If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:19

Transcrição de vídeo

RKA2MB - Nós conversamos sobre depressores, que deprimem a atividade neural e as funções corporais. Por outro lado, temos estimulantes, que estimulam ou intensificam a atividade neural e funções corporais. Estes podem variar de estimulantes diários, como cafeína, a drogas mais pesadas, como cocaína, anfetamina, metanfetamina e ecstasy. Entre esses extremos estão a nicotina, que é encontrada nos cigarros. Se você já tentou ficar acordado bebendo café, um refrigerante ou algo parecido, então você sabe que a cafeína adiciona energia e pode atrapalhar seu sono por várias horas. A nicotina, na verdade, age de forma semelhante: aumenta sua frequência cardíaca e pressão sanguínea, e desperta o cérebro para um estado de alerta elevado. A nicotina também suprime o seu apetite, que é uma das razões de que as pessoas, às vezes, ganham peso quando param de fumar. Sem a nicotina, retorna o apetite e elas comem mais. Em níveis muito altos, a nicotina pode fazer os músculos relaxarem e pode causar a liberação de certos neurotransmissores que podem reduzir o estresse. Essa é a resposta natural do seu corpo para tentar neutralizar toda aquela tensão aumentada e causada pela nicotina. A cafeína e a nicotina são fisiologicamente viciantes: significa que seu corpo se acostuma a elas, e começa a experimentar reações negativas quando você não recebe o suficiente. Por exemplo, você pode conhecer pessoas que bebem muito café todos os dias, ou você pode ser uma dessas pessoas, [e] se você não toma seu café, pode sentir dor de cabeça, irritabilidade, dificuldade de concentração e até depressão. Esse é um sintoma da abstinência da cafeína do café. A nicotina é ainda mais viciante do que isso. Essa é uma das razões pelas quais é tão difícil parar de fumar. Quando o corpo se acostuma com a nicotina, sua ausência pode levar a sintomas de abstinência, como ansiedade, insônia, distração e irritabilidade. A cocaína é um estimulante ainda mais forte. Isso faz com que seu cérebro libere muita dopamina, serotonina e norepinefrina, que basicamente esgota o suprimento do seu cérebro. Quando passa o efeito da droga, você experimenta um choque intenso e se torna muito deprimido. Os usuários regulares de cocaína podem experimentar distúrbios emocionais, cismas, convulsões, parada cardíaca ou insuficiência respiratória. Anfetaminas e metanfetaminas também desencadeiam a liberação de dopamina. E a metanfetamina pode causar uma sensação de euforia que pode durar até oito horas. Mas, depois disso, as pessoas experimentam novamente irritabilidade intensa, insônia ou até convulsões e depressão. A metanfetamina é altamente viciante, e as pessoas vão literalmente dedicar suas vidas a conseguir novas doses. Viciados, em longo prazo, podem até perder a habilidade de manter níveis normais de dopamina enquanto seu cérebro tenta se ajustar aos níveis altos e intensos da droga.