguínea. temos agora a pressão alta em rosa e a pressão baixa em azul. O que o cérebro pode fazer para normalizar ou criar equilíbrio? Vou escrever "resposta" O corpo possui duas estratégias sob responsabilidade do sistema nervoso autônomo. Existem dois ramos principais do sistema nervoso autônomo ou seja, dois ramos ou partes, um é o simpático, e o outro é o parassimpático São palavras bem similares, o que difere é o "para" lembrem que existe uma fórmula, irei escrever, que diz que a pressão é igual ao fluxo "Q" vezes a resistência "R". lembrem-se que o fluxo "Q" refere-se ao volume sistólico vezes frequência cardíaca Então, o corpo pode elevar o volume sistólico, a frequência cardíaca ou a resistência, para fazer a pressão subir, e vice-versa se diminuir o volume, a frequência ou a resistência a minha pressão vai cair. OK. Essa é a função do simpático, atuar no coração e vasos sanguíneos do corpo inteiro, e não apenas do seio carotídeo ou do arco aórtico, No coração o simpático aumenta a frequência cardíaca e aumenta o volume sistólico. E o parassimpático faz o oposto. Ele reduz a frequência cardíaca e reduz o volume sistólico. da seguinte forma: a frequência cardíaca é a quantidade de batidas por minuto, O simpático faz as células cardíacas que controlam o batimento a trabalhar mais rápido. O parassimpátco vai retardá-las o simpático força o coração a se contrair mais, aumentando o volume sanguíneo jorrado a cada batida. O parassimpático faz o coração trabalhar com menos força, com menos sangue jorrado a cada batida. O simpático causa vasoconstrição e o parassimpático faz o oposto, ou seja, causa vasodilatação. Vasoconstrição e vasodilatação significam que artéria está aberta ou não. No simpático, as artérias e principalmente as arteríolas se contraem, aumentando a resistência No parassimpático as artérias e arteríolas se dilatam causando uma queda na resistência. Olhando na equação podemos ver que o simpático faz tudo para aumentar a pressão Então se ocorrer uma pressão de 140 por 90 o corpo identifica como pressão alta e ativará todos os nervos parassimpáticos. se a pressão estiver baixa, 90 por 60, o corpo colocará o simpático para reagir. Viram como funciona? E se sua pressão for de 115 por 75, e os barorreceptores estiverem pulsando 10 vezes por minuto, como de costume então não haverá de fato nenhuma resposta o corpo pensará: está tudo equilibrado, não há nada a fazer. É assim que o corpo é capaz de controlar a pressão rapidamente. Para concluir, enfatizo que a entrada da informação é pelos nervos barorreceptores, e prossegue pelo sistema nervoso autônomo, a informação entra pelos barorreceptores e sai pelo sistema nervoso autônomo Tudo isso é muito rápido. Em segundos a minutos a resposta acontece. É um exemplo fantástico da velocidade do corpo em receber a informação e responder rapidamente para manter a pressão sanguínea equilibrada LEGENDA: GABRIELA MORITZ REVISÃO: PATRICIA KAWASE