If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:10:53

Contraindo e espalhando a gripe

Transcrição de vídeo

Hoje é 11 de Janeiro de 2013. Vou circular a data no meu calendário aqui E digamos que eu cheguei em casa do trabalho e me senti péssimo, apenas terrível. Febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo, você nomeia. É o primeiro dia que me senti assim. Até agora, desde que o ano começou, eu estava me sentindo super bem. Não tinha sintomas. Estava indo ao trabalho. Sentia-me. Todos esses dias me senti bem. E de repente, o dia 11 chegou e todos esses sintomas apareceram. Então suspeito de uma gripe baseado no que sei. Começou abruptamente. Eu tenho os sintomas para isso. E algumas perguntas começaram a aparecer. Primeiro que queria saber quando posso esperar a me sentir melhor? Normalmente é a primeira coisa que queremos saber. Vamos pensar sobre o que sabemos da grupe em termos de quanto tempo os sintomas duram. Porque nos ajudará a prever quando começarei a me sentir melhor de novo. Sabemos que normalmente os sintomas duram entre três e sete dias. Então direi, OK, todos esses dias vou esperar sentir o mesmo talvez. Talvez comece a me sentir melhor pelos dias 16 e 17. Mas isso seria sete dias. Esses dias são os que me sentirei meio ruim. E no geral, me sentirei bem de novo talvez pelos dias 18 e 19. Começarei a voltar ao normal. Então de acordo com esse calendário, me sentiria melhor por 18 de janeiro. Essa vai ser minha data alvo. E isso não é exato. É apenas uma ideia. Qual a próxima coisa que as pessoas normalmente tentam compreender da gripe? Eles querem saber de quem pegaram? Sempre querem saber quem foi o culpado. Quem deu à eles a gripe. Não sou diferente Quero saber de quem peguei. Então penso em antes, eu me senti bem no dia 10 e bem mal no dia 11. Seu instinto é talvez dizer que provavelmente pegou no dia 10 de janeiro. Na quinta. Mas, na verdade, você tem que voltar um pouco mais. Ás vezes você pode pegar até quatro dias atrás. Então circularei os dias que potencialmente possa ter pego a gripe de alguém. E acontece que pode ter sido qualquer dia da semana. Vou escrever isso. Dia 7 à 10 de janeiro. Essa é a janela na qual alguém me passou a gripe. Agora como sei que peguei de alguém? Talvez tenha pego da maçaneta. Ou talvez de um controle remoto que alguém tocou. E esses tipos de objetos, ás vezes você pode pegar doenças deles. Mas a gripe normalmente você pega de outra pessoa. E a razão é que você possui esse RNA que é protegido por um envelope. Lembre-se dessa camada verde aqui, essa dupla camada, é um lípidio ou uma bicamada de gordura. Possui duas camadas de lípidio ou gordura. E isso é o que chamamos de envelope. Esse é o envelope. Agora, porque possui um envelope, significa que o vírus é na verdade mais sensível ao ambiente. A principal forma, o vírus influenza te deixará doente quando você pega diretamente de outra pessoa porque o envelope na verdade o deixa bem sensível ao ambiente. Não se dá muito bem quando está no ambiente por si só. Então normalmente você pega de alguém. Talvez tossiram ou espirraram. Talvez deram um aperto de mão. Normalmente de outra pessoa doente. Então se quero saber de quem peguei preciso juntar ideias e pensar, quem encontrei entre os dias 7 e 10 de janeiro que estava doente? Também quero saber, pra quem posso ter passado a gripe? Sou uma pessoa consciente. Não quero passar a gripe para uma pessoa saudável se eu puder evitar. Acontece que você pode espalhar a gripe-- vou circular em roxo aqui-- um dia antes de eu ter os sintomas. No dia 10 de janeiro, é um dia antes de estar doente, quando eu estava me sentindo bem. Eu já poderia estar espalhando a gripe a outras pessoas. Naquele dia. Em 10 de janeiro. E é claro todos os dias que estou doente posso espalhar a gripe. E isso é mais intuitivo. Porque estou espirrando e tossindo além de outros sintomas Mas o interessante é que do dia 10 até o dia 17 de janeiro eu poderia espalhar a gripe por aí. 10 de janeiro, que é um dia antes de aparecer os sintomas até o dia 17, eu poderia espalhar a gripe. Para saber exatamente para quem passei a gripe preciso pensar bem com quem interagi no dia 10 de janeiro. A partir dessa data. Claro que vi minha família todo dia. Então família. Sou empregado, um funcionário. Então meus colegas de trabalho. Eu veria eles. E também há outras pessoas. Como amigos. Talvez eu tenha jantado ou me encontrado com amigos. Ou tenha visto alguns estranhos. Ás vezes pego o ônibus e vejo alguns estranhos ou tenha apertado a mão de alguém aleatoriamente. Essas são todas as pessoas que eu tenho que pensar em termos de quem posso passar a gripe. Ou quem eu possivelmente tenha passado a gripe. Talvez ontem, 10 de janeiro. Deixe eu botar mais tela Fazer mais espaço. E pensar nesses grupos de pessoas que eu possa ter interagido. Em termos de família, para mim, a mais próxima é minha noiva. Então eu moro com minha noiva e irei desenhar minha noiva aqui. E minha noiva é geralmente saudável. Essa é ela bem aqui. E é claro tem as outras pessoas. Digamos que alguns colegas Talvez eu tenha um colega-- farei em cor diferente-- quem está aqui também se sentindo bem. E parecem saudáveis. Mas na verdade tem diabete, o que é uma importante condição médica. Digamos que tenho mais algum amigo familiar Vou desenhar uma amiga aqui. Aqui está minha amiga. E minha amiga está grávida agora. Aqui está minha amiga e ela está grávida. Bem aqui. E ela tem, é claro, um pequeno feto dentro dela Essa é minha miga grávida. E minha amiga grávida tem uma filha de dois anos. Então uma menina de dois anos aqui. Dois anos e minha amiga grávida. Tenho um colega que tem diabete. Tenho uma amiga grávida com uma filha de dois anos. E finalmente, os estranhos. Digamos que entrei no ônibus. Ou talvez pegarei o ônibus. E aqui está um estranho no ônibus. E aqui um estranho em uma cadeira de rodas. Isso é uma cadeira de rodas aqui. Esse é um estranho que está no ônibus comigo um dia e talvez ajude ela. E ela me agradece apertando minha mão. Então talvez essa mulher mais velha aperta minha mão. Ela é estranha pra mim, mas eu potencialmente possa ter passado a gripe. Então enquanto eu estava com a gripe entrei em contato com algumas pessoas que consideraria de alto risco. Desenhei para você algumas pessoas com cormobidade, que são diabetes, significando que possuem alguma condição médica; alguém que está grávida, uma criança; e alguém mais velho. E é claro aqui temos minha noiva. Ela é saudável e não possui condições médicas. Mas você acha que ela ficará feliz se descobrir que passei a gripe pra ela? Provavelmente não. Então ela não ficará feliz comigo também. É importante para mim ficar com essas diferentes pessoas em minha mente e saber que não quero passar a gripe para outras pessoas. Especialmente pessoas de alto risco. Esses são indivíduos de alto risco. Porque nos importamos tanto com esses indivíduos de alto risco? Porque eles desenvolvem complicações da gripe. Isso é o que resume. Você lembra que inicialmente falamos das centenas de milhares de pessoas nos EUA e em todo mundo que foram hospitalizadas pela gripe. E depois o número de pessoas que morreram de gripe. Majoritariamente são pessoas desse grupo. Esse grupo de alto risco. E o que eles pegam, os tipos de complicações são vários. Na verdade, a gripe leva a vários tipos de complicações. E vou identificar alguns para você. Não quero te dar uma lista cansativa. Mas quero que tenha apenas uma compreensão para o tipo de coisa que estamos falando. Por exemplo, digamos que estes são seus pulmões. Estou desenhando dois ramos dos seus pulmões. Isso vai para seu pulmão esquerdo e o outro ramo vai para seu pulmão direito. Essa é a repartição da sua traqueia. E você sabe que a gripe, influenza, afetará as células na sua árvore respiratória. Então afetará essas células e causará inflamação. Você terá uma grande reação imunológica. E se essa reação é bem grande, digamos que você tenha uma grande reação, e se está próximo das vias respiratórias aqui, os bronquíolos-- deixe-me estender isso um pouco para fora, para você pelo menos compreender para onde a flecha está indo, Se a reação é grande nos bronquíolos, chamamos de bronquite. Então alguém desenvolve bronquite como resultado de pegar gripe. Outras pessoas podem ter uma reação inflamatória nesses pequenos sacos de ar Seu pulmão termina em milhares e milhares de sacos de ar. E se isso acontece, você pode chamar de pneumonia Você pode dizer que essa pessoa tem pneumonia. Finalmente, você tem músculos involuntários. Na verdade, montes desses. Músculo involuntário que envolta os bronquíolos. E ás vezes com a gripe, você na verdade pode desencadear contrações nesses músculos e iniciar espasmos. E quando isso acontece, conhecemos isso ás vezes como ataque de asma. Você pode na verdade ter um ataque de asma relacionado à gripe. Todos esses tipos de coisa podem acontecer. e é péssimo. Essas são coisas que te levam ao hospital. Ou pode causar a morte. Esses são os tipos de complicações. Existem outros. Como infecçao de ouvido e sinusite e outros também. Mas aqui queria apenas mostrar algumas complicações que pessoas pegam. E mostrar e relembrar que são normalmente as pessoas de alto risco que tem que se preocupar. Legendado por [ Amanda Freitas ]