Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:3:47

Transcrição de vídeo

Neste vídeo, Vou falar sobre como neurotransmissores são removidos da sinapse. Em outros vídeos, falamos sobre como potenciais de ação viajam pelos axônios e a informação contida em potenciais de ação é realmente contida na frequência de tiro de potencial de ação, e a duração de uma sequência de potenciais de ação. E quando o potencial de ação alcança o axônio terminal, e o fim do axônio, neurotransmissores são liberados na fenda sináptica para se vincular a receptores de neurotransmissores na célula alvo. Mas se um neurônio dispara potenciais de ação com muita frequência, se há muitos potenciais de ação chegando ao axônio terminal, então a taxa de libertação de neurotransmissores na sinapse, pode exceder a taxa que o neurotransmissor pode difundir passivamente fora da sinapse, então a difusão é o primeiro método pelo qual o neurotransmissor pode ser removido da sinapse. "Difusão". Mas isso só funciona se o neurônio está disparando potenciais de ação em baixa frequência. Em alta frequência, difusão não será suficiente, e haverá um acúmulo de neurotransmissores na sinapse. E isso é um problema, porque se o neurotransmissor está demorando na sinapse, então neurotransmissores limitam o receptor de neurotransmissor, na maior parte do tempo, e a informação contida na frequência, e a duração de sequências de potenciais de ação, não poderão ser transmitidos na célula alvo. A sinapse não será funcional para comunicar informações adicionais. Portanto, neurotransmissores podem precisar ser ativamente removidos, não apenas por difusão passiva, para retirar o neurotransmissor da fenda sináptica. E há várias maneiras em que isso acontece. O primeiro desses métodos ativos, o segundo de remoção de neurotransmissores da sinapse, são enzimas que quebram o neurotransmissor na sinapse. Então algumas sinapses contém enzimas que irão quebrar o neurotransmissor em suas partes componentes, que não podem mais estimular o receptor de neurotransmissores. Então eles estão removendo neurotransmissores ativos da sinapse. O próximo método ativo, é que algumas membranas pré-sinápticas contém bombeamento especial, canais de transporte ativos, que ativamente bombeiam de volta para o neurotransmissor, no axônio terminal, onde é reciclado, para ser usado em uma rodada subsequente de neurotransmissão, sendo lançado de volta na sinapse. Então esse bombeamento é chamado de "Bombas de Recaptação", porque ele coloca o neurotransmissor de volta no axônio terminal de onde veio originalmente. Ao fazer isso, ele remove o neurotransmissor da fenda sináptica. Outro método de ativamente remover o neurotransmissor da sinapse é pelo "Astrocyte Endfeet". Então os atrócitos no sistema nervoso central põe seus "endfeet" em muitas das sinapses no sistema nervoso central, e ele também têm bombeamento em muitas dessas sinapses, que podem ativamente bombear o neurotransmissor para fora da sinapse, dentro do astrócito. E, algumas vezes, ele será quebrado, ou usado no astrócito, ou, algumas vezes, o astrócito vai transferir algumas das substâncias dos neurotransmissores para dentro do axônio terminal do neurônio, onde ele será reciclado e usado novamente na neurotransmissão. Então todos esses métodos diferentes permitem que a sinapse rapidamente se ligue e desligue. Porque o neurotransmissor pode ser lançado na fenda sináptica, e pode ser rapidamente retirado, para que a sinapse seja capaz de passar mais informação do neurônio para a célula alvo. [Legendo por Raysa Valentim]