If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:8:52

Transcrição de vídeo

RKA1JV Todos os grupos funcionais deste vídeo contém uma ligação dupla entre oxigênio e carbono, e esta ligação dupla entre oxigênio e carbono, nós chamamos de carbonila. Repare aqui que em todos esses grupos funcionais que nós vamos falar, todos eles contém a carbonila. O primeiro grupo funcional é o chamado aldeído. O aldeído é caracterizado por conter um radical "R" de um dos lados da carbonila e um H, um hidrogênio do outro lado da carbonila. Nós temos um exemplo aqui à direita, estou destacando aqui a carbonila, veja que de um lado nós temos o hidrogênio, que está diretamente ligado à carbonila, a este carbono da carbonila, e do outro lado, temos o grupo "R" e o carbono da carbonila recebe o número 1, que é o menor número possível. Então, este vai ser o 2, este vai ser o 3 e este o 4. Então, nós vamos nomear um aldeído de 4 carbonos, nós sabemos que 4 carbonos é "but", é o prefixo "but". Como a ligação é simples, nós temos o butano. Para indicar que ele é um aldeído, nós colocamos o sufixo "al", então, este composto é o butanal. Em seguida, vamos olhar aqui para a cetona. A cetona tem um grupo "R" de um dos lados da carbonila e outro grupo "R" do outro lado. Estes grupos "R" podem ou não ser iguais. Então, aqui no nosso exemplo, nós vamos nomear os carbonos de modo que a carbonila fique com o menor número possível, então, a gente começa deste lado aqui, 1, a carbonila vai ser o 2, aqui é o 3, 4 e 5, então, é uma cetona de 5 carbonos. Um alcano de 5 carbonos é chamado de pentano, e é o sufixo "ona" que designa cetonas, então nós adicionamos aqui, e nós temos a pentanona. Para indicar a posição da carbonila, nós vamos adicionar o número 2, que é o carbono da carbonila, a posição onde ele está. Isso é porque nós podemos desenhar aqui, por exemplo, uma outra cetona, outra pentanona em que a carbonila está, por exemplo, no carbono 3. A molécula 3-pentanona é diferente da molécula 2-pentanona. Por isso, nós indicamos a posição da carbonila, o que não acontece no aldeído. Aqui, nós não indicamos a posição da carbonila porque ela só pode ficar nessa única posição aqui. Repare que o aldeído possui este hidrogênio diretamente ligado ao carbono da carbonila enquanto a cetona possui 2 radicais "R" ligados ao carbono da carbonila. Se você tiver dificuldade para diferenciar cetona de aldeídos, procure pelo hidrogênio diretamente ligado ao carbono da carbonila. Em seguida, nós temos o ácido carboxílico, que possui um grupo "R" de um lado da carbonila, e um grupo OH do outro lado. O ácido carboxílico pode ser facilmente confundido com o álcool, mas são compostos muito diferentes, repare que o H está ligado diretamente ao carbono da carbonila, isso faz com que o ácido carboxílico tenha propriedades especiais que diferem daquelas do álcool, então, veja aqui o nosso exemplo à direita. Nós sabemos que o carbono da carbonila leva o número 1, este é o carbono 2, este é o carbono 3 e este é o carbono 4. Então, ácido carboxílico de 4 carbonos. Se o alcano de 4 carbonos é o butano, basta adicionarmos, então, o prefixo "oico" para indicar que é o ácido carboxílico. Então, nós temos o ácido butanóico. Um dos ácidos carboxílicos mais famosos possui dois carbonos, é o ácido acético. O vinagre é uma solução diluída de ácido acético em água. Então, nosso próximo composto é o aleto de ácido. Então, aqui nós temos a carbonila, um grupo "R", e aqui nós temos o cloro que é o átomo mais comum mesmo nos ácidos de Química Orgânica. Os aletos de ácidos vêm do ácido carboxílico, então, temos aqui um exemplo à direita, temos a carbonila, temos o halogênio, e aqui nós temos o haleto, este composto é normalmente chamado de cloreto de acila. Nosso próximo grupo funcional é o anidrido de ácido, aqui nós temos a carbonila, um grupo "R" ligado a ela, e em vez do cloro, como temos aqui em cima, nós temos tudo isso aqui do outro lado. Então, este é o anidrido de ácido, também conhecido somente como anidrido, ele também é derivado do ácido carboxílico. O próximo grupo funcional é chamado de éster. O éster também é derivado do ácido carboxílico, o ácido carboxílico possui um hidrogênio nesta posição aqui, e agora nós temos um grupo "R", então, nós temos nossa carbonila, ligado a ela um OR, e outro "R" do outro lado aqui, aqui ao lado nós temos um exemplo de éster. Então, temos um grupo etil em vez do hidrogênio. No ácido acético, veja, existe um hidrogênio aqui. No éster, é um grupo etil, então, não podemos confundir éster com o ácido carboxílico. Para nomear este éster, nós juntamos o etil com o acetato, então, o nome é acetato de etila. Finalmente, nosso último grupo funcional é a amida, Agora, nós temos a carbonila e veja que temos um nitrogênio ligado ao carbono da carbonila com um par de elétrons livres. Temos aqui os grupos "R" que poderiam também ser hidrogênios, também poderia ser grupos alquila e diversos outros grupos. Aqui à direita, temos um exemplo, o carbono da carbonila leva o número 1, então 1, este é o número 2, este é o 3, e este é o 4. 4 carbonos, então nós temos butanamida ou butanamina também, depende de como você prefere pronunciar. Bem, pessoal, por hoje é só, espero que vocês tenham gostado. E até o próximo vídeo!