If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:40

Transcrição de vídeo

e aí pessoal tudo bem imagine um homem que queira partir do seu bolo rapidamente e por isso ele quer a soprar bem rápido as velas e ele vai em direção ao bolo e ele puxa o ar profundamente o que nós chamamos de inspiração e ele inspirou a e se aproxima do bolo para soprar as velas e aí ele solta ao ar o que nós chamamos de inspiração e na inspiração nós usamos um músculo bastante poderoso chamado de diafragma é um dos músculos mais importantes na inspiração não se esqueça disso e também tem outros músculos aqui entre as costelas que são chamados de músculos intercostais externos e são chamados de externos porque estão mais perto da superfície e intercostais porque estão entre as costelas o costal se refere à costela esses dois grupos musculares ou seja os intercostais externos e o diafragma são muito úteis na inspiração existem outros mas esses dois você tem que saber agora na expiração tão bem têm lucros importantes mas claro a inspiração parece o processo passivo mas quando nós operamos as velas nós temos que forçar a saída do ar e precisamos usar os músculos dois deles vocês precisam saber o primeiro são os músculos abdominais que são muito potentes e outro os músculos intercostais internos o inter porque são internos no corpo mas também estão entre as costelas então esses dois grupos são os grupos musculares mais importantes na expiração então sempre tem que lembrar do externo e do interno e isso vai te ajudar bastante então continuando o homem vai inspirar profundamente o ar e depois ele vai inspirar uma parte com isso as velas vão se apagar e ele vai poder comer o bolo tudo isso está acontecendo de forma voluntária ou seja o homem ele quer apagar as velas e o que acontece de forma involuntária eu vou colocar aqui os eventos que ocorrem involuntariamente ou seja eventos controlados pelo cérebro e você não precisa se preocupar com isso então para o primeiro exemplo eu vou desenhar aqui o nariz ea boca e claro o ar entrando por eles e ele vai se deparar com a superfície da boca e do nariz onde nós temos alguns nervos olha aqui estão os nervos e esses nervos eles percebem o pólen e outros irritantes e que são chamados de meca no receptores e que são muito sensíveis e por isso eles podem perceber muitos tipos de coisas como por exemplo poeira e se esses nervos percebem algo eles mandam um sinal para o cérebro e aqui vem a parte legal o sinal prossegue até chegar no cérebro para comandar algumas ações como a baixar os músculos do palato esse aqui é o palato e também elevar os músculos da língua e agora eles vão trabalhar juntos para praticamente fechar a garganta fica um espaço bem pequenininho por onde pode passar um pouco de ar mas a maioria do ar sai por aqui e assim nós temos uma grande inspiração que significa que o ar é apelido vigorosamente passando pelo nariz e adivinha o que vai acontecer é o que chamamos de espirro deixa eu explicar isso aqui então quando uma pessoa espirra é meio que o corpo fazendo uma inspiração forçada na qual é expelido pelo nariz e com isso removendo tudo que estava irritando os meca no receptores então o espirro basicamente é uma inspiração forte pelo nariz agora vamos ver outro exemplo de movimento involuntário aqui aqui você tem a sua tranquila e tem as ramificações você também tem aqui os mexicanos receptores que também revestem a tranquei a e que quando irritados também enviaram um sinal ao cérebro e aí o cérebro vai saber que há algo irritando a tranquei a ou seja os mercados receptores informaram e lembra o que tem na extremidade da franquia então ela tem uma pequena abertura a onde se encontram as cordas vocais então aqui temos as cordas vocais de um lado e de outro vou deixar só uma abertura em aqui em preto que é onde está passando normalmente o ar passa por aqui quando falamos ou cantamos então aqui as cordas vocais estão em branco e nós temos duas cordas vocais e uma fenda entre elas e o que acontece quando os mexicanos receptores são irritados o cérebro ele recebe o comando para duas ações empurra o ar para fora usando os músculos abdominais e os intercostais internos e aí o ar será expulso e isso vai fechar as cordas vocais por um breve momento e com esse fechamento uma pressão será formada internamente ou seja a pressão vai aumentar então a pressão vai aumentar na tranquei a e segundos depois as cordas vocais abrem se novamente e aí o que acontece é que o ar vai ser expulso muita força e é isso que nós chamamos de tosse e o que acontece é uma inspiração muito forte provocada por aqueles músculos a licitados e com isso ocorre um fechamento temporário das cordas vocais e isso causa um aumento gradativo da pressão que vai acumulando até que as cordas vocais se abram é quase que uma mina explosão na tranquei a e que nós chamamos de tosse e eu vou desenhar aqui o último exemplo e aqui nós temos o estômago e que também possui marca no receptores e aí esses nervos eles percebem que o estômago está bastante cheio e aí enviam uma mensagem ao cérebro que o estômago está muito estendido ok a mensagem foi enviada com mais com a resposta do cérebro como no exemplo anterior eu vou desenhar a franquia é que a tranquei a com a ramificação e eu também vou desenhar aqui as cordas vocais aqui as cordas vocais pequenas que inicialmente vão se abrir e aí o ar vai passar por causa da inspiração então agora nós estamos usando os músculos da inspiração principalmente o diafragma e os músculos intercostais externos e assim como antes as cordas vocais se fecham repentinamente e com as cordas vocais fechadas repentinamente o que acontece o ar não vai passar de jeito nenhum deixou a pagar aqui porque o ar não vai mais conseguir passar o ar literalmente se choca com as cordas vocais fechadas e não consegue escapar para lugar nenhum e mais a vai entrando e se chocando com as cordas vocais fechadas e o que isso causa o soluço e é muito interessante como o soluço é o oposto da tosse né na tosse oab está sendo expelido quando as cordas vocais são fechadas já no solo suor é inspirado quando as cordas vocais são fechadas mas claro é algo muito estão antônio é muito rápido mas que causa uma grande alteração o porquê do soluço ainda é um grande mistério mas pelo menos nós conhecemos o seu mecanismo mas é isso aí pessoal até a próxima aula