Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:5:27

Transcrição de vídeo

Neste vídeo, vamos falar sobre microglia, que são células gliais do sistema nervoso central. Seu nome vem do grego que significa "pequena cola" o que na verdade não faz muito sentido. Mas quando todas as células gliais estavam recebendo seus nomes, a microglia era visivelmente menor que todas as outras células gliais. Assim, as células acabaram sendo chamado microglia. E todas as outras células gliais, serão algumas vezes chamadas coletivamente de macroglia porque todas elas tendem a ser maiores que a microglia. A maioria ou todas as microglias provavelmente resultam de monócitos circulantes da medula óssea, que em seguida, entram no sistema nervoso central. De modo que elas são, portanto, da parte do embrião chamada mesoderme, ao contrário da ectoderme de onde todas as outras células neurais têm sua origem. Microglias vêm em algumas formas diferentes. Microglias em repouso têm uma pequena soma e muitos processos altamente ramificados longos partindo em todas as direções. partindo em todas as direções. E quando elas estão nesta forma, elas são chamadas de microglia em repouso. chamadas de microglia em repouso. Microglias ativas são maiores e meio que uma forma de bolha. Algumas pessoas dizem que elas têm a forma de uma ameba. Então, quando elas têm esta forma, elas são chamadas de microglias ativas. elas são chamadas de microglias ativas. Quando as microglias estão em repouso, elas estão basicamente por lá, só experimentando o fluido intersticial. Todas elas possuem esses processos longos e altamente ramificados saindo para fora, só de olho no fluido intersticial. E eles estão, basicamente, procurando confusão. E quando microglias em repouso detectam que há problemas acontecendo, elas se convertem em microglias ativas. Elas retraem todos esses processos ramificados e se transformam em microglias ativas. E o principal tipo de problema que estão procurando é inflamação. E se são nflamação de lesões ao tecido do sistema nervoso central ou uma infecção de algum tipo, como uma bactéria ou um vírus que entrou no sistema nervoso central. Agora microglias ativas se parecem e agem como macrófagos em qualquer outro lugar do corpo, que é um tipo de célula que se move ao redor através de tecidos à procura de células mortas ou danificadas ou células estranhas. Portanto microglias ativas irão mover-se ou migrar para áreas de inflamação e estão à procura de coisas como bactérias ou outras células estranhas que invadiram e estão causando uma infecção ou células mortas ou danificadas do sistema nervoso central. Agora, se uma microglia ativa encontra uma célula externa como uma bactéria, ela pode secretar substâncias que são chamadas citotóxicas, que podem matar as células estranhas. Por exemplo, espécies reativas a oxigênio -- que eu vou apenas abreviar para "ERO" -- que poderiam matar uma célula como uma bactéria. E secreção de fatores citotóxicos é uma das principais funções da microglia. Agora, depois que a microglia matou a bactéria, a bactéria se tranforma em detritos, apenas pedaços quebrados de bactéria. E não há nada que a microglia goste mais do que se alimentar de detritos. E não precisa ser detritos de células estranhas, como uma bactéria. mas qualquer célula do sistema nervoso central, se está morta ou danificada e há restos, basicamente, qualquer coisa que não é uma célula normal e saudável do sistema nervoso central, a microglia vai comê-la. Ele vai levá-la dentro de sua própria célula e dividi-la em pedaços menores. Portanto, esta é outra função da microglia, que é chamada fagocitose, que significa comer células ou comer detritos. Assim como outros tipos de células fazem por todo o corpo, quando eles são como os macrófagos, elas se parecem bem como microglias ativas. Agora, essas funções não precisam acontecer nesta ordem. Se uma microglia encontra algo anormal e se alimenta dele, isso frequentemente deixa a microglia animada e pode até começar a secretar fatores citotóxicos, ou outras substâncias que interagem com células imunes para causar ainda mais inflamação. Agora, após a microglia comer os restos, ela executa sua próxima função importante, que é levar aqueles pedaços quebrados de detritos que comeu e colocar pequenos pedaços fora em sua superfície para outras células ver e, especificamente, outras células do sistema imunológico como linfócitos. Linfócitos virão e vão reconhecer ou eles vão olhar para estes pedaços de detritos que a microglia comeu e está agora apresentando na sua superfície para o linfócito. Qualquer molécula que uma célula do sistema imunológico é capaz de reconhecer, chamamos de antígeno. Então, essa função é chamada de apresentação de antígeno. Então, essa função é chamada de apresentação de antígeno. Com o efeito que estas células imunes possam aumentar a inflamação e tentar para fazer a inflamação mais específica para qualquer que seja o antígeno foi, particularmente se vem de uma célula externa. Então a microglia é ativada por inflamação e a microglia também contribui para a inflamação. Portanto, a microglia desempenha um papel importante na inflamação no sistema nervoso central. Adicionalmente a estas funções, a microglia parece influenciar os neurônios, outras células gliais, e outras células do sistema imunológico e vice versa, através da troca de uma variedade de substâncias.