If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

O que são infecções sexualmente transmissíveis?

O que são infecções sexualmente transmissíveis?

Provavelmente não é a primeira coisa que lhe vem à cabeça, mas se não for cuidadoso, é possível que você seja exposto a qualquer uma das mais de 30 bactérias, vírus ou parasitas que podem lhe contaminar enquanto você faz sexo. Como o nome sugere, uma infecção sexualmente transmissível (IST), também conhecida por doença sexualmente transmissível (DST), é uma infecção que pode ser passada de uma pessoa a outra durante o sexo vaginal, anal ou oral. Das cerca de 30, oito ISTs são particularmente comuns e causam a maioria das doenças sexualmente transmissíveis:
CuráveisTratáveis mas incuráveis
Clamídia (bactéria)Herpes genital (vírus)
Gonorréia (bactéria)Hepatite B (vírus)
Sífilis (bactéria)HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana)
Tricomoníase (parasita)HPV (Papilomavírus Humano)

Como seu corpo mantém os germes longe

Normalmente, os milhões de germes com os quais entramos em contato todos os dias não nos fazem mal. Nossa pele, uma grossa camada seca que cobre o exterior de nossos corpos, e as membranas mucosas (camadas úmidas mais finas que recobrem as cavidades de nossos corpos) são bastante eficientes em mantê-los longe. Apesar das membranas mucosas serem muito mais finas que a pele e serem menos que uma barreira física para a infecção, o fluido viscoso que elas produzem (muco) não somente evita que ressequemos, mas também contém substâncias químicas que matam os germes e auxiliam a nos proteger contra infecção.

O que pode dar errado?

Embora sua pele e membranas mucosas sejam bem equipadas para impedir infecções, os germes podem derrotar estas defesas e causar uma infecção. Uma vez que as membranas mucosas são mais finas que a pele, elas são mais vulneráveis aos micróbios que conseguem, às vezes, ultrapassá-las. Uma vez no interior do corpo, os micróbios se multiplicam e atingem os fluidos corporais incluindo sangue, semen e secreções vaginais. Durante o ato sexual, estes fluidos geralmente se misturam e são espalhados dentro e em volta de seus órgãos genitais, ânus ou boca. Isto significa que os micróbios estão perfeitamente posicionados para atravessar as membranas mucosas da vagina, pênis, uretra, reto, boca ou garganta de um parceiro para outro e vice versa. Também é possível, para alguns tipos de micróbios que causam ISTs, penetrar no corpo através de pequenos cortes ou lesões na pele ou até mesmo através dos olhos.

Sintomas

ISTs frequentemente não causam quaisquer sinais ou sintomas, desta forma, é comum estar infectado e não sabê-lo. Dito isso, se você apresenta sintomas, eles tipicamente incluirão um ou mais dos seguintes:
  • secreções anormais do pênis ou vagina, coceira ou irritação geral
  • sensação de queimação ao urinar
  • irritação cutânea ou feridas nos genitais ou em volta deles
  • sangramento incomum não associado à menstruação
  • dor e inchaço nos testículos.
Se não tratadas, ISTs curáveis e incuráveis podem persistir por anos e causar todo tipo de problemas de saúde graves e potencialmente ameaçadores à vida.
Clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase: não importa se você é homem ou mulher, essas ISTs podem deixá-lo(a) estéril. No entanto, se você é mulher, provavelmente terá a forma mais grave da doença. Cerca de 40% das mulheres com clamídia ou gonorreia não tratadas desenvolverão doença inflamatória pélvica e uma a cada quatro dessas mulheres ficará estéril. Se você estiver grávida e contrair uma ou mais dessas ISTs, existe um alto risco de transmiti-la ao seu bebê, o que, dependendo da infecção, pode causar o parto prematuro, parto de natimorto e cegueira no recém-nascido.
Herpes: se você apresenta sintomas, o primeiro episódio de herpes genital é normalmente o pior e pode ou não ser seguido por uma reincidência de tempos em tempos por muitos anos. Como em muitas infecções virais, você pode apresentar sintomas semelhantes aos de uma gripe durante o episódio inicial, além de feridas, bolhas, dor e coceira.
Hepatitis B e HIV: estes dois vírus também podem causar sintomas semelhantes aos da gripe umas poucas semanas após a pessoa contrair a infecção. A maioria das pessoas com hepatite B sente-se melhor após umas poucas semanas e em alguns meses estará completamente livre do vírus. Mas, aproximadamente em uma de cada dez pessoas, a doença se torna crônica e progressivamente danifica o fígado, causando náusea severa, vômitos e icterícia e algumas vezes câncer de fígado.2 Se você contrair HIV, por outro lado, você o terá por toda a vida. HIV ataca os glóbulos brancos, o que reduz a habilidade do corpo para combater outras infecções. Se você não receber tratamento, normalmente após 10 a 12 anos, em média, com poucos ou nenhum sintoma, você desenvolverá AIDS. Esta é uma doença com risco de vida, com muitos sintomas diferentes causados por infecções múltiplas por organismos que normalmente seriam inofensivos, mas que podem tornar-se muito perigosos quando atacam um sistema imune danificado.
HPV: este vírus se apresenta em muitas formas diferentes. Algumas destas formas podem provocar mudanças em seu cérvix que levam ao câncer cervical e outras causam verrugas genitais ou mais raramente câncer anal. É comum não haver sintomas quando você se infecta, mas se você chegar a desenvolver câncer cervical, os sintomas mais comuns são sangramento e secreções vaginais anormais e dor pélvica. Verrugas genitais podem afetar tanto homens quanto mulheres. Elas são tipicamente pequenas, mas você pode notar estes pequenos inchaços de cor cinza que se parecem um pouco com couve-flor, dentro e em volta de seus genitais. Verrugas também podem se desenvolver em sua boca e garganta se você fizer sexo oral com um parceiro infectado.

O que coloca você em risco de contrair uma IST?

  • Você está em risco de pegar uma IST se for sexualmente íntimo de seu parceiro ou parceiros quando eles tiverem feridas genitais, erupção cutânea, ou secreção de qualquer tipo ou se tiverem quaisquer outros sintomas que possam ocorrer quando se tem uma IST.
  • É muito comum ter uma IST mas não apresentar sintomas, portanto é possível que seu parceiro, ou se seus parceiros sexuais não sabem se têm ou não uma IST, você não será capaz de saber. Em quase todas as circunstâncias, fazer sexo sem proteção (não usar preservativo) coloca você em risco de contrair uma IST.
  • Ter uma IST pode aumentar a probabilidade de você contrair HIV quando fizer sexo com um parceiro infectado por HIV; por exemplo, ter sífilis torna três vezes mais provável que você contraia HIV.1

Qual a probabilidade de você contrair uma IST?

Todos os dias, cerca de 1 milhão de pessoas contraem uma IST. A chance de contrair uma IST é igual tanto para homens quanto para mulheres. Aproximadamente metade dessas infecções são clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase, e todas têm cura.1 Mais de 500 milhões de pessoas têm herpes e quase 3 milhões de mulheres têm HPV. As chances de contrair uma IST variam em diferentes partes do mundo, mas não importa onde você mora, sua probabilidade de contrair uma IST é maior se você for sexualmente ativo(a) e tiver menos de 25 anos. Como, de modo geral, é impossível saber se alguém tem uma IST e a exposição a uma pequena quantidade de micróbios pode causar uma infeção, é prudente assumir que existe uma chance de você se infectar sempre que fizer sexo sem proteção.

Como prevenir uma IST?

  • Use um preservativo (camisinha)
    • a menos que você tenha certeza que você e seu parceiro somente fazem sexo um com o outro e ambos tenham sido testados, com resultados negativo para ISTs, haverá risco de contrair uma IST se você não usar um preservativo. Preservativos masculinos e femininos são muito eficientes para evitar que você contraia uma IST.
  • Não faça sexo
    • evite fazer sexo se seu parceiro ou parceiros mostram quaisquer sinais ou sintomas de uma IST.
      • Faça testes
        • se você vai começar a fazer sexo ou está começando uma nova relação, você e seu parceiro devem ser testados para ISTs antes de fazê-lo. Então faça testes anualmente ou com maior frequência se você achar que pode ter sido infectado.
  • Não compartilhe
    • alguns micróbios podem viver fora do corpo humano em toalhas e roupas de baixo durante dias.
  • Vacine-se
    • a vacina para hepatite B e as vacinas para HPV podem ajudar a protegê-lo contras estas ISTs.

Como as ISTs são tratadas?

Se você acha que pode ter uma IST ou suspeita que foi exposto a uma durante o sexo com um parceiro infectado, quanto mais cedo iniciar o tratamento, melhor. Uma vez que você tenha sido adequadamente diagnosticado, seu médico será capaz de escolher entre uma variedade de tratamentos.
Clamídia, gonorréia, sífilis e tricomoníase - estas ISTs são melhor tratadas com antibióticos e, se tratadas logo, geralmente podem ser curadas. Contudo, é muito importante que seu parceiro ou parceiros sexuais também sejam tratados para que vocês não se reinfectem ou infectem qualquer outra pessoa.
Herpes e HIV - estas ISTs são melhor tratadas com medicamentos antivirais. Estes medicamentos não curam, mas podem reduzir a severidade da doença para que você fique tão saudável quanto possível.
Hepatite B - não há cura para hepatite B crônica, mas ela pode ser tratada com medicamentos que ajudam seu sistema imune combatê-la e com medicamentos antivirais. Se você precisa ou não tomá-los depende de quão ativo o vírus está em seu corpo, e de quanto dano está fazendo em seu fígado, coisas que seu médico decidirá. Há uma vacina disponível que protegerá você de contrair hepatite B, portanto se você não foi vacinado enquanto criança, e é sexualmente ativo, procure tomá-la.
HPV - não há tratamento para o HPV em si, mas verrugas genitais e problemas cervicais podem ser tratados se necessário. Há uma vacina para HPV disponível em muitos países que ajuda a prevenir câncer cervical, câncer anal, e verrugas genitais que é geralmente disponibilizada para meninas e mulheres jovens e algumas vezes para meninos e homens jovens.

Considere o seguinte:

É muito importante ser testado se você acha que pode ter uma IST. Assim como certificar-se de que o medicamento que você precisa para tratá-la ou curá-la, tenha sido receitado, médicos e enfermeiros também podem ajudá-lo de outras formas. O que podem fazer? Você precisa tomar o remédio exatamente como o médico recomendou, para que ele funcione adequadamente. A equipe médica pode ser capaz de facilitar dando-lhe uma dose única que você pode tomar no local, ou se você precisar de mais de uma dose, eles podem lhe dar um plano de tratamento escrito para ser seguido. Além disso, eles podem frequentemente ajudá-lo a avisar seu parceiro ou parceiros sexuais de que há uma chance de que eles têm uma IST, para que também possam ser testados e tratados, se necessário.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.