Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:09

Transcrição de vídeo

S: Estou aqui com o Dr. Argus que é professor de Engenharia e Medicina da USC. Estamos olhando para figuras bastante diferentes. O que elas têm em comum? A inflamação, que está presente no nariz escorrendo ou na gripe, está presente neste pé infectado ou quando batemos a cabeça jogando futebol ou quando batemos o braço praticando algum esporte. Tudo isso pode causar inflamação. S: Em outras palavras, inflamação significa que está inchado e avermelhado. Estamos falando cientificamente, por isso não são apenas partes do corpo inchadas ou vermelhas por causa da inflamação. Dr: Certo. S: Afinal, o que é inflamação? Inchados e vermelhos os jogadores também ficam. Dr: A inflamação ocorre quando o corpo percebe algum perigo. Quando há algo errado, uma infecção ou trauma como nos jogadores; o corpo percebe o perigo e envia soldados de linha de frente, as células imunes, para combater a causa do perigo. Se for trauma, as células imunes auxiliam na reconstrução tecidual. Se for bacteria, elas tentam eliminá-la para que você possa se recuperar da gripe ou resfriado. Inflamação é todo esse processo, é o "processamento do perigo". S: Então as células imunes vão lá para enfrentar o perigo e reparar os danos. Parece algo bastante positivo! Dr: É fantástico! O problema é que o nosso corpo se programa para hoje e não para o futuro. Uma das questões que mais me deixa intrigado quando começo a pensar é que a natureza, a evolução, seleciona quem tem bons filhos, pois é disso que a evolução trata, ter filhos, progenia, e não de algo que acontece quando temos 80 ou 90 anos de idade. Por isso a inflamação é fantástica em lidar com as ocorrências diárias. O problema é que uma gripe hoje eleva seu risco de câncer ou doença cardíaca daqui a dez ou vinte anos. S: Se eu ficar gripado só uma vez? Dr: Sim, durante esses péssimos 5-6 dias a inflamação estará nas alturas causando consequências futuras. S: Já estou preocupado com meu risco de câncer porque fiquei gripado. Dr: Olhando você posso dizer que sim! S: Então os sintomas da gripe e resfriado não são causados pelo vírus. O vírus causa a inflamação que provoca os sintomas. Dr: Sim, é isso. Você pega o vírus, seu sistema imune ataca-o e você tem febre. Ainda não sei por que temos febre. É um desses mecanismos em que a citocina - proteína produzida pelas células imunes - sinaliza ao corpo sobre o que fazer pois há necessidade de reforço no ataque. E isso causa a febre. Se é bom ou ruim, não sei! É bom tomar Tylenol para baixar a febre? Ninguém pensou nas consequências futuras. Sabemos no curto prazo, mas quais os efeitos daqui a dez anos? Não sabemos. S: Então a causa da inflamação é alguma agressão que meu corpo está sofrendo. Posso ter um trauma ou ferimento, mas posso precisar fugir de um leão amanhã. Então vamos nos curar para conseguir correr do leão no futuro. Porém, se eu morasse na selva acho que não passaria dos 40 anos de idade. Então por que se preocupar se a pessoa terá câncer aos 40-50 anos se ela já teria passado da época reprodutiva? Dr: Sim, o corpo deve escolher as prioridades, que é o hoje e não o amanhã. Foi feito um estudo fantástico no qual pacientes tomavam o que chamamos de estatina. Estatinas são drogas desenvolvidas para bloquear a síntese do colesterol. Pensava-se que pessoas com colesterol alto - principalmente o mau colesterol LDL teriam maior incidência de doença cardíaca. Então, bloqueando a síntese a doença cardíaca seria afetada. E o que aconteceu? Conseguimos diminuir drasticamente as mortes por doença cardíaca com essa droga. S: Então funcionou! Dr: Sim, depois uma empresa fez um experimento usando a droga em pessoas com colesterol normal. O efeito também foi dramático, postergando o ataque cardíaco por uns doze anos. S: Oh! Dr: E a incidência de câncer foi reduzida em torno de 40%. S: Não costumamos associar o câncer ao colesterol Dr: Esta droga, que se tornou uma das maiores campeãs de venda da história, atua na diminuição da inflamação. O impacto na cardiopatia foi mais pela queda da inflamação que do colesterol e o impacto no câncer foi pela diminuição da inflamação. Lembra a gripe suína há alguns anos? Se você pegasse a gripe suína, a única coisa que evitava o colapso pulmonar quando se estava no ventilador pulmonar era tomar estatinas. S: Porque ela interrompe a inflamação, que era o que estava matando as pessoas na gripe suína. E na doença cardíaca, as pessoas morrem por causa do colesterol ou da inflamação? Dr: É como o ovo e a galinha, mas acho que a inflamação facilita o depósito do colesterol. Ambos estão presentes. S: A estatina realmente afeta a inflamação e reduz o risco de câncer parando a inflamação. Dr: Isso, um dos problemas da Biologia e Medicina é a medição dos eventos Podemos medir o colesterol, mas a inflamação devidamente não. O que fazemos são associações baseadas em grandes estudos retroativos. Se houvesse uma métrica específica ou exame de sangue para inflamação, os estudos estariam mais avançados. S: Não podemos quantificar a citocina ou outros fatores da inflamação? Dr: Há tipos diferentes de inflamação, algumas boas, outras más. Algumas podem ser muito causais, outras pouco causais. Até agora abordamos a inflamação de forma generalizada agora precisamos diferenciá-las para poder modulá-las. Você pode desenvolver uma droga, mas em seguida precisa otimizá-la para um uso específico. Estas foram otimizadas para baixar o colesterol e atuam muito bem. Também são muito boas para diminuir a inflamação, mas como podemos otimizar ainda mais? Também temos que olhar o meu estilo de vida, o seu estilo de vida, de forma a limitar a inflamação. Quais as maneiras fáceis de se fazer isso? Uma delas, eu acho que deveria ser obrigatória, a vacinação para gripe. A vacina pode postergar que se tenha a doença ou prevenir que a gripe seja forte. S: O que é bom no presente e no futuro Dr: Sim, diminui a longo prazo o risco de doença cardíaca e câncer. S: Eu não tinha ideia. Achava que a vacina da gripe só servia para evitar uma semana de espirros. Então a vacina reduz o risco de câncer... Dr: E doença cardíaca tardia. Enquanto sociedade, temos que pensar a longo prazo. S: E as estatinas, como o Lipitor e outros por exemplo, não se deve seguir orientações médicas retiradas de um vídeo, mas as pessoas estão tomando só para a doença cardíaca ou estão fazendo um uso mais amplo? Dr: Eu acredito que essas drogas tenham efeito no câncer, doença cardíaca, derrame e potencialmente Alzheimer, portanto o uso deve ser considerado para preveni-las. Não estou recomendando, mas dizendo que as pessoas devem perguntar a seus médicos: - Eu não deveria tomar esse remédio? S: Existem efeitos colaterais? Eles são fáceis de serem testados? Dr: Eles são testados, e os efeitos são reversíveis. Deve-se analisar o risco-benefício, perguntar se há risco alto para alguma doença e se houver, o que pode ser feito para evitá-la ou postergá-la? O negócio não é tratar a doença e sim preveni-la. S: Fascinante! Sem aconselhamentos, mas todos deveriam conversar com seus médicos. Dr: Outro grande medicamento para reduzir inflamação é a aspirina. S: Aspirina, já ouvi falar dela! Dr: É uma droga fantástica! Tem efeitos colaterais, como aumentar sangramento, mas ao mesmo tempo diminui a inflamação drasticamente. S: Sim, esse é o efeito principal. É uma droga antiga, afinadora do sangue. Se você se cortar enquanto tiver usando aspirina, o sangramento será maior. Dr: Sim. "Afinador do sangue" é um termo engraçado, não sei bem o que quer dizer, mas me lembra diluição de tinta. S: É assim que eu imagino. Dr: Ela se liga às plaquetas e bloqueia a sua ativação, impedindo o bom desempenho S: Tipo um anticoagulante? Dr: Sim, as plaquetas são um dos componentes-chave da coagulação. S: A viscosidade do sangue fica a mesma, só a coagulação é dificultada. Dr: Isso. E dá para pintar uma parede com os dois. S: Que mórbido! Muito obrigado. Tradução: Patricia Kawase