If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:46

Transcrição de vídeo

RKA2MB - Ok, o último tipo de droga psicoativa de que vamos falar aqui são os alucinógenos. [Com] estas drogas, como você poderia esperar, os usuários experimentam alucinações ou sensações que não estão realmente lá. Mesmo que todos os alucinógenos causem percepções alteradas de sentimentos, existem muitos tipos diferentes de alucinógenos que podem ter uma ampla gama de efeitos fisiológicos específicos. Alguns alucinógenos têm uso médico, onde chegaremos no final deste vídeo. Em primeiro lugar, vamos falar sobre uma droga que atravessa a linha entre estimulantes e alucinógenos: o ecstasy. Ecstasy é uma droga sintética que está no meio entre o mundo estimulante e o mundo alucinógeno. Como estimulante, aumenta bastante a dopamina e serotonina, e leva a uma sensação de euforia. Ele também estimula o sistema nervoso central do corpo. Depois de tomar ecstasy, as pessoas experimentam pressão alta, desidratação e superaquecimento; às vezes, até o ponto de levar à morte. Ecstasy pode danificar os neurônios que produzem serotonina. A serotonina tem várias funções, uma das quais é moderar o seu humor. Se você não produz serotonina, você pode experimentar um humor permanentemente deprimido, e isso pode chegar a ser um efeito colateral do ecstasy. Esse é o ponto estimulante. E, no lado do alucinógeno, ecstasy provoca alucinações e sensações intensificadas. As pessoas costumam ter um sentimento artificial de conexão social e intimidade, bem como, potencialmente, veem coisas que não estão lá. Então, só para recapitular: como estimulante, ecstasy aumenta a frequência cardíaca e outras funções corporais; e, como alucinógeno, faz com que você perceba as coisas que não estão lá. Outro alucinógeno popular é o LSD. LSD, como muitos alucinógenos, interfere com a serotonina, que faz com que as pessoas experimentem sensações que, na verdade, não vieram do meio ambiente; em outras palavras, alucinações. Com o LSD, a maioria das alucinações são visuais, em oposição à audição. Então, você vê coisas que não estão lá, ao invés de escutar sons que não existem. A maconha também é considerada um leve alucinógeno, embora compartilhe propriedades com outros tipos de drogas também. A principal substância ativa da maconha é o THC, que aumenta a sensibilidade às cores, sons, gostos e cheiros. Essa é a parte alucinógena; como o álcool, porém, a maconha reduz a inibição e prejudica a coordenação motora e as habilidades de percepção. Então, não fume maconha e dirija. A maconha também pode atrapalhar a formação de memória e interfere na memória de curto prazo. Ao contrário do álcool, no entanto, o THC permanece no corpo por até uma semana. Isso faz com que os usuários regulares realmente precisem de menos droga, ao invés de mais, para ficarem dopados. Às vezes, a maconha também é utilizada para aliviar a dor e a náusea em situações médicas. Mas, como qualquer medicação, você tem que pesar os potenciais efeitos colaterais contra os possíveis benefícios. Outros usos médicos de alucinógenos incluem o tratamento do TEPT (transtorno de estresse pós-traumático). Alguns tipos de alucinógenos parecem permitir que pessoas acessem memórias dolorosas de seu passado, mas de uma maneira que é desvinculada de quaisquer reações emocionais fortes. Assim, isso pode significar que elas podem lembrar uma memória traumática e chegar a uma harmonia, de forma que não é possível em circunstâncias normais.