If you're seeing this message, it means we're having trouble loading external resources on our website.

Se você está atrás de um filtro da Web, certifique-se que os domínios *.kastatic.org e *.kasandbox.org estão desbloqueados.

Conteúdo principal

Capela-túmulo de Nebamun

Gansos (detalhe), da Apresentação dos Gansos, capela do túmulo de Nebamun, c. 1350 a.C., pintura em gesso, fragmento completo: 115,5 x 71 cm, Tebas © Curadores do Museu Britânico
O Museu Britânico possui 11 fragmentos de pintura de parede, algumas das imagens mais famosas da arte Egípcia. Os fragmentos vêm da agora perdida capela-túmulo de Nebamun, um antigo escriba Egípcio ou, "escriba e contador de grãos no celeiro das ofertas divinas," no Templo de Amon em Karnak. Nebamun morreu em c. 1350 a.C., uma geração ou mais antes de Tutankhamon. O nome dele está danificado, mas quase certamente ele se chamava Nebamun.

Equivalente a Michelangelo da Antiguidade"

As pinturas do túmulo foram descobertas pelo agente local de Henry Salt em Tebas e adquiridas pelo Museu na década de 1820. A localização do túmulo de onde elas vieram ainda não é conhecida com certeza, mas se acredita que é na parte norte da necrópole na área conhecida como Dra Abu el-Naga. Estilisticamente, as pinturas murais magníficas podem ser datadas tanto dos anos finais do reinado de Amenhotep III (1390-1352 a.C.), quanto dos primeiros anos do seu sucessor. Os fragmentos foram constantemente exibidos até o final dos anos 1990. Desde então, os frágeis murais foram meticulosamente conservados, estando protegidos por pelo menos os próximos 50 anos.
O projeto proporcionou inúmeros novos pontos de vista sobre a soberba técnica dos pintores que foram chamados por um historiador de arte como "equivalente a Michelangelo da antiguidade"—com suas composições exuberantes, representações surpreendentes da vida animal e manipulação incomparável de texturas. Novas pesquisas e estudos permitiram novas junções dos fragmentos, permitindo uma melhor compreensão dos seus locais originais no túmulo. Eles agora serão re-exibidos juntos pela primeira vez em um ambiente projetado para recriar seu impacto estético original e evocar a posição original em uma pequena capela intimista.
Os quatro músicos e cantores com sua canção escrita acima deles (detalhe), Cena do Banquete, Capela-Túmulo de Nebanum, c. 1350 a.C., 18ª Dinastia, pintura em gesso, fragmento completo: 88 x 119 x 22 cm, Tebas
© Curadores do Museu Britânico
As pinturas mostram cenas da vida cotidiana e incluem imagens de banquetes, agricultura, produção animal, caça e cenas de oferendas. A qualidade do desenho e composição é excelente, e o tratamento soberbamente detalhado dos animais faz dessas pinturas algumas das melhores que sobreviveram do Egito antigo.

Um lugar de comemoração

A capela-túmulo de Nebamun era um lugar para as pessoas irem celebrar Nebamun e sua esposa, após sua morte, com orações e oferendas. O próprio Nebamun foi enterrado em algum lugar sob o piso da sala mais interna da capela-túmulo em uma câmara funerária escondida. As belas pinturas, que decoravam a parede, não só mostravam como Nebamun queria que sua vida fosse lembrada, mas o que ele queria na sua vida após a morte.
Construir uma capela em um túmulo era caro e só poderia ter sido feito pelos ricos. A maioria dos antigos Egípcios era enterrada em cemitérios.

Como a capela-túmulo era construída e usada

As pedras da capela-túmulo de Nebamun foram cortadas das colinas no deserto em frente à cidade de Tebas (Luxor e Karnak modernas). Os operários teriam cortado o túmulo da rocha usando ferramentas de pedra e cinzéis de liga de cobre. As paredes e tetos do túmulo foram em seguida cobertos com uma camada de argila, seguida por uma camada de gesso branco. Isso proporcionou uma superfície lisa para a pintura.
O capela-túmulo foi pintada por uma equipe de artistas. Eles primeiro esboçavam os desenhos e figuras antes de pintar o modelo final. Às vezes os esboços ainda podem ser vistos, mostrando como os artistas mudavam de ideia. Os artistas usavam tintas pretas, brancas, vermelhas, amarelas, azuis e verdes.
A capela-túmulo provavelmente continha três seções: uma câmara exterior, uma câmara interna e uma câmara funerária subterrânea, que foi selada quando Nebamun e sua esposa foram enterrados. Fora do capela-túmulo, um pátio foi cortado na encosta. As paredes da fachada da capela foram decoradas com filas de cones de cerâmica estampados com os nomes e títulos do proprietário.
Leituras sugeridas:
M. Hooper, The Tomb of Nebamun (Londres, British Museum Press, 2007).
R. Parkinson, The painted Tomb-chapel of Nebamun (Londres, British Museum Press, 2008).
A. Middleton and K. Uprichard, (eds.), The Nebamun Wall Paintings: Conservation, Scientific Analysis and Display at the British Museum (Londres, Archetype, 2008).
© Curadoria do Museu Britânico

Quer participar da conversa?

Nenhuma postagem por enquanto.
Você entende inglês? Clique aqui para ver mais debates na versão em inglês do site da Khan Academy.