If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:12:27

Transcrição de vídeo

RKA1JV Eu desenhei aqui uma mãe e seu filho, a mãe à esquerda e o filho à direita. Foi constatado que a mãe tem tuberculose. Em muitos momentos, você vai ver a tuberculose em algum texto, ou mesmo aqui nos vídeos, sendo referido apenas com as duas letras TB, já que é a maneira mais rápida de representá-la. Voltando, vamos dizer que a mãe tem tuberculose, agora, isso é realmente um diagnóstico? Isso é uma descrição de sua doença, isso está nos dizendo que ela realmente tem, com o que ela está doente, mas é preciso lembrar que a tuberculose é realmente causada por um organismo, é causada por uma bactéria. Tecnicamente, seria uma micobactéria, até porque o nome dela é mycobacterium tuberculosis. Esse nome é realmente muito fácil de lembrar porque a tuberculose está no nome dessa micobactéria. No entanto, algo que eu devo destacar é que a mycobacterium tuberculosis não é realmente a única micobactéria que causa a tuberculose. Existem outros tipos de mycobacterium, usando essa palavra "myco" que também causam tuberculose, mas esse aqui que eu escrevi para você é definitivamente o mais comum em todo o mundo. Por isso, esse é o único em que eu vou me concentrar. A palavra "myco" é um termo grego que significa fungo e a razão para essa bactéria ter a palavra "myco" na frente é porque ela cresce muito lentamente, assim como o fungo. Mas vamos considerar que ela seja uma bactéria, sendo assim, o diagnóstico da tuberculose vai dizer que ela é causada por uma bactéria. Vamos voltar sobre a mãe, como já falei, ela está doente com tuberculose, deixe-me esboçar os pulmões aqui para que a gente possa observar. Vamos assumir que a tuberculose está em seus pulmões, esse é realmente o lugar mais comum para ter tuberculose, mas não é o único lugar, eu vou desenhar as bactérias aqui em vermelho. Essas bactérias aqui em seus pulmões estão fazendo com que ela fique muito doente, muito doente com tuberculose, inclusive, ela poderia transmitir para o seu filho. Mas quais seriam as diferentes maneiras que ela poderia transmitir essa doença? Quais são as formas mais comuns? Eu vou esboçar aqui algumas possibilidades. Vamos examinar se essas possibilidades são muito prováveis ou se são improváveis para que ela possa transmitir ao seu filho. Vamos dizer primeiro que eles estão compartilhando essa deliciosa pizza que eu estou desenhando aqui. Vamos dizer que eles gostam muito de pizza e que eles gostam de compartilhar a comida e que juntos eles comeram esse pedaço de pizza. Você pode pensar que essa é uma forma potencial de transmiti-la, talvez haja uma bebida aqui e eles estão compartilhando novamente. Há outras maneiras, talvez eles estejam até tocando coisas em comum, talvez eles estejam abrindo e fechando portas e estejam mexendo nas fechaduras das portas. Talvez ela diga ao seu filho: "Ei, pegue as chaves aí." E ela está segurando as chaves o dia inteiro, então, ela lhe dá as chaves e ele segura essas chaves, e essa é uma outra maneira. Talvez a tuberculose passe a tocar objetos no ambiente como a fechadura de uma porta ou uma chave. Há, ainda, a maneira mais óbvia, você pode estar pensando. Talvez, ela esteja tossindo, talvez ela tenha uma tosse alta, talvez ela esteja tossindo o dia inteiro e algumas dessas bactérias se espalharam pelo ar. Essa é uma outra maneira que você poderia imaginar que as bactérias poderiam ser transmitidas dela para o seu filho, e são maneiras muito diferentes. Agora, dessas maneiras aqui que eu vou destacar, vamos dizer que isso aqui seja através do ar. Quais são as formas mais comuns e preocupantes de disseminar a tuberculose? Deixe-me destacar a mãe em verde, a maneira mais comum é o que chamamos pessoa a pessoa através do ar. Então, nesse caso, a primeira pessoa seria a mãe, porque ela está doente, e vai transmitir a bactéria através do ar até o seu filho. E essas outras maneiras, por exemplo, comida e bebida, isso realmente não é tão comum, ou seja, é realmente muito improvável para que a tuberculose seja disseminada de fato, mesmo isso aqui embaixo também não é provável. Assim, a ideia de contrair tuberculose por compartilhar alimentos e bebidas ou tocar objetos em seu ambiente, como as chaves ou a fechadura da porta ou coisa assim, não é realmente como a tuberculose se espalha normalmente. Ela geralmente se espalha pelo ar, uma pessoa doente geralmente está tossindo muito e a outra pessoa vai respirar. Mas o que vai acontecer a seguir? Deixe-me desenhar um alvéolo aqui. Os alvéolos são pequenos sacos de ar que estão nas extremidades da árvore brônquica. Esses aqui são os alvéolos do filho, eu vou copiá-lo algumas vezes apenas para que você possa ver algumas possibilidades diferentes em termos do que poderia acontecer. Lá vamos nós, temos 4 possibilidades, possibilidade 1, 2, 3 e 4 Basicamente, vamos passar por diferentes cenários, coisas diferentes que podem acontecer quando a mãe tossir, vamos à primeira possibilidade. Quando ela tossir, as bactérias simplesmente não vão conseguir chegar longe o suficiente, então, elas não vão conseguir chegar ao filho, nesse caso, ele não vai respirar a bactéria. Se esse fosse o caso, não haveria bactérias em seus alvéolos, ou seja, seus pulmões ficariam agradáveis e limpos, sem bactérias e ele estaria se sentindo ótimo. Esse aqui é o filho que está se sentindo muito bem, nesse cenário 1 diríamos, basicamente, que ele é saudável, porque as bactérias nunca chegaram aos seus pulmões. Agora vamos ao cenário 2, vamos dizer que a tosse realmente foi muito forte e ele estava por perto e acabou respirando alguns deles, seja pelo nariz ou pela boca, com isso eles desceram para os seus pulmões, essa é uma outra possibilidade. Uma vez que as bactérias cheguem lá nesse pequeno alvéolo, elas poderiam ser pegas por células imunes. Lembre-se que o filho tem pequenas células que estão patrulhando os pulmões, certificando-se de que eles fiquem agradáveis, limpos e saudáveis. Essas pequenas células imunes são chamadas macrófagos, um termo que significa literalmente grande comedor, porque fago significa comer, então, essas células imunológicas podem ver e engolir essas bactérias, tomá-las e destruí-las. Essa seria uma outra possibilidade, a possibilidade número 2. Nessa possibilidade, as bactérias se foram e não estão mais ali. Digamos agora que, no cenário 3, tem um par de bactérias aqui, e, assim como antes, vai ter um par de células imunes que vão vir e engolir essas pequenas bactérias. Esses são os macrófagos que estou desenhando, eles engoliram as bactérias. Mas vamos dizer que, infelizmente, no cenário 3, esses macrófagos, por algum motivo, não conseguiram destruir as bactérias. A bactéria ainda está viva e é por isso que eu desenhei aqui com pequenos pontos vermelhos, elas ainda estão vivas, ainda estão lá. Vamos observar agora o quarto cenário e que, novamente, vamos dizer que um par de bactérias conseguiu entrar e as células do sistema imunológico novamente foram alertadas e elas vêm e conseguem pegar uma dessas bactérias. A célula imune talvez esteja tentando ir atrás da outra, talvez esteja realmente por perto, mas aqui, a principal diferença é que essas bactérias estão se multiplicando, por isso que eu vou desenhar muitos deles. Essas bactérias estão se multiplicando, e estão enchendo todo esse espaço, então, esse espaço está se enchendo de pequenas bactérias vermelhas. Como eu disse, a principal diferença aqui é que essas bactérias estão se multiplicando e nós não falamos sobre isso nos outros cenários, tendo essas bactérias se multiplicando dessa forma. Isso aqui é coisa nova. Nesse cenário, nós chamaríamos isso de ativo, porque você está realmente vendo as bactérias prosperando. Chamamos isso de infecção de tuberculose ativa. Vamos voltar aqui atrás e chamar esses dois cenários de infecção tuberculosa latente. A razão pela qual estou colocando os dois juntos é porque é muito difícil distinguir clinicamente o cenário 2 do cenário 3. Isso porque em ambos os casos o sistema imunológico vai ter uma experiência prévia com a bactéria da tuberculose, e, em ambos os casos, você não vai estar vendo bactérias que se dividem ou se multipliquem. Por isso, nós agrupamos esses dois juntos e chamamos de infecção tuberculosa latente. Algo que precisamos destacar também é que não existe uma diferença entre saudável, ou seja, alguém que nunca viu a tuberculose antes em sua vida e latente, onde a pessoa já teve uma experiência com tuberculose anteriormente, mas que não tem nenhuma bactéria que está se multiplicando, ou seja, uma infecção tuberculosa ativa, onde você tem muitas bactérias da tuberculose que estão se multiplicando. Vamos voltar aqui e nos concentrar na parte final. Nessa parte em que elas estão se multiplicando, mas que também não tem nenhuma infecção ativa, vamos dizer que o nosso filho, nesse caso, contraiu tuberculose da mãe, e que, infelizmente, ele tem uma infecção de tuberculose ativa. Quais seriam as pistas para nos dizer se ele tem uma infecção ativa? Se eu estou tentando descobrir se alguém tem tuberculose, eu sempre penso em duas coisas importantes: quais são os seus sintomas e quanto tempo está acontecendo. Inclusive, vou chamar isso de duração. Essas duas questões oferecem pistas realmente úteis para descobrir se alguém tem tuberculose. Com os sintomas, eu vou dividir em duas categorias, a primeira é chamada de constitucional. Os sintomas constitucionais são aqueles que afetam todo o corpo, eu vou destacar isso aqui e colocar em todo o corpo, para nos lembrar disso. Isso pode ser coisas como febre ou calafrio, você não pode realmente apontar para uma parte do seu corpo e dizer: "Olha, essa é a parte que está tendo febre e calafrio". Você diria apenas que está se sentindo horrível. Isso poderia ser coisas como suores noturnos, por exemplo, se você acorda e percebe que sua camisa está toda molhada, é um forte indício de que se trata de uma sudorese noturna. Outro exemplo de sintoma constitucional é perda de peso, particularmente quando você não está tentando perder peso. Especialmente, porque talvez você não esteja comendo tanto ou porque você esteja vomitando ou algo assim. A outra categoria é trato respiratório inferior, isso, se eu quiser desenhá-lo, seria basicamente a parte em azul aqui. Descendo de sua caixa torácica, percorrendo todo o caminho até os alvéolos, esse seria o seu trato respiratório inferior. Você pode pensar sobre que tipo de sintomas você pode ter lá. Poderia ser coisas como tosse, que estaria vindo dos pulmões, se você está tossindo muito, você pode ter um pouco de sangramento ou ainda ter um escarro sangrento. O escarro é apenas o material de muco que você tosse e de um monte de pessoas que não estão tossindo tanto. Eles podem ter dificuldade para respirar ou ainda a dor no peito, ou algo assim e esses são apenas alguns exemplos de sintomas do trato respiratório inferior. Eu sempre penso aqui na minha cabeça: Ele está tendo sintomas constitucionais? Se estiver, é um indício de tuberculose? Ele está tendo alguns sintomas do trato respiratório inferior? Se estiver, é um indício de tuberculose? Por último, há quanto tempo está acontecendo? Geralmente com coisas como infecção de tuberculose ativa, essas coisas duram mais de três semanas, isso mesmo, mais de três semanas. Assim, podemos focar a nossa atenção para a tuberculose dos pulmões ou da pleura, que é um espaço ao redor dos pulmões. Essas dicas se tornam muito úteis para descobrir se alguém realmente tem infecção de tuberculose ativa.