Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Definições de ácido-base

Definições de ácidos e bases de Bronsted-Lowry e de Lewis. Versão original criada por Jay.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.

Transcrição de vídeo

RKA2G Neste vídeo, a gente vai falar sobre as definições de ácido e base de Brönsted-Lowry e também de Lewis, começando por Brönsted-Lowry. Um ácido de Brönsted-Lowry é um doador de próton e uma base seria um aceptor de próton. Vamos começar relembrando o que "próton" significa. Olhando para este diagrama, vamos desenhar um átomo de hidrogênio, que é o isótopo mais comum. Aqui no núcleo, ele tem um próton (uma carga positiva) e aqui, orbitando ao redor dele, ele tem um elétron (uma carga negativa). Esse seria o hidrogênio, com um elétron de valência orbitando ao redor. Se a gente retira esse elétron, a gente fica com a carga positiva no núcleo. Então, o próton seria o núcleo de um hidrogênio, que é igual a H⁺. Vamos ver como isso se aplica a uma reação ácido-base. Aqui nesta reação, a gente tem a água e o ácido clorídrico. Nessa ligação entre o hidrogênio e o cloro, um elétron vem de hidrogênio e o outro vem do cloro. Eu vou fazer o elétron que vem do hidrogênio em azul, que seria este elétron aqui, e o elétron que vem do cloro, em verde. Nesta reação, o que acontece é que um par de elétrons do oxigênio pega este próton, o núcleo do hidrogênio, deixando este elétron para trás. Então, este elétron vai ficar aqui no cloro. Aqui a gente tem a água e ela vai fazer mais uma ligação com o hidrogênio. Vamos marcar estes elétrons aqui, porque estes elétrons agora fazem essa ligação do oxigênio com o hidrogênio. E os dois elétrons que sobram aqui no oxigênio (vamos pintá-los de laranja) continuam sobrando aqui. Essa nova ligação deixa o oxigênio com uma carga formal positiva. Este é o íon hidrônio, H₃O⁺. Para o outro produto, a gente tem o cloro, com três pares de elétrons, o elétron em verde, que já era dele e o elétron em azul, que ele pegou do hidrogênio, ficando, então, com uma carga formal negativa. Este é o íon cloreto, Cl⁻. Agora, vamos identificar o ácido e a base de Brönsted-Lowry dessa reação. Aqui, a água atuou como um aceptor de próton, então, a água vai ser a base de Brönsted-Lowry. E o ácido clorídrico atuou como doador de próton, então, o ácido clorídrico, nesta reação, é o ácido de Brönsted-Lowry. Seguindo em frente, vamos identificar os pares conjugados ácido-base. O ácido clorídrico é o ácido de Brönsted-Lowry nesta reação, então, a gente pode pensar na base conjugada como o íon cloreto. O íon cloreto vai ser a base conjugada. A água foi a base de Brönsted-Lowry, então, o ácido conjugado vai ser o H₃O⁺. O H₃O⁺ é o ácido conjugado. Quando a gente procura pelos pares ácido-base conjugados, estamos procurando por uma diferença de um próton. Então, H₂O e H₃O⁺ é um par e HCl e Cl⁻ é o outro par. E agora, a gente pode pensar no H₃O⁺ como um ácido e no Cl⁻ como uma base. A gente por pensar no H₃O⁺ doando um próton para o Cl⁻. Então, essa reação ocorre para o outro lado, também. Eu vou desenhar a seta menor porque o equilíbrio dessa reação é muito deslocado para a direita, então, a gente vai ter muito mais produtos da direita. Essa é a ideia de Brönsted-Lowry. Agora a gente vai dar uma olhada em uma definição um pouco mais ampla, que seria o ácido e base de Lewis. O ácido de Lewis seria um aceptor de par de elétrons e a base de Lewis seria um doador de par de elétrons. Vamos olhar para essa reação. Aqui a gente tem um éter cíclico e aqui a gente tem um borano. A gente pode notar que o borano não tem um octeto de elétrons. Ele é cercado por seis elétrons. Isso faz dele muito reativo. O borano é um híbrido sp², o que significa que ele tem um orbital "p" livre. Então, a gente pode indicar esse orbital livre aqui, que está apto a receber um par de elétrons. O éter, por sua vez, vai doar um par de elétrons, então, o oxigênio aqui vai doar um par de elétrons para este orbital vazio, formando assim uma ligação com o boro. Como o éter está doando um par de elétrons, ele vai ser a base de Lewis. E o borano, que está sendo um aceptor de elétrons, vai ser o ácido de Lewis. Vamos desenhar, então, o produto. Temos aqui o oxigênio, agora ligado ao boro, e o boro continua ligado aos três hidrogênios. Agora, então, estes elétrons em lilás estão fazendo essa ligação entre o oxigênio e o boro. E estes outros elétrons do oxigênio, que eu vou pintar de laranja, continuam no oxigênio. Eles continuam aqui. Assim, o oxigênio fica com uma carga formal positiva e o boro fica com uma carga formal negativa. Essas definições de Lewis são mais inclusivas, então, a gente pode classificar também a primeira reação de acordo com essa definição. A água, nesta reação, está atuando como um doador de elétrons, então, a água vai ser uma base de Lewis. E o ácido clorídrico está agindo como um aceptor de elétrons, então, ele vai ser um ácido de Lewis. E a gente pode notar que, independente da definição usada, o ácido continua sendo um ácido e a base continua sendo a base. Então, o ácido na definição de Brönsted-Lowry continua sendo um ácido na definição de Lewis. O mesmo vale para a base: a base na definição de Brönsted-Lowry continua sendo a base na definição de Lewis. Além disso, as definições de Lewis são muito importantes na química orgânica, porque um ácido de Lewis pode ser considerado sinônimo de um eletrófilo e uma base de Lewis pode ser considerado sinônimo de um neutrófilo. E esses termos são muito importantes quando a gente está lidando com química orgânica.