Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

De onde vêm nossas unhas e cabelos?

Versão original criada por Raja Narayan.

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

Para conhecer o sistema tegumentar, já sabemos que o tegumento é formado pelas camadas de pele e por umas coisas são chamadas de anexos. Vou escrever: anexos. Anexo é um termo bem amplo. Há várias coisas que se encaixam nesta classificação. A unha por exemplo é um anexo. Como a unha cresce? Vou abrir esta interface bem aqui para ter uma noção melhor da estrutura da unha Vou desenhar um dedo com esta forma ficará sem a unha por enquanto, para podermos ver como ela cresce e é assim que o dedo termina. A primeira observação é esta parte aqui, chamada de raiz da unha, ligada à epiderme. Vou colorir em azul, porque é como temos representado a epiderme até aqui e vou escrever isso. Então esta é a sua epiderme. Esta é a camada mais externa da pele já falamos dela num outro vídeo. Ela está ligada bem aqui na raiz da unha. Então essa é a raiz da unha. O interessante deste ponto de interação é que quando se tem células crescendo na epiderme lembre-se que temos células das camadas mais internas da pele que ascendem até a superfície. Aqui na raiz da unha temos também células que crescem nesta direção. Tem células vindas do extrato basal, que é a camada mais profunda da epiderme, e tem alguns queratinócitos que crescem, morrem e depois vão para a unha, e isso significa que a unha é essencialmente parte da epiderme. Desenharei a unha em azul, ela é feita de queratina espessa Queratina dos queratinócitos uma das células que compõem a epiderme, essa queratina é compactada em um monte de células mortas. As células mortas que ficam na parte mais externa da epiderme estão na verdade aglutinadas pela queratina e se movem para a parte mais externa da epiderme, elas se deslocam nesta direção. É por causa da queratina que a pele é tão forte e de fato, é a queratina que faz a unha tão firme. Isso vale para as unhas das mãos e dos pés A diferença é que as unhas da mão crescem quatro vezes mais rápido do que as do pé. É só para se ter uma noção pois falaremos sobre isso junto com outros anexos, Abaixo da epiderme tem a derme. Abaixo da derme tem a hipoderme ou tecido gorduroso subcutâneo. Ótimo. Essa é a estrutura da unha e como ela cresce. Vamos tratar de outro anexo. Por exemplo, o cabelo. Digamos que estamos falando desta região da mão de alguém o dorso peludo da mão de alguém. vou ampliar para ver melhor o que acontece onde o pelo cresce. A grande diferença entre o pêlo e a unha é que o pêlo cresce a partir da derme. Vou desenhar a pele aqui, na mesma direção em que vimos, a epiderme é a camada mais externa da pele No desenho será pequena porque não falarei muito sobre ela agora. Abaixo é a derme. Vou escrever porque é importante. Essa é a derme. Iremos falar muito sobre ela agora. Abaixo da derme, temos a gordura subcutânea ou a hipoderme. Lembrem-se que a derme tem duas partes principais Vou desenhar: tem a derme papilar, vou escrever, que é a camada mais externa da derme. Tem a camada reticular, que é a camada de tecido conectivo mais fino e frouxo. A camada reticular é a camada de tecido conectivo mais espesso e denso. A configuração do pelo é a seguinte: há um folículo que começa aqui. Tem um bulbo que fica na derme reticular. Vou escrever. Este é o folículo piloso. Você já deve ter ouvido o termo antes. O folículo piloso fica na derme reticular e a partir do folículo tem o pelo. Chamamos de haste pilosa que se estende para cima e para fora. Observe que, assim como na pele e na unha, o pelo em si só é um monte de células epiteliais escamosas achatadas ou estratificadas preenchidas com queratina. A queratina está dentro das células que estão empilhadas no cabelo. Vou colorir. A queratina também circunda as células. Isso é o pelo. o pelo cresce em torno de 0,5 polegada ou 1,25 centímetros por mês. Vou escrever. Aqui é a haste pilosa se projetando pela derme reticular, derme papilar e pela epiderme, até e finalmente o ambiente externo. Agora falta desenhar, além do folículo piloso e da haste, essa feixe de músculo que vou colocar aqui. É importante saber que o feixe fica aqui na derme papilar, na camada superior da derme. Este feixe de músculo, vou escrever, chama-se músculo eretor do pelo. Recapitulando os tipos de músculo, este é um músculo liso, não está sob nosso controle. Não podemos contrair o músculo eretor. É algo que acontece involuntariamente. Quando o músculo contrai, duas coisas acontecem. Um: a pele levanta junto, o que chamamos de arrepio. Vemos que o músculo se encurta ou fica mais fino quando a pele levanta junto. Surgem esses carocinhos que mostram que estamos arrepiados. Outra coisa que acontece é é que o pêlo levanta. Isso vai fazer com que o pêlo fique em pé. Vou escrever: pêlo levanta, porque não tem muito espaço, seu pêlo vai levantar, e isso acontece por fortes emoções ou exposição a lugares frios. Algo que voce deve estar perguntando é por que temos este músculo eretor de pêlo? Qual a razão de ter o pêlo levantando? Na verdade isto é algo mais importante para os animais do que para nós. Se estamos falando sobre ursos polares, vou tentar meu máximo para desenhar uma pata aqui, para representar um ursinho polar. Temos este urso polar bem aqui, e ele está no frio. Então o coitadinho está no frio,certo. E vem um vento frio e atinge a patinha dele, o que acontece é que o pêlo dele vai arrepiar, exatamente como nos seres humanos. O pêlo do urso polar é bem mais longo do que o pêlo de um ser humano, e fazendo com que esse casaco peludo se levante, é equivalente a criar uma camada isolante quente. A camada de ar que está incorporada ao pêlo bem aqui é significantemente mais quente do que o ambiente externo frio. Isso permite que o calor fique na pata e se extende também para o resto do corpo do urso polar, e o urso polar se mantém quente. Nós não temos tanto pêlo, e o músculo eretor de pêlo, até certo ponto, é na verdade uma estrutura vestigial, no sentido de que atualmente não é usado ou não tem mais função. Mas ainda é uma forma interessante de nos lembrar o que outros animais podem fazer para lhe dar com o frio e de como nós tentamos lidar com isso sem a abundância de pêlo.