If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:01

Transcrição de vídeo

Esta é nossa curva de pressão do ventrículo esquerdo, E eu decidi dividí-la em quatro seções E na verdade, eu fragmentei este pedaço no gráfico Este meio que irá na segunda batida do coração. E eu fiz isso para ter certeza de que você consegue ver o pedaço completo do ciclo do coração, nesta parte azul, ao invés de tentar lembrar de adicionar esta parte. Somente para facilitar a visualização, Eu fui à próxima batida do coração para que você veja fácilmente que isto é uma parte de um ciclo em um sentido. Agora, ao invés de olhar a pressão, o que quero fazer é na verdade olhar o volume E então eu vou desenhar o mesmo eixo. Teremos tempo usando segundos aqui, E eu vou seguir o ventrículo esquerdo, na mesma maneira que que eu estava seguindo antes, em quatro conjuntos Isto é, digamos, 1,2 segundos. Poderia ser um segundo. Poderia ser 0.75. Isto poderia ser 0.5 e isto poderia ser 0.25, algo assim. Então aí está. E neste lado, vou fazer o volume, o volume em mililitros. E vamos começar com zero aqui. E faremos 50 bem aqui. Vamos fazer 100 e 125. E estes números, vou escolhendo porque penso que são números razoáveis. Mas, claro, sabemos que estes números podem variar de pessoa para pessoa Agora, para entender o que acontece ao longo do tempo, Vou na verdade marcar os quatro pontos, onde as cores mudam nosso gráfico`--A,B,C,D E sabemos que indo de A para B, isto é chamado contração isovolumétrica, que significa que o volume no coração não se altera enquanto houver contração. E neste lado em verde temos relaxamento isovolumétrico, então a mesma idéia que volume não está mudando durantes estes tempos. E por causa disto, penso que este é um local fácil para começar nosso gráfico. Então vamos usar A,B, C e D para concentração isovolumétrica e relaxamento. Agora, quando falamos de contração Nesse ponto, você sabe que está cheio de sangue Quando está quase contraindo, está tão carregado quanto for possível. E estes são os dois pontos A e B. Então para C e D, você basicamente tem sangue, que é residual no coração, e isto é por volta de 50. Estes números, 125 e 50, eu já havia escolhido porque novamente são números razoáveis Mas eles poderiam definitivamente variar de pessoa para pessoa E eu realmente somente quero que você tenha uma noção da aparência geral. Então para estas duas partes do nosso gráfico estou somente esticando assim. De fato, eu posso até mesmo desenhar o último A, certo? porque ele vai até a próxima batida Poderia ser algo assim. Está redefinindo e reiniciando a próxima batida. Então a próxima pergunta é qual é a vertente da linha aqui? É somente algo linear como aquilo? É somente uma linha onde o sangue preenche, algo assim? Ou é algo um pouco diferente daquilo? E para responder a esta pergunta, eu penso que ajuda muito revisar a antiga equação delta P é igual Q vezes R, algo assim, certo? E de fato, eu vou explodir duas seções da curva. Eu vou explodir uma seção assim, e eu acho que você reconhecerá quais são simplesmente baseado na cor e na forma que as estou desenhando e outra seção assim, Então nós temos duas seções. E atualmente, talvez a vertente não esteja bem assim. E talvez isto seja como vai se parecer. Então existem duas seções aqui. A maneira de aplicar esta ideia em que delta P é igual a Q vezes R quero que você faça é pensar sobre isto Pense sobre a seção um, que é bem aqui, e seção dois, separadamente. Então esta é a seção um e esta é a seção dois. E o que está acontecendo em termos de pressão aórtica durante a seção um? Bem, a aorta está, claro, vindo assim. E imediatamente a válvula aórtica abre, e então rapidamente a pressão sobe, e sobe, e então finalmente iguala a pressão ventricular esquerda. Assim em algum ponto vamos dizer aqui, irá meio que fazer isso e ter aquele encaixe dicrótico sobre o qual falamos. E embaixo-- isto é, calor, a pressão aórtica. Correto? E embaixo, temos ainda pressão arterial para pensar sobre. Então a pressão arterial esquerda está vindo assim, e está subindo rapidamente, e está indo ao limite. Lembre-se, está muita cheia, nós dissémos. E então começa a cair, correto? Começa a cair, e então sobe novamente. Então estes são os tipos de curva que você tem para o aúriculo esquerda e a aorta. Por que eu desenhei isto? Por que eu fiz tudo tão grande desta maneira? Bem, porque se nós estamos falando sobre delta P, tudo que isso significa é a diferença entre a linha amarela e a linha branca É tudo que isso é, delta P, diferença em duas pressões. Então se eu olhar para isto, na verdade é uma boa diferença, uma diferença de bom tamanho. Se eu olhar aqui, é uma diferença de tamanho médio. E se eu olhar aqui, quase não há diferença. Então delta P está começando grande e ficando pequena. Então delta P está ficando menor e menor com o tempo. E aqui, há uma situação similar. Começa grande, e fica médio, e então eventualmente pequeno. Ou seja, começa grande e eventualmente fica menor. Sempre que você ver P, mudança em pressão, e você vê duas linhas de pressão, isto é meio que imediato-- Esta é uma fácil de certa forma, certo? Você só tem que olhar na diferença entre duas linhas. Então como isso no ajuda? Bem, você pode ver que delta P é igual Q vezes R. E o que é Q exatamente? Bem, Q, lembre-se, isto é fluxo, fluxo sanguíneo, e as unidades em Q-- talvez você terá uma momento de epifania; Eu tive quando eu pensei pela primeira vez sobre isto -- o fluxo sanguíneo é simplesmente volume sobre tempo. E se você tem volume sobre tempo, então isto é nada mais do que a vertente da linha. A vertente aqui nesta linha será volume sobre tempo. Então se eu posso mostrar diferenças em delta P-- e eu acho que aqui eu tenho que expor minha suposição Minha suposição é que resistência não está mudando muito, então isto está basicamente estável no coração. Não há mudanças grandes em resistência de uma batida do coração para outra dentro do coração. Não presumimos isto. Se você pode ver a mudança em delta P, e você verá a mudança no fluxo. E é exatamente isto que acontece. Primeiramente, dizemos que há um delta P grande por aqui, e um grande delta P com pressão aórtica. Então isto é olhando para este ponto aqui. E isso significa que terá um grande fluxo, e tem muito sangue fluindo. neste caso, fora do coração. E se existe muito sangue fluindo fora do coração isto significa que esta linha, a vertente da linha será bem inclinada e negativa. E eventualmente, você terá um fluxo pequeno. Eventualmente, o delta P fica bem menor, e o fluxo fica menos significante, então você tem um fluxo menor. Basicamente você terá algo assim. Ao invés daquela linha branca, você terá algo que se parece mais como aquela linha amarela. Agora, e o outro lado indo de D a A? Bem, indo de D a A-- deixe-me só trocar as cores aqui-- você tem uma situação similar. Você tem um delta P grande inicialmente, e muito sangue fluindo, desta vez para o ventrículo esquerdo então o fluxo meio que sobe rapidamente. e então eventualmente, fica menor ao longo do tempo. Então eventualmente, fará isso. E por isso que no outro lado, temos que mudar aquela linha branca também Então esta linha branca aqui também irá mudar, e parecerá mais algo como isto. Então isto é exatamente o que o gráfico volume tempo aparenta. Tem esta forma interessante. E ao invés de pedir para você memorizar o formato, quero que entenda de onde ele vem. Então aí está. [Legendado por Odailton Ferreira] [Revisado por Cainã Perri]