Se você está vendo esta mensagem, significa que estamos tendo problemas para carregar recursos externos em nosso website.

If you're behind a web filter, please make sure that the domains *.kastatic.org and *.kasandbox.org are unblocked.

Conteúdo principal

Fósseis de hominídeos

Nesse artigo vamos conhecer a relação existente entre os fósseis de hominídeos e as eras geológicas, e como essa relação possibilitou a montagem da história da evolução da espécie humana.

Introdução

Você pode estar se perguntando por que o estudo dos fósseis da espécie humana está na unidade temática da Terra e universo e não na de Vida e evolução.
Porque eles foram formados conjuntamente com as rochas sedimentares em diferentes épocas geológicas da Terra, a partir do empilhamento de resíduos sobre os corpos dos hominídeos mortos.
A camada de resíduos sobre os corpos acabou por protegê-los da ação dos ventos e das chuvas, mantendo parte dos ossos e dentes intactos.
Já a carne, na maioria das vezes, sofre a ação dos decompositores. Excetuando-se os corpos encontrados em geleiras; esses sofrem mumificação e não decomposição, como no caso do homem de Rendswühren.
Figura 1: O homem de Rendswühren. Crédito: Commander-pirx, CC-BY-SA-3.0, Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.
A descoberta dos fósseis de hominídeos e o conhecimento da época em que a rocha foi formada e, consequentemente o fóssil, possibilitou a reconstrução da história da espécie humana.
Vamos ver agora como isso foi possível.

Cronologia humana

Os ancestrais da espécie humana não tinham as mesma características que nossa espécie tem agora.
Os fósseis encontrados subsidiaram a construção de modelos que representam as características da espécie humana ao longo da evolução.
A figura 2 mostra algumas delas.
Figura 2: Evolução da espécie humana. Crédito: Aditya Suseno, domínio público, Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.
Nós evoluímos de forma contínua, apesar de não termos essa consciência devido às diferenças gigantescas entre as escalas de tempo da nossa vida e a das mudanças que nossa espécie sofre.
Para você ter uma ideia, a cronologia da evolução humana está mostrada na figura 3.
Do lado esquerdo temos a escala de tempo em milhões de anos. Observe que o zero marca justamente o aparecimento dos humanos ou Homo sapiens.
Todos os demais aparecem na história antes dele, por esse motivo os valores na escala são negativos. Assim, o Homo habilis surgiu 2 milhões de anos antes do Homo sapiens, por exemplo.
Figura 3: Cronologia da evolução humana. Disponível em Wikipedia. Acesso em 23/05/2019.
No lado esquerdo vemos ainda as épocas geológicas, a saber, Mioceno, Plioceno e Pleistoceno, que pertencem à Era Cenozoica.
A figura 4 mostra as eras geológicas da Terra.
Figura 4: Eras geológicas e seus eventos. Crédito: oudloper, domínio público, Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.
A primeira coisa que temos de ressaltar é que o processo não é cíclico, essa foi apenas uma forma mais elegante escolhida pelo autor da figura para descrever como um relógio as eras geológicas e os eventos que ocorreram em cada uma delas.
Como lemos esse relógio?
O anel mostra as eras geológicas e cada uma das linhas que o circunda marca o início de um evento.
Os procariontes são mostrados em roxo, eles surgiram há cerca de 3 milhões e 500 mil anos.
Depois deles surgiram os eucariontes (marcados em azul escuro). Foram seguidos pela vida multicelular (turquesa), os animais (verde), as plantas terrestres (amarelo), os mamíferos (laranja) e os humanos (em preto, quase não aparecendo).
O fato de o surgimento da espécie humana quase não aparecer no relógio geológico mostra o quão recente é esse evento quando comparado a todos os processos que a Terra já viveu desde sua formação.

Os fósseis e a história da evolução humana

Como a nossa história foi construída a partir dos fósseis?
De três maneiras:
  1. A partir da definição da idade dos ossos e dentes encontrados pelo processo de datação de carbono.
  2. Pelo estudo do perfil geológico do local.
  3. E pelo uso de computadores que, a partir dos fósseis, reconstroem as possíveis feições e corpos.
Abaixo mostramos uma ilustração do perfil geológico onde foram encontrados os fósseis do hominídeo Pithecanthropus.
Observe que o perfil é de rochas sedimentares, conforme explicamos no começo do artigo.
Figura 5: Local onde foram encontrados os restos do esqueleto humano do Pithecanthropus. Crédito: CFCF, domínio público, Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.
Na figura 6 mostramos os fósseis encontrados e as feições reconstruídas pelos computadores a partir dos dentes e dos ossos da mandíbula e da face encontrados.
Figura 6: Fósseis e modelo da cabeça do hominídeo Pithecanthropus. Créditos: imagem construída a partir dos arquivos de Ghedoghedo (CC-BY-SA-4.0) e Fæ (CC-BY-4.0), Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.
Foi a preservação dos restos mortais de nossos ancestrais pelas rochas sedimentares que possibilitou o conhecimento da nossa história e trajetória na Terra.
Os fósseis nos permitiram também conhecer e contar as histórias de outras espécies animais – inclusive as já extintas como, por exemplo, a espécie dos dinossauros.
Mas isso fica para outra oportunidade.

Referências

Human evolution. Acesso em: 23/05/2019.
Mioceno. Acesso em: 23/05/2019.
Evolução humana. Acesso em: 23/05/2019.

Referências das figuras

Figura 5: Local onde foram encontrados os restos do esqueleto humano do Pithecanthropus. Crédito: CFCF, domínio público, Wikimedia commons. Acesso em 23/05/2019.

Quer participar da conversa?

Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.