If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:16

Transcrição de vídeo

Vamos falar sobre o vírus da influenza e os 3 tipos de influenza que existem. Existem 3 tipos ou famílias diferentes, do vírus. Iremos falar sobre cada uma das famílias. E salientar as diferenças entre elas. Vou indicar o tipo aqui. Este é o tipo A. É o tipo mais comum, que todos já ouvimos falar. Os tipos B e C não são normalmente citados. Iremos falar sobre todos os tipos sistematicamente. Primeiro, vou falar dos sintomas. Se você pegar esses vírus, qual sintoma você espera contrair? Para o tipo A, você espera ter os sintomas clássicos que todo mundo conhece. Sintomas respiratórios, como tosse, e os sintomas constitucionais. Vou anotar isso. Vou abreviar. Constit. Que seriam coisas como febre, mal-estar ou dor no corpo. Algo desse tipo. Para o tipo B, são praticamente os mesmos sintomas. Algumas pessoas dizem que o tipo B possui sintomas mais brandos do que o tipo A, mas geralmente é muito difícil saber se você está com gripe tipo A ou tipo B. Esses são os dois primeiros tipos. São os sintomas clássicos quando pensamos em gripe. Sintomas respiratórios e contitucionais. O tipo C possui sintomas diferentes. Na verdade os sintomas são usualmente respiratórios. Porém, não vou utilizar a palavra sempre, pois as pessoas acabam encontrando exceções. Vou colocar aqui que o tipo C normalmente possui sintomas respiratórios. E é uma gripe mais moderada. Então pode estar com o nariz entupido e dor de garganta, mas não terá outros sintomas. Não terá febre, mal-estar ou dor no corpo, nada dessas coisas. Esta é uma diferença importante. Conforme for falando, vou destacar algumas coisas que acho que são interessantes. Agora vou falar algo que acho muito interessante, o vírus influenza do tipo C, que causa sintomas que não são clássicos da gripe. Se alguém estivesse com o nariz escorrendo e dor de garganta eu diria que é uma gripe comum. É aqui que podemos estar enganados. Lembra que falamos sobre os vírus imitadores? Aqui nós temos um exemplo oposto a isso. Onde o vírus da influenza não está sequer causando o que chamamos de gripe. Qual é outra diferença entre os 3 tipos de vírus? Vou escrever agora epidemia. Você pode se sentir desconfortável com o significado dessa palavra. Realmente, essa palavra pode ser usada com sentidos diferentes. Vou especificar o sentido aqui no nosso contexto. Os tipos A e B podem causar epidemias. O tipo C não causa epidemias. O que quero dizer quando falo em epidemia? Vou desenhar rapidamente o sentido de epidemia no qual estou pensando. Vamos olhar para um calendário aqui em baixo. Janeiro, fevereiro, março, abril, maio. Vamos colocar todos os meses do ano. Temos junho e julho. Em seguida, agosto, setembro, outubro, novembro, dezembro. Este é o ano inteiro. Agora, vamos pensar no tipo A ou B. Eu espero que aconteça algo assim. Onde temos um alto índice de atividade no inverno. E no verão a atividade cai. Conforme o inverno se aproxima novamente a atividade torna a subir. Esta seria a atividade para o tipo A ou B. Agora para o tipo C é muito diferente. Vou desenhar em vermelho para o tipo C. Normalmente temos um nível baixo de atividade durante todo o ano. Não muda muito. Então quando falamos em epidemia, quero dizer que é possível ver um aumento no número de casos de gripe. Isto é o número de casos. Você consegue ver um aumento dos casos em alguns meses, em relação ao resto do ano. Fica acima do patamar e em seguida diminui drasticamente durante o verão. Sempre que vemos um número de casos maior do que o esperado podemos dizer que é uma epidemia. Podemos até chamar de epidemia de inverno. Os tipos A e B são responsáveis por estas epidemias de inverno, quando mais pessoas ficam doentes. O tipo C não faz isso. Ainda não falamos muito sobre vacinação Qual desses vírus influenza podemos encontrar na vacina? Temos o tipo A e B na vacina, Porém não temos o tipo C. Isso faz sentido, pois queremos prevenir que as pessoas fiquem muito doentes. Estas pessoas tem febre e mal-estar. E provavelmente vão ficar mais doentes ainda, pois é uma doença mais severa. E na verdade queremos prevenir, o máximo possível, a doença. É esta epidemia que nós queremos previnir. Por isso faz sentido que a vacina seja contra o tipo A e B, e não tipo C. Vou enfatizar isso. Acho que isso é um fato muito interesante e importante da influenza. E a deriva genética? Isso se refere ao acúmulo de mutações. Todos os 3 tipos A, B e C, têm mutações, que resultam na modificação do modo como o seu sistema imune consegue ver esses vírus. Então uma proteína pode mudar um pouco. O 3 tipos sofrem mutações com velocidades diferentes. A velocidade de mutação do tipo C é a mais lenta, e a mais alta é do tipo A. O tipo A possui maior velocidade de mutação. Podemos ver que a velocidade de mutação está aumentando. É interessante que o tipo A possui a velocidade mais elevada, e é a que está nas vacinas. Lembra? Além da deriva genética gostaria de mencionar outra coisa. Lembra que falamos da deriva genética, e da mudança genética. Isso acontence quando pedaços de RNA, ou partes do seu material genético, são trocados entre dois vírus que infectaram a mesma célula. É um problema grande quando estamos falando do vírus tipo A. Mas isso não acontece de forma significativa para os tipos B e C. Não é um grande probelma para esses dois tipos. Mas como falei, é um problema grande para o tipo A. Vou escrever pandêmico, junto com mudança genética. Isso é uma grande preocupação. Não queremos que um vírus ou um vírus da influenza cause estragos significativos na população resultando em inúmeras mortes e hospitalizações. Quero enfatizar que isso pode acontecer com o tipo A. Já vimos acontecer isso com o tipo A algumas vezes nos últimos 100 anos. Mas isto não é uma preocupação para os tipos B ou C. Isto está diretamente relacionado com a mudança genética. A última categoria que gostaria de falar é dos animais. Sabemos que todos os 3 tipos de influenza irão afetar os humanos. Mas quais destes vírus afetam os animais? O tipo A afeta muitos animais. De fato, podemos falar em pássaros. Você já ouviu falar em gripe aviária e gripe suína, não é? Esta última está relacionada com porcos. Cavalos também podem contrair o tipo A. Cachorros podem contrair também. Muitos animais são suscetíveis. Estou enfatizando animais com os quais os humanos estão em contato regularmente. Fazendeiros podem ter contato com porcos. Se você gosta de cavalgar, pode estar perto de cavalos. Muitos de nós temos cachorros. E pássaros estão voando sobre nós o tempo todo. Só para comparar, praticamente não convivemos com animais que são suscetíveis ao vírus tipo B. Então isto não é um problema. Os animais não são um problema com relação ao tipo B. Para o tipo C, existem alguns animais que posso mencionar, porco, cachorro Mas não é tão significativo quanto o tipo A. Um fato importante sobre o tipo A, está diretamente relacionado com a idéia de mudança genética e pandemias. É possível que ocorra essa troca entre genes em aves, porcos e humanos. Isso é algo que serve de base para mudança genética. Se isso acontecer poderemos ter uma pandemia. Então está tudo relacionado. [Traduzido por: Claudia Alves] [Revisado por: Thiago Medeiros]