Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:14:29

Transcrição de vídeo

O propósito do sistema imune é lutar contra coisas Lutar contra bactérias e vírus e outras coisas que você não quer dentro do seu corpo Isso é o que ele faz A pergunta que podemos fazer é como o sistema imune sabe quando não atacar uma célula do próprio corpo e pode parecer uma pergunta estranha ou uma resposta óbvia mas na verdade não é óbvio responder isso Nesse vídeo iremos explicar pq não é óbvio e como o corpo realmente previne q o sistema imune ataque a si msm Outro jeito de dizer como o corpo distingue proprio x ñ-próprio Com isso queremos dizer a diferença entre as células e proteinas próprias suas próprias células e proteinas e células estranhas ou coisas q ñ deveriam estar no corpo Como saber para atacá-las ou não atacá-las Para descobrir q a pergunta ñ é obvia vamos voltar e falar sobre as células B Nós temos uma cél B e aqui um núcleo com algum DNA e a parte mais importante da cél B que nós importamos mais é o receptor que quando se tornar ativo pode liberar anticorpos Agora, o receptor da cél B irá se ligar a estranhos, pedaços de bacterias ou virus e esses anticorpos irão se ligar a estes e ajudar o corpo livrar-se deles É importante lembrar da cél B que esses anticorpos ou esses receptores de CB são codificados no DNA da CB mas eles são diferentes em cada célula B Cada CB tem seus unicos anticorpos e unicos receptores que elas fazem Nós daremos diferentes cores para ficar mais óbvio Aqui está um com diferente DNA e diferente receptor de CB O ponto crítico para lembrar é q esses receptores de CB q virarão AC são gerados aleatoriamente Seu corpo embaralha DNA aqui e cria um receptor de CB único e anticorpo para cada CB É preciso este fato de que são criados aleatoriamente o que significa que seu corpo está em perigo de criar receptores de CB e anticorpos que ataquem seu próprio corpo porque enquanto esse cara pode ser bom enquanto ele reage com, vamos dizer, uma bactéria por aqui que voce queira se livrar isso é bom Esse cara aqui pode facilmente criar um receptor de CB e dps um anticorpo reagente a uma coisa que vc não queira que reaja Por exemplo, vamos dizer que isso é uma importante proteina no seu corpo talvez é uma insulina Vc ñ vai querer que seja criada uma CB que reaja a insulina pq isso talvez irá começar criar AC que se liga a insulina no seu corpo whatever a função dela não importa, mas ao ligar a insulina irá atrapalhar esta a fazer sua função que é mt importante. Como impedir seu corpo de fazer CB que não irão reagir a voce msm? De fato não há como porque, como eu disse esse processo de criar diferentes receptores de CB e anticorpos é aleatório Não ha como impedir que seu corpo crie receptores de CB ou CB que vão reagir consigo msm o que isto significa? Que iremos criar eles mas precisamos de um meio de descobrir qual reage a voce mesmo e se livrar dele Vc precisa descobrir um jeito de matar as que vc ñ quer Estamos falando sobre CB Células B Tudo que falamos aplica também as células T Deixa eu desenhar uma aqui Céls T são igualmente aplicadas pq elas também tem um receptor de cél T gerado aleatoriamente e voce só quer que esse receptor reaja a coisas estranhas Para coisas não-próprias e não p/ próprias Os processos que iremos falar são igualmente verdadeiros, e as vezes até msm mais verdadeiro para CT e CB Vamos para medula óssea para descobrir como funciona vamos para medula óssea porque de lá que as CB vem e é onde obtém seus anticorpos únicos e seu receptor Elas conseguem isso por mudar o DNA e um pouco por misturar pedaços ao redor Vamos olhar para um tanto dessas céls que ainda são jovens Elas ainda não foram liberadas da medula ossea Elas ñ foram testadas para saber se elas poderão ser liberadas Cada uma tem seu receptor próprio Vamos desenhar mais alguns desses receptores aqui Vamos dizer que algum desses reagem ao próprio Um deles reage a uma proteína em seu próprio corpo q vc não quer q reaja De novo, isso ocorre aleatoriamente porque criamos esse receptor realmente randomizados Vamos dizer que esse cara gostaríamos que nos livrássemos dele pq ele reaja, vamos dizer, a insulina, de novo Como lá em cima. Deveríamos ter desenhado a insulina em amarelo para mostrar que se liga a esse receptor. Digamos que esse aqui reage com a insulina. Como descobrir que ele reage a si mesmo? A resposta é bem simples. Só é necessário manter por perto as várias proteínas que seu corpo usa. Você precisa mantê-las por perto na medula óssea, enquanto essas células B são examinadas. Por exemplo, aqui terá um pouco de insulina. Muito pouco, mas estará lá. Terá um pouco de alguma outra proteína. Digamos que talvez a hemoglobina. Terá alguma outra proteína aqui. Terá ainda alguma outra proteína bem aqui. Todas essa proteínas estarão por perto. O que seu corpo faz nesse estágio e desevolvimento é que, qualquer célula B que se ligue à algo em qualquer lugar, com o seu receptor de célula B na medula óssea será morto. Essa célula B aqui, que reconhece essa proteína de insulina, o fato de reconhecer significa que ela irá se ligar e que irá causar uma pequena mudança química na célula B, e uma coisa levará a outra e todo o sistema estará programado, então, como resultado, esse irá morrer. Toda célula B que reconhece o "self", se ela interage com o "self" na medula óssea será morta. Isso funciona porque sua medula óssea terá a maioria das proteínas abundantes de seu corpo. Elas serão apresentadas lá para que se tenha certeza que se livre de todas as células B que reagem ao "self". O que ocorre após esse processo é que os que foram examinados podem prosseguir para um linfonodo. Um lugar onde eles podem começar a ficar ativos agora que eles passaram por um treinamento básico na medula óssea. E sobre quando a célula B, que não reage ao "self", quando ela interage com uma bactéria que realmente se quer combater? A mesma coisa irá acontecer? A célula irá morrer só porque reconhece a molécula que ela deveria se ligar? A resposta é, obviamente, não. Você não quer que morra, porque você precisa dela. Porque você combater a bactéria. A razão pela qual ela não morre é porque estamos em ambientes diferentes. Existem regras diferentes, há diferentes células ao redor e essa célula B maturou e se tornou diferente. As regras são diferentes e ela não morrerá. Essa eliminação de células B que reagem com proteínas "self" é o primeiro de dois mecanismos que eu gostaria de falar, que o corpo usa para não reagir ao "self" (ao mesmo). A mesma coisa acontece com as células T exceto que não ocorre na medula óssea, ocorre no timo porque é lá que as células T maturam. No timo ocorre o processo idêntico, onde as células T diferenciam e cada uma tem um receptor único e aquelas que reagem ao "self" no timo são mortas. Não é um método infalível, senão não teríamos o passo dois. De vez em quando uma célula B irá parar lá. Uma célula B que rege ao "self" irá escapar. Isso porque todo processo tem seus erros e talvez não haja todas as proteínas na medula óssea e em quantidade suficiente para encontrar a célula B que reage à uma proteína do seu próprio corpo. Digamos que essa é uma célula B que escapou da medula óssea mesmo ela reagindo com o "self". O que acontecerá agora?