If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:10

Transcrição de vídeo

RKA - E aí, pessoal, tudo bem? Na aula passada, eu falei a respeito de inalação e de expiração, e eu falei que a inalação acontecia por causa do aumento de volume e a expiração acontecia por causa da diminuição do volume, mas, eu não falei realmente como isso ocorre e eu vou falar disso agora. Deixa eu começar dizendo aqui que, no meio do seu peito, você tem um osso enorme, mais ou menos assim. Claro, não estou desenhando isso aqui com a proporção correta, só quero mostrar aonde fica esse osso. Você pode até sentir isso no seu corpo e, nós chamamos esse osso de esterno. Então, o nome técnico desse osso é esterno e, nós temos aqui, 14 costelas que se ligam diretamente a esse osso esterno, ou seja, nós temos 7 pares de costelas e, claro, não é o total de pares, nós temos 24 pares no total, mas 7 pares estão ligados ao osso esterno. Então, eu posso dizer que 14 costelas se ligam diretamente a esse osso e, entre essas costelas, nós temos alguns músculos e eu vou pintar aqui alguns desses músculos. O interessante é que todos esses músculos vão ter seus próprios nervos e isso faz com que eles possam se contrair e, claro, esses músculos são controlados pelo seu cérebro e o nome desse músculo é intercostal. Aqui nós temos o músculo intercostal e "inter" significa entre e "costal" refere-se às costelas, então é um músculo que está entre as costelas. O que acontece é que eles vão começar a se mover quando o seu cérebro diz: "Ei! Eu quero respirar fundo". E aí, esses músculos vão começar a se contrair e, com isso, as costelas vão se mover para fora. Eu posso descer aqui mais um pouquinho para ter mais espaço. Nós vamos ver outro músculo aqui, nós temos um músculo parecido com um "U" para baixo aqui, mais ou menos assim, como se fosse um chão e, lembra que nós conversamos a respeito do chão do tórax, em aulas passadas, e nós vimos que esse aqui é o diafragma. Esse diafragma, quando você contrair o ar, vai para baixo, então, o diafragma desce. Eu posso até apagar ele aqui agora e mostrar como fica quando se contrai. Deixa eu apagar isso aqui rapidinho. Então, quando se contrai, o diafragma vai ficar mais ou menos assim, que vai ser mais plano, ou seja, agora você pode ver que ele ficou mais baixo do que costumava ser, ou seja, ele desceu, deixa eu apagar essa parte aqui também e, por causa disso, todas essas estruturas aqui em que estão os dois pulmões e, claro, eu nem desenhei o coração aqui e, eu posso até colocá-lo aqui, então esse aqui é o meu coração e tem a incisura cardíaca também, por causa do diafragma descendo, toda essa estrutura aqui vai se mudar fisicamente, vai se mover para baixo e para fora e, também, vão se mover enquanto os músculos intercostais se movem para fora e aí você tem a expansão dos pulmões, é mais ou menos essa a ideia. Então, vamos dizer que você pudesse dar um zoom aqui, para ver mais ou menos como essa expansão acontece, ou seja, o que acontece quando você tem mais volume nos pulmões e, eu posso até desenhar aqui os meus alvéolos, e aqui você tem outro ramo. Então, todos esses alvéolos estão se expandindo e, para você ter uma ideia, você tem cerca de 500 milhões de alvéolos, ou seja, é um número muito grande e se eu continuasse desenhando todos eles, eu ia ficar desenhando para sempre. Mas, basicamente, o que acontece é que quando as costelas saem, o diafragma desce e esses alvéolos são puxados para fora, ou seja, ele se expandem, vão ficar maiores. Se você olhasse mais de perto, veria que, ao redor desses alvéolos, tem um monte de proteínas, ou seja, as células em torno deles têm um monte de proteínas e, essa proteína, nós chamamos de elastina. Será que você consegue adivinhar o que essa proteína pode fazer? Elastina se parece com elástico, não é? Então, você pode pensar na elastina como um elástico e aí, quando os músculos se movem para dentro e para fora ou, melhor dizendo, se contraem e se retraem, e os alvéolos se expandem, essa elastina está sendo esticada. Deixa eu colocar isso aqui para você entender melhor, deixa eu subir aqui um pouco e mostrar a inalação. Então, basicamente, você tem os músculos se contraindo, e, quando eu estou falando de músculo, estou me referindo aos músculos intercostais, e, como resultado da contração muscular, você tem os alvéolos sendo esticados, e, como resultado disso, essas proteínas, essa elastina está se esticando também. Quando os músculos estão se relaxando, que é o que acontece quando você expira, o que você acha que vai acontecer com essa elastina? Vai ser igual a um elástico, é isso que estou dizendo. Isso porque os alvéolos estão encolhendo e isso é força motriz porque o volume diminui, deixa eu mostrar isso aqui no desenho. Então, se você está fisicamente usando os seus músculos para puxar esse material, a hora que você parar com essa força, ou seja, a hora que você parar de contrair os seus músculos, simples, toda essa elastina vai retroceder, ou seja, toda essa proteína vai querer voltar ao tamanho original e, quando isso acontece, o meu alvéolo volta ao tamanho original. Então, apesar da contração, o que fez os alvéolos retornarem ao tamanho original foram essas proteínas. Então, inalando, nós aumentamos o volume puxando as coisas abertas através da contratação e isso requer energia química. Pense nessa molécula de ATP como um tipo específico de produto químico que nós vamos usar e, para exalar quando você reduz o volume, você vai ser impulsionado por esse recuo elástico e isso é um tipo de energia potencial elástica. Então, o processo de inalação é um pouco diferente do processo de expiração, porque, de um lado, você está usando ATP, está queimando moléculas, e, quando você expira, não usa mais energia química, está apenas usando energia potencial elástica, por isso, que é importante você imaginar como um elástico. Nós vamos continuar isso no próximo vídeo. Mas é isso aí, pessoal! Até a próxima aula!