If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:11:21

Transcrição de vídeo

Já falamos muito da curva pressão x volume mas não falamos da fórmula delta P igual a Q vezes R num certo tempo. Será que existe uma relação entre as duas? Na verdade existe uma grande relação entre elas. Irei demostrar e vocês entenderão. Vocês verão que é bem interessante, Basta acompanhar o meu raciocínio: O delta significa variação aqui refere-se à pressão. Vou escrever e recapitular o assunto Fiquem atentos pois irei fazer uma revisão e escreverei a fórmula de um jeito diferente Aqui temos a Pa e a Pv. A de arterial e significa a pressão nas artérias da qual se subtrai a pressão venosa em outras palavras tem um monte de pressão nas artérias quando o sangue sai do coração e vai seguindo pelas veias e capilares e até retornar ao coração a pressão praticamente acaba. Essa perda da pressão equivale a esses dois termos: o primeiro é o fluxo sanguineo que é medido em volume sobre tempo. Poderíamos dizer volume por minuto. O outro é a resistência, aqui é a resistência o montante da queda de pressão é igual ao fluxo sanguíneo vezes a resistência. O fluxo sanguíneo também pode ser representado pela fórmula volume de pico, que é o volume em uma batida do coração multiplicado pelo número de batimentos cardíacos num minuto que é a frequência cardíaca. Se eu perguntar qual a sua frequência cardíaca? Você diria, 60 batimentos por minuto ou 100 batimentos por minuto ou outro número. Seria a sua frequência cardíaca. Multiplique tudo pela resistência e obterá a variação da pressão. Isto é o que a fórmula Delta P igual a Q vezes R nos fornece de informação. Desenharei nesse espaço Voltemos à curva pressão x volume. Quero mostrar-lhes exatamente como ela tem a ver com essa equação. Esta é nossa curva pressão x volume. Vou ampliar para visualizar melhor, o volume é o eixo horizontal e a pressão é o eixo vertical, que sobe e tudo sob a perspectiva do ventrículo esquerdo. Vou assinalar para lembrar que é o ventrículo esquerdo. Desenharei duas linhas, esta aqui é a relação do volume da pressão sistólica final, prestem atenção nesta linha. Esta outra linha aqui embaixo é a relação do volume da pressão diastólica final. Vou desenhar a curva pressão x volume. Aqui está ela a linha desce, mas depois sobe. O desenho não está muito bonito mas é algo assim. Que informação para a equação a curva nos fornece? Podemos obter alguma informação? Sim, mas precisaremos fazer algumas suposições para usar a curva pressão x volume, e lembre que estou analisando a pressão do ventrículo esquerdo, mas a equação acima é da pressão arterial, mas posso já supor que a pressão do ventrículo esquerdo é quase igual à pressão nas artérias durante a ejeção. Lembre-se que o sangue quando jorrado do ventrículo esquerdo, existe um espaço contínuo entre o ventrículo esquerdo e a aorta que é uma das maiores artérias. Isso ocorre durante a ejeção entre essas duas partes da curva pressão x volume. Aqui é a ejeção "E", a pressão é quase a mesma nas artérias como no ventrículo esquerdo. Dando prosseguimento, já aviso que não quero muitos números para complicar. Só quero um número para colocar na equação e onde vou obter esse número? Farei outra suposição: lembram da pressão arterial? Irei supor que durante a ejeção as duas são iguais é uma simplificação da pressão arterial, ou ainda poderia usar a média da pressão arterial "MAP". Já fizemos isso antes, lembra? Então vamos lá. temos dois valores aqui. Aqui em cima o valor da sistólica e embaixo o valor da diastólica. Se utilizarmos esses número e obter a pressão arterial média "MAP" já seria muito bom, já nos informa a pressão arterial média isso seria muito bom mesmo, mas hoje estou preguiçoso e não quero fazer muitos cálculos. Não quero pegar esses números e usar em outra fórmula, não quero ter trabalho, quero apenas um número dessa curva PV para me ajudar a ter uma noção da pressão arterial, é isso que eu estou procurando porque a equação pede. Eu poderia prosseguir e utilizar esse dado aqui que é a pressão na sístole final. E qual é a pressão no final da sístole? Sei que é um valor entre a pressão sistólica e diastólica. Será algum valor nessa faixa e é isso que faremos. E a pressão sistólica final é o que as pessoas usam na equação. Elas diriam: vamos supor que a pressão sistólica final é boa o suficiente para fornecer informação sobre a pressão arterial. É o que fazemos Iremos usar esse número porque é mais fácil de obter. A terceira suposição, prometo que não serão muitas, é sobre a PV. É o valor da pressão venosa. Lembrem que a pressão sistólica final é algum valor por aqui em torno de 90 ou 100, um tanto alto para a maioria de nós. Comparando, qual será a pressão venosa? Digamos que três, talvez cinco. Será um número pequeno, muito baixo. Se a pressão venosa é tão baixa em comparação à pressão arterial poderia até considerá-la como zero. O outro número é tão grande que se eu subtrair um número bem pequeno como três ou cinco não fará muita diferença então vou considerar como zero. Se é zero, podemos desconsiderar, certo? Porque um número menos zero é ele mesmo. Esta é a terceira suposição As suposições são para simplificar a vida. Considerando a suposição irei reescrever a equação. A equação ficará assim. A pressão na sístole final menos zero é igual ao volume de pico vezes a frequência de batimento vezes a resistência Irei dividir os dois lados da equação pelo volume de pico e cancelar isso. Farei a equação final em outra cor e é a pressão sistólica final dividida pelo volume de pico que é igual a taxa cardíaca vezes a resistência. O que fiz aqui? Troquei os itens de lugar para simplificar. Mas se olharmos novamente a equação ainda está grande E quem se importa? E eu com isso? Vou apagar esse pedaço aqui e quero que vocês olhem o gráfico e percebam se algo aconteceu. É um tanto enigmático mas lanço o desafio se vocês percebem como a nova equação pode ser útil. Vou apagar aqui e dar um tempo para vocês pensarem se acharem algo, podem falar. Já apaguei o gráfico enquanto eu escrevo, continuem pensando. Aqui é o ponto da pressão sistólica final, o mesmo de antes. É o ponto onde a curva do volume termina Usarei outra cor Ok, esta é a linha da pressão sistólica final e aqui está o valor. Aqui tenho esta linha que está entre essas duas Aqui é o volume de pico. Aqui está o valor. Tenho a pressão sistólica final e o volume de pico Ambos estão no gráfico. Mas se eu dividir um pelo outro, o que significa? Se eu tenho pressão sobre volume, e isso deve lembrar-lhes de algo familiar- Pressão dividida por volume lembra a elastância. Desenharei como fica a linha. Na verdade, é a elastância chamada de elastância arterial. O motivo de usar a palavra "elastância" é porque ao dividir a pressão pelo volume possuem as mesmas unidades de medida, e é representada por "E" maiúsculo e "a" minúsculo Existe uma linha aqui e o ponto onde as duas linhas se cruzam é a pressão sistólica final. Descobrimos a relação entre o que acontece nas artérias, a respeito do fluxo, a resistência e a variação de pressão. Agora entendemos que podemos usar a curva pressão x volume, que não se refere apenas ao ventrículo esquerdo. A curva indica muito mais além do ventrículo esquerdo. De fato podemos usá-la para saber como vão as artérias e por isso iremos voltar a esta linha Ea. Iremos estudá-la futuramente e ver como ela é valiosa em informações a partir de um gráfico. [Legendado por Patrícia Kawase] [Revisado por Jessica Falkenstein]