If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal
Tempo atual:0:00Duração total:9:36

Transcrição de vídeo

assim como fizemos com os espelhos parabólicos o objetivo desse vídeo é colocar diferentes objetos em diferentes distâncias das lentes convergentes e pensar sobre como seria sua imagem nosso alvo é simplesmente abordar diferentes doações para adquirirmos mais prática nesse raciocínio na figura colocaremos um objeto que está há mais de duas distâncias focais da lente quando lidamos com espelhos parabólicos falamos sobre a distância de 2 comprimentos focais sendo o nosso centro de curvatura nesse vídeo vamos chamá lo simplesmente de duas distâncias focais porque na verdade ele não é o centro de curvatura a distância não é o raio da curvatura de cada uma das curvas por isso vamos chamá-lo de 2 comprimentos focais dito isso vamos tentar descobrir como será a imagem desse objeto à medida que sua luz for refratada através da lente lembre se que cada ponto desse objeto está emitindo raios de luz em todas as direções porque ele está refletindo a luz de forma difusa podemos partir da ponta da seta e seguir de forma paralela até o eixo principal não vou mostrar tudo da refração interna dentro dessa lente mas sabemos que esse atravessarmos além de forma paralela o eixo principal quando retratado o raio de luz chegará o ponto focal do outro lado da lente do lado esquerdo teremos um raio de luz que atravessa o ponto focal do lado esquerdo e na saída segue paralelo ao eixo vamos representar na figura a luz que vem do ponto focal da esquerda será convertida novamente e se fizermos o mesmo em cada ponto desse objeto teremos pontos de convergência como mostra a figura nela vemos como a imagem seria representada por isso será uma imagem real invertida nessa situação será menor do que a imagem original sendo portanto uma imagem real menor invertida vamos supor outros cenários suponhamos que um objeto esteja há duas distâncias focais aplicaremos exatamente o mesmo processo se quiser pode fazer um papel para que você possa praticar vamos então fazer outro queremos obter um raio de luz que é paralelo e quando é retratado passará pelo ponto focal do outro lado faremos outro raio de luz e passa pelo ponto focal do lado esquerdo e em seguida se torna paralelo e os dois raios convergem num ponto mostrado na figura assim podemos perceber que é esse na verdade um paralelogramo a distância do lado esquerdo será a mesma do lado direito e essa será uma imagem invertida de tamanho exatamente igual e com a mesma distância na verdade eu não falei sobre distância no exemplo anterior voltemos a ele temos uma imagem real menor e que estará mais próxima a lente do que a original no segundo exemplo teremos a mesma imagem de tamanho exatamente igual ao objeto original mas será invertida ter a mesma distância da lente mas estará do outro lado e volta a dizer essa imagem real vamos a mais um exemplo vamos colocar um objeto entre o comprimento focal 1 eo comprimento focal 2 vou colocar um objeto voou por um objeto bem aqui nesse ohio sair paralelo o eixo através da lente e é retratado até o outro lado o outro raio de luz sairá do lado esquerdo e será retratado seguindo em paralelo lembre-se que podemos fazer o mesmo com cada ponto estou fazendo só com a ponta porque sabemos onde que a base é convergida quando temos dois pontos assim temos uma imagem invertida maior e mais longe da lente do que o objeto temos portanto o oposto do primeiro exemplo no primeiro exemplo o objeto era maior e estava mais de 2 comprimentos focais distantes da lente e imagem estava em outro intervalo agora o objeto estava aqui imagem está do outro lado então vamos a mais alguns exemplos vou colocar o objeto no ponto focal em cima do foco vejamos o que acontece ainda tem gente que memoriza essas coisas de física para passar nas provas não há necessidade disso só precisamos nos lembrar de usar dois raios de luz em geral da ponta da seta porque isso dá uma idéia de como a imagem será representada um que seguir em paralelo e outro que passe pelo ponto focal agora vamos fazer algo um pouco diferente quando o objeto está no ponto focal um dos raios de luz sairá em paralelo será retratado até o ponto focal do outro lado e em vez de um raio de luz que passe pelo ponto focal direto porque na verdade isso não é possível visto que o objeto está sobre o ponto focal do lado direito vamos fazer um raio de luz que não seja retratado fizemos algo parecido com os espelhos parabólicos na verdade no caso dos espelhos parabólicos fizemos um raio de luz que passava bem no centro mas aqui o raio de luz seguirá direto ao centro da lente não sendo retratado os dois raios de luz divergiram neste ponto ou seja não convergiram novamente nenhum lugar nem parece que eles estejam divergindo de outro ponto se tivéssemos um observador no ponto mostrado na figura ele teria apenas dois raios de luz paralelos não haveria formação de imagem real nem virtual assim podemos dizer que não há formação de imagem com um objeto no foco então não há formação de imagem no último exemplo colocaremos o objeto a menos de uma distância focal da lente se o raio de luz saísse da ponta em paralelo seria refratário ao ponto focal do outro lado de novo se um raio de luz saísse da ponte em paralelo seria refratada do ponto focal do outro lado de novo outro raio de luz sairia como se estivesse vindo da direção do ponto focal do lado direito então se ele viesse nessa direção o raio de luz chegaria paralelo ao outro lado está claro que esses dois raios não estão convergindo portanto não haverá formação de imagem mas eles parecem estar divergindo de um ponto parece que estão vindo de o que vai acontecer bom se houvesse um observador ele visualizar 'ia aponta da seta a base da seta e então essencialmente o que iria acontecer é ele veria uma versão virtual uma imagem virtual maior uma figura virtual e maior da seta real espero que você tem achado isso interessante